Pesquisar este blog

sábado, 3 de junho de 2017

Artrite idiopática juvenil


Chama-se artrite à inflamação em uma ou mais articulações. Existem muitos tipos diferentes de artrites, cada uma com sua causa específica. A Artrite Idiopática Juvenil é uma doença inflamatória crônica de causa ainda desconhecida, que atinge uma ou várias articulações e que incide em jovens, da infância aos 16-17 anos.

É o tipo mais comum de artrite em jovens abaixo dessa idade. Foi primeiramente nomeada pelo médico inglês Sir George Frederic Still.

As causas da Artrite Idiopática Juvenil ainda não são totalmente conhecidas, embora se pense que sua origem esteja ligada a fatores ambientais e genéticos hereditários. Talvez ela ocorra devido a que o sistema imunológico do corpo ataque suas próprias células e tecidos. Certas mutações genéticas poderiam tornar uma pessoa mais susceptível aos fatores ambientais, tais como os vírus, por exemplo.

A Artrite Idiopática Juvenil se inicia até os 16-17 anos de idade e a inflamação aguda dura, em cada vez, em torno de seis semanas. Existem três tipos de Artrite Idiopática Juvenil:

(1) tipo poliarticular, que atinge quatro ou mais articulações;

(2) tipo pauciarticular, que atinge menos de quatro articulações;

(3) artrite de início sistêmico, caracterizada por febre alta em picos, lesões de pele e acometimento em um número variável de articulações.

Os sinais e sintomas mais gerais da Artrite Idiopática Juvenil são dor, especialmente na parte da manhã, inchaço, sobretudo notado nas articulações maiores, e rigidez articular. Em alguns casos, a Artrite Idiopática Juvenil afeta todo o corpo e causa inchaço dos gânglios linfáticos, erupções cutâneas e febre. Os sintomas podem ser oscilantes, às vezes aumentando e às vezes diminuindo ou desaparecendo.

Diferenciar o diagnóstico de Artrite Idiopática Juvenil de outras patologias articulares pode se tornar difícil porque a dor nas articulações pode advir de muitos problemas diferentes. No entanto, os exames complementares podem ajudar a excluir condições que produzem sinais e sintomas semelhantes.

Os exames de sangue devem incluir taxa de sedimentação de eritrócitos, proteína C-reativa (PCR), anticorpo anti-nuclear e fator reumatoide. Contudo, em muitas crianças com Artrite Idiopática Juvenil, nenhuma anormalidade significativa será encontrada nestes exames.

Imagens de radiografias ou de ressonância magnética ajudarão a excluir outras condições, tais como fraturas, tumores ou defeitos congênitos. As imagens também podem ser usadas após o diagnóstico ter sido estabelecido para monitorar o desenvolvimento ósseo e detectar danos nas articulações.

O tratamento da Artrite Idiopática Juvenil centra-se no controle da dor, melhorando a função articular e prevenindo lesões e complicações. Para conseguir isso, o médico pode usar uma combinação de estratégias, incluindo medicamentos, fisioterapia e até mesmo cirurgia, em casos muito graves.

Algumas crianças com Artrite Idiopática Juvenil sentem sintomas apenas por alguns meses, enquanto outras os terão pelo resto de suas vidas.

Algumas vezes a Artrite Idiopática Juvenil pode causar complicações graves, tais como problemas de crescimento e inflamação ocular.
Postar um comentário