Pesquisar este blog

sábado, 25 de novembro de 2017

Sadismo












O sadismo é uma perversão caracterizada pela obtenção de prazer sexual com a humilhação ou sofrimento físico de outrem e, por extensão, prazer com a dor alheia em geral. De maneira mais genérica, sadismo é o ato de sentir prazer provocando sofrimento físico ou mental a outro ser vivo.

O termo foi cunhado pelo psicólogo alemão Richard von Krafft-Ebing, a partir do nome do francês Donatien Alphonse François de Sade (Marquês de Sade). Ainda que a obra literária do Marquês de Sade tenha conotações principalmente sexuais, o sadismo, como patologia, não tem um caráter exclusivamente sexual. O termo também é usado para descrever indivíduos que parecem obter prazer em humilhar e dominar outros em situações sociais.

Alguns comportamentos mais suaves de sadismo são até socialmente aceitáveis, embora mal avaliados, como o uso de sarcasmo humilhante ou referências depreciativas.

Como acontece com os demais Transtornos Psicológicos, as causas do sadismo não são inteiramente conhecidas, embora sejam tributárias de muitas teorias. Uma delas considera que os indivíduos sádicos receberam pouco afeto e atenção dos pais e isso foi reforçado ao longo da vida.

O Sadismo Sexual envolve atos reais (não simulados) em que o indivíduo sente excitação sexual infringindo sofrimento psicológico (incluindo humilhação) ou físico ao parceiro(a). O indivíduo sádico pode atar, vendar, dar palmadas, espancar, chicotear, beliscar, bater, queimar, administrar choques elétricos, estuprar, cortar, esfaquear, estrangular, torturar e até mutilar ou matar a vítima.

Alguns parceiros consentem nesses atos e até mesmo sentem excitação sexual quando submetidos a esses episódios de dor ou humilhação (masoquismo), enquanto outros são submetidos a eles sem que haja consentimento. Muitas vezes, o indivíduo sádico “precisa” do sofrimento da vítima para sentir algum prazer. É por isso, por exemplo, que muitos estupradores procuram realizar seus atos embora tenham uma vida sexual normal com outras parceiras e, inclusive, sejam casados.

O sadismo se associa ao masoquismo em que, de maneira complementar, a excitação sexual está ligada a sentir dor. Muitos indivíduos respondem com excitação em ambos os papeis (sado-masoquismo).

De uma forma mais geral, pessoas sádicas tendem a praticar agressões recorrentes e comportamentos cruéis contra outras pessoas para se satisfazerem. O sadismo também pode incluir crueldade emocional. O sádico se deleita com o sofrimento do outro e demonstra satisfação ou prazer em ouvir desgraças, tragédias e dificuldades de outras pessoas.

Nesse sentido, o sadismo é muito mais comum do que o sadismo sexual propriamente dito que, aliás, é raro. Existe um simulacro do sadismo em pessoas normais, sobretudo em crianças, o qual pode ser observado quando, por exemplo, algumas crianças executam “brincadeiras”, tais como, jogar sal em sapo, bater prego em insetos, caçar passarinho por esporte, afogar formigas, etc. O sadismo faz parte do lado mau da personalidade humana.

A violência sádica pode variar desde a infringência de dor leve e inofensiva, num jogo de amor, por exemplo, até a extrema brutalidade, às vezes causando lesões graves ou mesmo a morte do(a) parceiro(a).
Postar um comentário