Seu filho fala dormindo?


O sonilóquio é uma parassonia benigna caracterizada pela fala que ocorre durante o sono. Por sua vez, parassonias são desordens do sono que envolvem anormalidades que ocorrem ao dormir nos movimentos, comportamentos, emoções, percepções e sonhos.

O sonilóquio é mais comum nas crianças e se refere ao falar durante o dormir, indo desde murmúrios e falas inteligíveis ou não, até gritos.

O sonilóquio pode ocorrer sem causa aparente ou ser consequência de uma desordem do sono conhecida, como distúrbio de comportamento no sono REM, sonambulismo, terror noturno e transtornos alimentares relacionados ao sono. Há alguns fatores que contribuem para desencadear o sonilóquio nas pessoas predispostas, tais como privação de sono, estresse, consumo de álcool e sonolência diurna. Se o sonilóquio for dramático e emocional, geralmente é sinal de outra desordem do sono associada.

O sonilóquio ocorre durante saídas transitórias do sono REM ou na saída dele e as palavras faladas no sonho são ditas em voz alta. O falar dormindo é uma ocorrência muito comum, relatada por cerca de 50% dos pais de crianças pequenas. Após a puberdade, essa taxa cai significativamente e na vida adulta é de cerca de 4% ou menos.

As pessoas que são acordadas logo após um sonilóquio geralmente não se dão conta de terem falado, nem se lembram do que disseram. No entanto, com bem menor frequência, a pessoa pode conservar-se consciente quanto ao que se passou. Isso depende do estágio do sono em que o sonilóquio terá ocorrido. Durante os estágios não-REM o indivíduo não se lembrará de nada e despertará confuso. Já no estágio REM, ele se recordará e irá saber sobre quais assuntos foi questionado.

O falar dormindo por si só é inofensivo, mas pode ser tão alto que acorde os parceiros de sono e, dependendo do seu conteúdo, pode causar constrangimentos ao próprio indivíduo ou às outras pessoas. A altura da voz e a intensidade e complexidade das construções de frases são muito variáveis. Muitas vezes o tom de voz do indivíduo é diferente de sua voz normal.

O sonilóquio (falar dormindo) pode ocorrer várias vezes durante o sono. Quem escuta pode ser capaz ou não de compreender o que a pessoa com sonilóquio está dizendo, mas a própria pessoa não tem controle sobre o que fala, nem lembranças posteriores do que foi falado. O sonilóquio normalmente é curto (dura apenas alguns segundos), mas existem casos em que a pessoa fala e murmura durante horas, sem parar. Em alguns casos, o paciente pode estabelecer um diálogo de frases simples, estereotipadas e com relativa concisão de ideias.

O reconhecimento do sonilóquio depende de que outras pessoas relatem ouvir o indivíduo em causa falar durante o sono, uma vez que a própria pessoa quase nunca tem consciência do fato. Para quem dorme ao lado, contudo, a situação pode ser divertida, embaraçosa, constrangedora ou incômoda. Durante um episódio de sonilóquio o indivído pode, inclusive, fazer revelações que na vigília considera sigilosas.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses