Tratamento farmacológico da hipertensão em adultos com 60 anos ou mais: controle severo ou menos intenso da pressão arterial?


O American College of Physicians (ACP) e a American Academy of Family Physicians (AAFP) desenvolveram conjuntamente esta diretriz para apresentar as evidências e fornecer recomendações clínicas baseadas nos benefícios e danos de se alcançar alvos mais altos ou mais baixos de pressão arterial com o tratamento da hipertensão em adultos com 60 anos ou mais de idade.

Esta diretriz baseia-se numa revisão sistemática de ensaios clínicos aleatórios e controlados de efeitos primários publicados e estudos observacionais de danos apenas (identificados através das bases de dados EMBASE, Cochrane, MEDLINE e ClinicalTrials.gov), desde a sua criação até janeiro de 2015. A pesquisa MEDLINE foi atualizada até setembro de 2016.

Os resultados avaliados incluíram mortalidade por todas as causas, morbidade e mortalidade relacionadas com acidente vascular cerebral (AVC), principais eventos cardíacos (infarto do miocárdio fatal e não fatal e morte cardíaca súbita) e danos. Esta diretriz classifica as evidências e recomendações usando o método GRADE (Grading of Recommendations Assessment, Development, and Evaluation).

As atuais recomendações são:

Recomendação 1:

A ACP e a AAFP recomendam que os clínicos iniciem o tratamento em adultos com 60 anos ou mais com pressão arterial sistólica persistentemente igual ou superior a 150 mmHg para atingir uma pressão arterial sistólica alvo inferior a 150 mmHg com o objetivo de reduzir o risco de mortalidade, acidente vascular cerebral e eventos cardíacos. (Grau: recomendação forte, evidência de alta qualidade). Recomenda-se que os médicos selecionem os objetivos do tratamento para adultos com 60 anos ou mais, com base em uma discussão periódica dos benefícios e danos de alvos específicos de pressão arterial com o paciente.

Recomendação 2:

A ACP e a AAFP recomendam que os clínicos considerem iniciar ou intensificar o tratamento farmacológico em adultos com idade igual ou superior a 60 anos com história de acidente vascular cerebral ou ataque isquêmico transitório para atingir uma pressão arterial sistólica de menos de 140 mmHg para reduzir o risco de AVC recorrente. (Grau: recomendação fraca, evidência de qualidade moderada). Recomenda-se que os médicos selecionem os objetivos do tratamento para adultos com 60 anos ou mais, com base em uma discussão periódica dos benefícios e danos de alvos específicos de pressão arterial com o paciente.

Recomendação 3:

A ACP e a AAFP recomendam que os clínicos considerem iniciar ou intensificar o tratamento farmacológico em alguns adultos de 60 anos ou mais de alto risco cardiovascular, com base na avaliação individualizada, para atingir uma pressão arterial sistólica de menos de 140 mmHg para reduzir o risco de AVC ou de eventos cardíacos. (Grau: recomendação fraca, evidência de baixa qualidade). Recomenda-se que os médicos selecionem os objetivos do tratamento para adultos com 60 anos ou mais, com base em uma discussão periódica dos benefícios e danos de alvos específicos de pressão arterial com o paciente.



Fonte: Annals of Internal Medicine, em 17 de janeiro de 2017
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses