Hemangiomas


O que é um hemangioma?

Um hemangioma (do grego haema = sangue; angeio = vaso; oma = tumor) é um acúmulo anormal e benigno de vasos sanguíneos na pele ou em órgãos internos, o que significa um acúmulo de sangue.

Existem diferentes tipos de hemangiomas, sendo os principais:

•Hemangioma cavernoso: malformação dos capilares e dos vasos sanguíneos.
•Hemangioma fragiforme e tuberoso: que se desenvolvem nas primeiras semanas de vida e são proliferativos.
•Hemangioma plano: é congênito.
•Hemangioma tumoral: apresenta volume saliente.
•Hemangioma capilar: situado na camada superior da pele.
•Hemangioma vertebral: localiza-se na coluna vertebral.
•Hemangioma hepático: é aquele que surge no fígado.

Cerca de um terço dos hemangiomas são hereditários ou congênitos e estão presentes desde o nascimento; o restante aparece nos primeiros meses de vida.

Alguns aparecem nas primeiras seis semanas de vida e crescem rapidamente. Também são comuns em adolescentes e adultos jovens.

Eles podem situar-se nas camadas superiores da pele (hemangioma capilar), localizar-se mais profundamente na pele (hemangioma cavernoso) ou ser uma mistura de ambos.

A maioria dos hemangiomas se situa na face e no pescoço, aparece como uma lesão vermelha ou arroxeada saliente na pele ou como um tumor saliente de vasos sanguíneos, mas pode aparecer em órgãos como o fígado, baço, pâncreas, boca e bolsas sinoviais.

Os hemangiomas podem estar presentes desde o nascimento ou surgir nos primeiros meses de vida.

Muitos hemangiomas superficiais podem ser diagnosticados clinicamente através de um exame físico direto, pela simples inspeção local.

Nos mais profundos ou combinados, pode-se fazer o diagnóstico por meio de uma tomografia computadorizada ou de uma ressonância magnética, às vezes, realizadas por outros motivos, já que em muitas ocasiões eles são assintomáticos.

Frequentemente os hemangiomas estão associados com outras condições patológicas, geralmente raras, também genéticas ou congênitas.

Nesses casos, outros exames podem ser necessários para diagnosticar essas patologias.

Os hemangiomas superficiais muitas vezes não têm repercussão clínica e incomodam mais como problema estético. Muitas vezes desaparecem por si próprios, deixando a pele normal ou com pequenas manchas.

Em algumas situações podem ser usados os raios laser para removê-los. O tratamento dos hemangiomas também pode ser feito com corticoides, escleroterapia (injeção de determinados medicamentos dentro de um capilar ou veia para destruí-la), cirurgia para remover pequenos tumores ou tratar o crescimento anormal do hemangioma.

Atualmente estão sendo tentados outros tratamentos físicos e medicamentosos. Quando ele ocorre em órgãos internos de bebês, pode provocar complicações que demandam cirurgia.

Quando o hemangioma incide no bebê ele geralmente tende a crescer durante o primeiro ano de vida, tornando-se elevado e esponjoso e depois passa a regredir, até desaparecer.

Inicialmente um hemangioma começa sendo rosado, evoluindo com o tempo para vermelho e vermelho escuro.

Alguns hemangiomas pequenos e superficiais normalmente desaparecem sozinhos.

A perda excessiva de sangue de um hemangioma pode ser fatal, se ele for volumoso.

A complicação mais temível dos hemangiomas é o sangramento diante de traumas mínimos.

Alguns hemangiomas, dependendo de sua localização e volume, podem interferir com a visão, respiração, alimentação e outras funções vitais.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses