Hemoglobina glicosilada ou glicada


A hemoglobina (Hb) é uma proteína normalmente presente nas hemácias (glóbulos vermelhos do sangue), cuja função é transportar oxigênio para os tecidos. Hemoglobina glicosilada ou glicada (HbA1c) é a fração da hemoglobina que se liga à glicose que ela incorpora a partir do sangue. Assim, quanto mais altas as taxas de glicose livre no sangue, maiores os valores da hemoglobina glicosilada.

A função da hemoglobina é transportar oxigênio no sistema circulatório para os tecidos.

Durante o período de vida da hemácia, a hemoglobina vai incorporando glicose, em função da concentração de açúcar livre no sangue.

Dessa forma, o exame de hemoglobina glicosilada consegue mostrar uma média das concentrações de glicose em nosso sangue durante aproximadamente sessenta a noventa dias, diferentemente da glicemia de jejum, que mede as concentrações de glicose no sangue apenas no momento da coleta.

A hemoglobina glicosilada é, então, um parâmetro a mais, além da glicemia de jejum e da curva glicêmica, que permite avaliar os níveis de glicose circulantes, com a vantagem de refletir a concentração média de glicose em um tempo mais prolongado.

Não é necessário nenhum tipo de preparo para fazer o exame de hemoglobina glicosilada. A pessoa pode comer ou beber naturalmente.

É colhida uma amostra de sangue, por meio de uma punção venosa, normalmente a mesma amostra que servirá para outros exames e que será analisada por meio de equipamentos automatizados. Se o exame for único, pode ser feito em uma gota de sangue obtida por uma lanceta de perfuração na polpa de um dedo.

Não existem contraindicações para a realização do exame de hemoglobina glicosilada, podendo ser feito por qualquer pessoa. Normalmente o resultado já pode ser dado uma hora após a realização da coleta do sangue.

O exame da hemoglobina glicosilada é usado para diagnosticar e monitorar o controle mais em longo prazo do diabetes mellitus tipo 1 e tipo 2, mas ele também pode ser pedido como parte do checkup normal de uma consulta, porque o diabetes pode permanecer assintomático por muito tempo.

Em casos mais raros, a hemoglobina glicosilada pode ser pedida para fazer o diagnóstico de anemia ou baixas contagens de hemoglobina ou de uma hipoglicemia.

O nível de hemoglobina glicosilada é aumentado nas células vermelhas do sangue de pessoas com diabetes mellitus mal controlado.

Uma vez que a glicose permanece ligada à hemoglobina por toda a vida da célula vermelha do sangue, normalmente entre 90 e 120 dias, o nível da hemoglobina glicosilada reflete o nível médio de glicose no sangue durante os últimos três meses.

Enquanto os resultados da glicemia de jejum podem oscilar de um momento para outro, dependendo de fatores como a prática de atividade física ou o uso de medicações que o paciente esteja tomando, além do fato de que alguns indivíduos podem apresentar glicemia de jejum normal e ter picos hiperglicêmicos em outros instantes, o exame de hemoglobina glicosilada mostra a concentração média de glicose no sangue de uma pessoa durante um longo período.

Alguns outros motivos podem justificar o pedido da hemoglobina glicosilada:

•Glicemia de jejum acima do normal.
•Urinar várias vezes ao dia.
•Sede intensa.
•Perda de peso apesar da ingestão normal de alimentos.
•Desidratação.
•Tonteiras.
•Mal-estar.
•Fome intensa.
•Parente direto com diabetes mellitus.

Os valores de referência da hemoglobina glicosilada são diferentes se o paciente é ou não diabético. Para alguém que não seja diabético os níveis normais podem variar de 4,5 a 5,6%.

Um resultado entre 5,7 e 6,4% é considerado como pré-diabetes.

Níveis superiores a 6,5%, obtidos em dois testes separados, indicam diabetes mellitus.

Para pessoas que sejam diabéticas, níveis de hemoglobina glicosilada entre 6,5 e 7,0% são considerados como indicativo de um bom controle da doença e de que o tratamento que vem sendo feito deve ser continuado.

Se a medida estiver acima desse valor, indicam mau controle da doença e é recomendável uma mudança no plano de tratamento.

Níveis acima de 12% indicam um controle muito pobre. Quanto mais elevado o nível de hemoglobina glicosilada, maior será o risco de o paciente ter complicações.

O exame da hemoglobina glicosilada pode ser falseado em algumas condições:

•Sangramento intenso ou crônico.
•Ferro insuficiente na corrente sanguínea.
•Presença de uma variante de hemoglobina A.
•Transfusão de sangue recente.
•Portador de anemia hemolítica.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses