Pesquisar este blog

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Cada nome... Gastrite enantematosa! O que é?


A gastrite enantematosa, assim com a gastrite comum, é uma inflamação na parede do estômago, causando vermelhidão e inchaço, que provoca uma série de incômodos estomacais nos indivíduos acometidos. A diferença dela para a gastrite comum é que ela afeta, além da mucosa, o epitélio estomacal, gerando um ferimento na parede do estômago.

A gastrite enantematosa pode ser provocada pela presença da bactéria Helicobacter pylori, por doenças autoimunes, pelo consumo de álcool e pelo uso frequente de aspirinas, remédios anti-inflamatórios ou corticoides.

Os sintomas da gastrite enantematosa surgem geralmente após as refeições, podendo durar cerca de duas horas, sendo os mais comuns dor de cabeça, dor e queimação no estômago, enjoo, indigestão, gases e arrotos, falta de apetite e vômito ou ânsia de vômito. Pode, ainda, aparecer sangue nas fezes. Os sintomas se iniciam de maneira leve e podem ir se agravando ao longo das horas.

A gastrite enantematosa pode ser classificada de acordo com a região afetada do estômago: cárdia, corpo, antro e fundo. Assim, por exemplo, fala-se de gastrite enantematosa antral quando a inflamação ocorre na parte final do estômago, o antro.

Segundo a gravidade, fala-se em gastrite enantematosa leve quando a inflamação ainda está no início, não prejudicando muito o estômago. Em casos mais sérios, a gastrite enantematosa é classificada em moderada ou severa.

O diagnóstico deve começar a ser feito pelos sintomas e ser confirmado por uma endoscopia digestiva alta, através da qual o médico especialista consegue visualizar a parte interna do estômago e identificar a presença da inflamação.

O tratamento para gastrite enantematosa inclui medicamentos antiácidos ou protetores gástricos, antibióticos para eliminar a bactéria Helicobacter pylori, quando essa for a causa da gastrite e alteração dos hábitos alimentares, evitando alimentos gordurosos e outros que irritam o intestino. Deve-se manter uma dieta adequada que seja recomendada pelo médico ou por um nutricionista.

• De um modo geral, são considerados alimentos não recomendados:

Alimentos gordurosos e frituras; frutas ácidas; temperos; picles; doces concentrados; frutas secas e cristalizadas; frutas oleaginosas; feijão e outras leguminosas; pepino; tomate; couve; couve-flor; brócolis; repolho; pimenta; pimentão; nabo; rabanete; café; chá preto; mate e chocolate; linguiça; salsicha; patês; mortadela; presunto; bacon; carne de porco; carnes gordas; alimentos enlatados e em conserva; bebidas alcoólicas e gasosas.

• Considerados alimentos permitidos:

Chá de camomila; erva-doce; erva-cidreira; melissa; espinheira santa; sopas magras; carnes magras desfiadas, picadas, moídas, ensopadas, cozidas, assadas ou grelhadas; ovos cozidos, poches ou quentes; verduras e legumes bem cozidos; frutas; pães brancos, bolachas maria, maisena e água e sal; arroz; macarrão simples; batata, mandioca, mandioquinha e cozidos.

A duração do tratamento depende da gravidade da inflamação e das suas causas, devendo sempre ser orientado pelo médico.

Como evitar os sintomas da gastrite enantematosa?

• Evitar alimentos irritativos da mucosa gástrica.
• Evitar o consumo de alimentos prontos, como congelados, industrializados e empacotados.
• Evitar o fumo e as bebidas alcoólicas.
• Evitar ingerir grandes quantidades de alimentos antes de se deitar.
• Evitar alimentos muito quentes.
• Evitar goma de mascar.
• Evitar fazer refeições volumosas a qualquer hora do dia.
Postar um comentário