Pesquisar este blog

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Para saber o sexo do bebê...


O exame de sexagem fetal permite descobrir o sexo do bebê já a partir da 8ª semana de gravidez com quase 100% de certeza e não ter de esperar até mais ou menos a 17ª semana de gestação para a realização de uma ultrassonografia capaz (ou não) de revelar o sexo do bebê. O exame pode ser feito mesmo antes da 8ª semana, mas os resultados não terão o mesmo grau de certeza.

Logo que constatada a gravidez, os pais se mostram muito curiosos e ansiosos quanto ao sexo do bebê, e não é só curiosidade e ansiedade. Desde o início da gravidez existem motivos práticos para desejar saber o sexo do bebê. A preparação do enxoval, a montagem do quartinho, a escolha de um nome, etc. dependem, em certa medida pelo menos, do sexo da criança.

Alguns pais ou mães manifestam desde logo suas preferências quanto ao sexo do bebê, outros ficam no famoso “tanto faz”. Mas é de se crer que, embora recebendo o bebê de modo afetuoso, seja qual for o seu sexo, todo pai ou mãe tem uma tendência secreta por preferir que seja menina ou menino.

O exame é muito simples e não invasivo. Consiste apenas em colher uma amostra de sangue da mãe, de mais ou menos 20 ml, na qual será analisado o DNA do feto. Não exige jejum nem qualquer outra preparação para a sua realização. O cientista chinês Y. Dennis Lo descobriu que no plasma materno existe DNA do feto, transferido pela placenta, e a partir dessa descoberta conseguiu-se saber se esse DNA contém ou não o cromossomo sexual Y (masculino).

Se for detectado o cromossomo Y, o feto é masculino. Se não existir cromossomo Y, o bebê será do sexo feminino. Em caso de gêmeos, temos as seguintes possibilidades: se forem gêmeos univitelinos, idênticos, que terão o mesmo sexo, o mesmo resultado é válido para os dois bebês: se o exame mostrar cromossoma Y os dois bebês serão do sexo masculino. Se não houver cromossoma Y, os dois bebês serão do sexo feminino.

No caso de gêmeos bivitelinos, se o resultado indicar a presença do cromossoma Y, ao menos um dos gêmeos será menino. Se houver ausência do cromossomo Y, ambos serão meninas. É importante lembrar que o exame não é confiável caso a gestante já tenha recebido transfusão de sangue ou transplante de órgão de outro homem que não o pai.
Postar um comentário