Curva glicêmica


Chama-se curva glicêmica, também denominada de teste oral de tolerância à glicose, à representação gráfica da forma como o açúcar se apresenta no sangue após a ingestão de um alimento determinado e demonstra a velocidade com que o carboidrato é consumido, expresso pelo índice de glicose no sangue. A curva glicêmica é dita baixa se o açúcar (carboidrato) chega lentamente ao sangue e é consumido também lentamente. Do contrário diz-se que há uma curva glicêmica alta.

Como preparo para uma curva glicêmica deve ser feito um jejum de 10 a 12 horas, por isso recomenda-se que o exame seja feito pela manhã.

Antes ou ao longo do exame o paciente não deve usar laxantes, nem fumar ou fazer atividade física; mas não há restrição ao consumo de água.

A duração do exame pode chegar a seis horas, na dependência de quantas amostras de sangue serão colhidas.

Inicialmente, é feita a coleta de sangue para medir a glicemia em jejum e logo depois é dado ao paciente certa dose de um xarope açucarado.

Após uma, duas ou três horas, conforme a solicitação médica, é feita a coleta de uma pequena quantidade de sangue, que é então avaliada em laboratório com relação à glicemia.

Durante o exame não se deve comer nem beber nada, sendo necessário ainda ficar de repouso, relaxadamente. Um índice de glicose inferior a 140 mg/dl é normal; entre 140 e 199 mg/dl indica tolerância diminuída à glicose e um índice igual ou superior a 200 mg/dl indica diabetes.

Os valores intermediários, sugestivos de pré-diabetes, recomendam a repetição do exame e a mudança dos intervalos de tempo em que são feitas as coletas de sangue.

Não existem contraindicações absolutas para fazer a curva glicêmica, entretanto existem algumas condições que devem ser evitadas porque podem dificultar a interpretação dos resultados, como algumas doenças infecciosas ou uso de determinadas medicações.

A curva glicêmica é um exame de sangue feito principalmente para o diagnóstico do diabetes mellitus ou da diabetes gestacional. A curva glicêmica ajuda também a estabelecer os padrões metabólicos da glicose e assim da fome e do controle do peso.

Quando se come uma bala ou mesmo um pão, alimentos com carboidrato simples, ele segue rapidamente para o sangue e o açúcar no sangue aumenta rapidamente, mas também é prontamente consumido e a curva desce, produzindo necessidade de voltar a comer.

Quanto mais constante for a curva glicêmica, menos fome o indivíduo tem e mais seu peso corporal fica constante, porque a pessoa não desenvolve episódios descontrolados de vontade de comer. As pessoas que não alteram grandemente seu peso durante a vida, geralmente têm uma curva glicêmica constante.

A curva glicêmica deve ser feita quando há a suspeita de diabetes ou por volta da 20ª semana da gravidez para indicar se a mãe desenvolveu ou não diabetes durante a gravidez.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses