Rabdomiólise... O que é isso?


A rabdomiólise é a morte (lise) das fibras musculares devido a uma lesão muscular direta ou indireta, com liberação do conteúdo das fibras para a corrente sanguínea. Essas lesões se devem a fatores físicos, químicos ou biológicos. Trata-se de uma síndrome grave, que conduz a diversas complicações e que, em casos raros, pode até causar a morte. A doença e seus mecanismos foram elucidados pela primeira vez depois da Blitzkrieg (bombardeio alemão) de Londres em 1941.

Existem muitas causas de rabdomiólise. Mais comumente ela acontece durante grandes injúrias musculares como as que costumam ocorrer em desabamentos, terremotos ou acidentes automobilísticos, por exemplo, mas que também podem acontecer em outras situações como o uso de álcool ou de drogas ilegais, tensão muscular extrema, outras lesões por esmagamento, compressão muscular duradoura, uso de certos medicamentos, choque elétrico, queda de raio, grandes queimaduras, temperatura corporal muito alta, cetoacidose, algumas miopatias, infecções virais ou bacterianas e história anterior de rabdomiólise.

O exercício físico extenuante, realizado em condições de muito calor e alta umidade em pessoas com hidratação inadequada também pode resultar em rabdomiólise.

Na rabdomiólise a destruição dos músculos ocasiona a liberação de produtos nocivos das fibras musculares na corrente sanguínea, os quais afetam todo o organismo, sobretudo os rins.

Alguns deles, como a mioglobina, por exemplo, uma proteína relacionada à hemoglobina, podem causar complicações graves, como a insuficiência renal aguda. A hemoglobina transporta o oxigênio da periferia para os pulmões, retirando-o dos músculos. Já a mioglobina, ao contrário, armazena-o nos músculos.

Pode ser difícil de identificar os sinais e sintomas da rabdomiólise porque eles são muito variáveis e podem ocorrer numa área específica do corpo ou afetar o corpo todo.

Os sinais e sintomas mais comuns são dor muscular, especialmente nos ombros, coxas ou região inferior das costas, fraqueza muscular nos braços ou pernas, dor abdominal, náuseas e/ou vômitos, febre, aumento da frequência cardíaca, confusão, desidratação, perda da consciência, urina vermelho escuro ou marrom, urina reduzida ou nenhuma produção de urina.

A tríade sintomatológica clássica, que primeiro chama a atenção para pensar na doença, é composta por:

1.Mialgia (dores nusculares)
2.Fraqueza muscular
3.Urina escura

Além dos sintomas, a rabdomiólise somente pode ser diagnosticada através de valores aumentados no sangue de enzimas que normalmente existem nos músculos, como a creatino-quinase, a mioglobina e o lactato desidrogenase.

Além deles, devem ser medidos também os níveis de cálcio e potássio no sangue e de creatinina no sangue e na urina, que indicam se há ou não danos aos rins. Outros exames de urina também ajudarão a confirmar o diagnóstico. A presença de mioglobina na urina é uma indicação importante da rabdomiólise. Em virtude da presença da mioglobina na urina, liberada pelos rins em grande quantidade, a urina se torna vermelho-castanha.

No exame físico, o médico deve analisar as partes doloridas dos músculos maiores do corpo, para ver se o tecido muscular exibe sinais de ter morrido.

Esta enfermidade sempre requer atendimento médico imediato. O tratamento dependerá do quadro clínico. As formas graves demandam hidratação endovenosa para aumentar a velocidade de eliminação renal dos produtos nocivos liberados pelo músculo lesionado. O fluido de reposição deve conter bicarbonato para ajudar a combater o ácido no sangue devido à lesão muscular. O bicarbonato também ajuda a eliminar a mioglobina dos rins.

Se o paciente apresentar elevação do potássio, seus níveis devem ser prontamente baixados para evitar arritmias. Medicamentos à base de bicarbonato e diuréticos podem ser convenientes. Os níveis de potássio e cálcio podem ser corrigidos por reposição venosa. Quadros de insuficiência renal grave podem precisar temporariamente de hemodiálise.

O curso da rabdomiólise varia, dependendo de sua causa. Embora seja uma condição séria, o tratamento imediato muitas vezes traz um bom resultado. Nos casos mais simples da doença, apenas ocorrem elevações assintomáticas das enzimas e, nos mais graves, com risco de vida, acontecem elevações extremas de enzimas, desequilíbrio eletrolítico e lesão renal aguda.

As complicações podem ocorrer tanto nas fases iniciais como nas fases posteriores da doença. A lise das fibras musculares pode conduzir a complicações tais como insuficiência renal, quando os rins não conseguem remover os resíduos que se concentraram na urina. Essa é, de fato, a complicação mais temida da rabdomiólise.

Outras complicações podem provir do desequilíbrio eletrolítico, que pode causar disritmias e danificar as células de vários órgãos. Inflamações hepáticas e coagulação intravascular disseminada também são complicações possíveis da rabdomiólise.

Por fim, a rabdomiólise pode causar inchaço dentro dos músculos e pressão nas fáscias em torno deles, o que pode interromper o fornecimento de sangue para os músculos e destruir permanentemente o tecido muscular.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses