Corrupção sob o ponto de vista da psiquiatria


A evolução cuidou de desenvolver, na nossa espécie, áreas cerebrais responsáveis pelo caráter que permite o desenvolvimento do que chamamos de senso ético. Sem este processo a vida em sociedade não seria possível.

Político corrupto, empresário corrupto, empreiteiro poderoso, cuja única ambição é dinheiro e poder, são deficientes de caráter, atrasados na evolução da espécie!

Corrupção é a falta de senso ético! O senso ético é a capacidade que os ser humano tem de seguir as regras de boa conduta e de respeitar os outros. De se importar com os demais e ter sentimentos altruístas. Pode variar conforme a cultura, mas tem sempre um sentido comum em qualquer sociedade, que é, justamente, o bem comum e a condenação do contrário.

Corrupto é sujeito atrasado no sentido evolutivo da espécie humana e, defeituoso do ponto de vista cerebral. É aberração!

O ser humano é um ser social por excelência, ou seja, vive para o bem comum. É assim que anos de evolução talharam o ser humano. Ao longo da escala zoológica, observamos uma incapacidade do indivíduo bastar-se a si mesmo e uma maior necessidade do outro, de vida social e de ajuda mútua.

Caráter, então, refere-se às tendências da personalidade relacionadas aos sentimentos e atitudes do sujeito frente à sociedade. Essas são tendências inatas e configuradas pela sociedade, que, por sua vez, vai permitir ao sujeito a expressão do senso ético próprio de sua cultura.

Estudos já confirmam que a moral não depende apenas da cultura e faz parte da natureza humana.

Desde WELT (1888), e KLEIST (1931), sabe-se que o sujeito deficiente de caráter é um enfermo orbitário, vítima de alguma malformação ou disfunção orbitária. Essas áreas, que atingem, no homem, o seu máximo desenvolvimento, são áreas cerebrais de maturação mais tardia em relação a outras áreas. Integram as várias informações.

Relacionam-se com funções do pensamento abstrato e simbólico. Desempenham papel fundamental na formação de intenções e programas, funções estas relacionadas com o planejamento do futuro.

Vários pesquisadores, entre eles Antônio Damásio, Marc Hauser e Adrian Raine, apresentam pesquisas, utilizando-se de PET scan demonstrando diminuição no volume da substância cinzenta destas áreas pré-frontais.

Nem todos os psicopatas (sujeitos com deficiências graves de caráter) acabam na prisão. Alguns alcançam altos cargos nas corporações e têm uma ascensão extremamente rápida.

O assim chamado psicopata corporativo prospera rapidamente no caos organizacional de algumas empresas e corporações.

A prevalência de psicopatas em corporações ainda não foi estimada estatisticamente, mas estima-se que as tendências à manipulação e à desonestidade sejam freqüentes. Os estudos em empresas sugeriram que 15% de executivos superiores deturpam seu grau de instrução, e um terço de todos os currículos contêm informações falsas.

O grande estudioso destas questões é o Dr. Babiak que tem seus estudos disponíveis no endereço: http://www.lifepsych.com/linksworkarticle01psychopath.htm)

Enfim, corrupção é falta de caráter!

• Sujeitos com deficiência de caráter são insensíveis às necessidades dos outros, condição que obedece a um espectro de manifestação: do sujeito ambicioso até o pior dos perversos cruéis.

• Na formação cerebral, processos responsáveis pelas funções da sociabilidade, não se estruturam de forma adequada nestes sujeitos.

Corrupto é sujeito atrasado do ponto de vista da evolução social e defeituoso do ponto de vista cerebral. É aberração no sentido evolutivo.

Caráter, que integra as funções da sociabilidade, é o nosso melhor atributo, faz-nos ter vontade de seguir em frente com nossos projetos, nos sacrificarmos por aquilo em que acreditamos e nos solidarizarmos com pessoas, grupos e causas sociais.

Enfim, é o que dá sentido à nossa existência e nos torna humanos.

O sujeito, com defeito das funções da sociabilidade, vive apenas para satisfazer as suas próprias necessidades.

O que fazer?

Matar corrupto não pode, mas podemos ter mais consciência social e política. E qual a importância disso?

O sujeito com defeito de caráter só vai agir se encontrar as condições para tal. Ele é mau caráter e não é burro, no sentido chulo da expressão. Ele vai escolher o local e as condições apropriadas para satisfazer o seu desejo egoísta. Através da boa educação e das condições sociais decentes na comunidade, o sujeito não vai fazer nada que possa vir a prejudicar alguém se essa atitude for lhe causar uma pena ou um prejuízo pessoal. Ele vai até tentar arriscar, mas, se não houver impunidade, a atuação dele vai ser bem mais restrita.

Então não depende só da família se esforçar por oferecer uma boa educação para os seus filhos, a comunidade tem que ser séria e não tolerar nenhum desvio do comportamento e das regras da boa convivência social.

*Dra Hilda Morana é psiquiatra forense e uma das maiores autoridades em estudos de psicopatas do Brasil e do mundo, com diversas publicações nacionais e internacionais

Fonte: Psychiatry on line Brasil
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses