Café pode elevar seu colesterol ruim! Essa, não!




Um grupo de pacientes que atendo, bem magrinhos, têm apresentado elevação do colesterol LDL, ou seja aquele tal do colesterol que deposita nas artérias e fecha o caminho para o sangue, podendo levar a infartos (infarto ou enfarte é definido como uma lesão tecidual isquêmica irreversível, isto é, devida à falta de oxigênio e nutrientes, geralmente associado a um defeito da perfusão sanguínea e esta situação vai levar à morte celular ou necrose) ou isquemias (falta de suprimento sanguíneo para um tecido orgânico) de áreas nobres do corpo.

O que me chama a atenção, nesses casos é que todos eles são realmente magros, todos referem hábitos alimentares relativamente saudáveis, alguns têm atividade física regular, e nem todos referem antecedentes familiares para problemas relativos ao colesterol.

Aí comecei a pesquisar para tentar entender o que, além das causas hereditárias, poderia ser mais um fator para colaborar na elevação do colesterol LDL nessas pessoas e li uma matéria que me deixou espantado.

Há relatos, na literatura médica, de que o café não coado pode ser um co-responsável pela elevação deste componente dos lipídeos (gorduras) sangüíneos, por conta de dois componentes de sua constituição chamados cafestol e o kahweol, que, por sua vez elevariam um aminoácido (molécula orgânica que serve de base para a formação de proteínas) chamado homocisteína, que está relacionada, também de acordo com estudos científicos à elevação de risco para infartos do coração (miocárdio).

Além disso eles estariam, os três, relacionados com a elevação da pressão arterial, o agravamento nos quadros de arritmias e desenvolvimento de osteoporose.

A não utilização do filtro de café durante o seu preparo não retém o cafestol e o kahweol, o que ocorre no preparo do café árabe e expresso. Quando se utiliza o filtro de papel ou o coador de pano, ocorre a retenção destes nutrientes, impedindo a elevação do colesterol e frações.

Estudos demonstraram que o consumo diário de 5 xícaras de café contendo 10 mg de cafestol durante 4 semanas, pode elevar o colesterol em 0,13 mmol/l e os triglicerídeos em 0,08 mmol/l.

Os mecanismos descritos para justificar estas alterações são que a elevação da LDL-colesterol ocorre pelo efeito do cafestol sobre a proteína reguladora de ligação de esteróides, resultando na diminuição da transcrição do gene da HMG-CoA redutase, responsável pela síntese de colesterol. Meu Deus, que complicado!

Para você, basta saber que é melhor coar o café! O café de máquina expressa e outros tipos de café mais saborosos podem ser um risco para a sua saúde.

Agora me resta começar a conversar com os pacientes para saber mais sobre os seus hábitos alimentares e tentar corrigir, na medida do possível.

Eu, particularmente, adoro café expresso! Quando vou a uma padaria, agora, fico em uma encruzilhada, pois o café de coador de uma padaria, habitualmente vem banhado em açúcar - é o famoso açúcar com café e o outro disponível para consumo, sem açúcar, no qual posso usar minha sucralose, é o café de máquina expressa italiana!

Como não tomo mais de dois cafés ao dia, ainda mantenho o costume de tomar o café da máquina, pois não tenho mais hábito de colocar açúcar nos alimentos.

Há, ainda, a questão que muitas pessoas falam, inclusive nas consultas: o café provoca a osteoporose, mesmo?

São contraditórios os dados relacionando o consumo de café e a formação da massa óssea. A cafeína em excesso aumenta a excreção do cálcio urinário. Os efeitos tornam-se maléficos quando a ingestão diária de café for acima de 2 e ½ xícaras associada à ingestão de cálcio abaixo de 800 mg.

Os estudos concluem que a população deve ser orientada, quanto à escolha da forma de preparo do café e quanto à necessidade do seu consumo com moderação.

Mas nem precisava, cero? Afinal, temos aprendido que tudo na vida necessita de moderação!
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses