Fístulas


Uma fístula é qualquer passagem em forma de tubo que comunica anormalmente dois órgãos internos ou que conduzem de um órgão interno para a superfície do corpo.

Algumas vezes as fístulas são feitas cirurgicamente, de modo artificial, para fins de diagnóstico ou de terapia. Outras vezes ocorrem em razão de lesões, doenças ou de anomalias congênitas. As fístulas consequentes a doenças podem ser causadas por doenças como tuberculose, actinomicose, divertículos e outras doenças graves.

Exemplos de algumas fístulas comuns

(1) A fístula anal é um dos tipos mais comuns de fístulas. Geralmente ela se desenvolve como resultado de uma ruptura na parede do canal anal ou do reto ou de um abscesso naqueles locais.

(2) Em mulheres, o trabalho difícil de parto pode resultar na formação de fístula entre a bexiga e a vagina com o extravasamento de urina para dentro da vagina.

(3) Em uma fístula entre a bexiga e o intestino não há passagem de urina da bexiga para o intestino.

(4) Nas fístulas retovaginais, ligando o reto à vagina, as fezes podem passar do canal anal ou do reto para a vagina.

(5) Uma fístula arteriovenosa é uma comunicação que se realiza entre uma artéria e uma veia, quer patologicamente ou criada cirurgicamente para fins terapêuticos, como, por exemplo, para garantir um local de acesso para hemodiálise.

(6) Uma fístula abdominal é aquela que acontece entre um órgão abdominal oco e a superfície do abdômen.

(7) A fístula branquial é um pertuito persistente ligando a faringe à superfície da pele. Ela é um pequeno orifício na parte inferior da garganta. A condição é normalmente observada no primeiro ano de vida.

(8) Uma fístula broncopleural liga um brônquio à cavidade pleural, causando uma passagem de ar a esta cavidade. Muitas vezes é uma complicação de empiema, fibrose ou pneumonia.

(9) A fístula cerebrospinal ocorre entre o espaço subaracnoide e uma cavidade corporal. Ela se dá em razão de traumatismo craniano ou erosão óssea, com a passagem de fluido cerebrospinal, geralmente sob a forma de rinorreia ou otorreias.

(10) A fístula Brescia-Cimino, que liga a veia cefálica à artéria radial é uma fístula arteriovenosa feita para dar acesso à hemodiálise.

(11) Uma fístula enterovesical liga o intestino com a bexiga urinária.

(12) Uma fístula fecal liga o intestino com algum ponto da superfície externa do corpo e faz a descarga de fezes.

(13) Uma fístula gástrica pode ser uma comunicação entre o estômago e alguma outra parte do corpo ou uma passagem criada artificialmente através da parede abdominal para o estômago, geralmente para alimentação por sonda.

(14) Na fístula da janela redonda do ouvido há vazamento de perilinfa para o ouvido interno, de modo que as mudanças na pressão do ouvido médio afetam diretamente o ouvido interno, causando surdez neurossensorial.

(15) A fístula arteriovenosa pulmonar é uma fístula congênita entre os sistemas arterial e venoso, permitindo que o sangue não oxigenado passe a ter acesso à circulação sistêmica.

(16) Uma fístula retovaginal pode existir entre o reto e a vagina.

(17) Uma fístula retovesical é a que existe entre o reto e a bexiga urinária.

(18) A fístula salivar ocorre entre um ducto ou glândula salivar e a superfície cutânea ou a boca.

(19) Uma fístula torácica comunica-se com a cavidade torácica.

(20) Uma fístula urinária é qualquer comunicação entre o trato urinário e outro órgão ou a superfície do corpo.

(21) Pode haver também uma fístula vesicovaginal da bexiga para a vagina.

A fístula entre quaisquer órgãos ou entre um órgão e a superfície do corpo é dita incompleta quando tem um fundo cego.

Uma fístula pode ser, e geralmente é, um local de infecção, causando grande desconforto ao paciente.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses