Mastoidite


A mastoidite é uma infecção bacteriana localizada no processo mastoide, uma proeminência do osso temporal, situada atrás da orelha. O osso mastoide consiste em espaços aéreos que ajudam a drenar o ouvido médio.

Comumente, este distúrbio ocorre quando uma otite média aguda não tratada ou tratada de modo inadequado dissemina-se do ouvido médio até o osso temporal circunjacente e atinge o processo mastoide. Bactérias do ouvido médio podem viajar para as células de ar do osso mastoide, infectando-as.

Além disso, um tipo de cisto cutâneo no ouvido médio, chamado colesteatoma, pode bloquear a drenagem da orelha, levando à mastoidite. Ela pode resultar também de uma linfoadenopatia infecciosa.

Tipicamente, a mastoidite afeta crianças, mas os adultos também podem ser acometidos. A mastoidite pode ser aguda ou crônica. A infecção aguda pode se espalhar para fora do osso mastoide e causar complicações graves. A forma crônica é uma infecção contínua do ouvido médio e do processo mastoide que provoca drenagem persistente do ouvido.

Os sintomas da mastoidite manifestam-se duas ou mais semanas após uma otite média aguda. Estes sintomas (sobretudo na mastoidite aguda) podem incluir febre, irritabilidade, letargia, inchaço do lóbulo da orelha, vermelhidão, sensibilidade atrás da orelha e drenagem do ouvido. Pode ocorrer também a formação de um abscesso no osso.

A pele que recobre o processo mastoide pode tornar-se hiperemiada, inflamada e dolorosa e o ouvido externo pode ser deslocado para o lado e para baixo. A drenagem pode exibir uma secreção cremosa e abundante do ouvido.

O diagnóstico de mastoidite pode ser feito pelos sinais e sintomas e confirmado por testes como exames de sangue que detectem infecção por meio da contagem de glóbulos brancos, radiografia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética do ouvido e cabeça.

Uma punção lombar está indicada se houver suspeita de que a infecção tenha contaminado a medula espinhal. A tomografia computadorizada revela que os espaços no osso que normalmente contêm ar estão cheios de líquido. Uma amostra da secreção pode ser examinada para a identificação do microrganismo responsável pela infecção e orientar o tratamento.

Inicialmente, o tratamento da mastoidite aguda deve ser feito com antibióticos por via venosa em doses relativamente elevadas. (Isso pode implicar que o paciente tenha que tomar essa medicação no hospital). Depois dessa fase inicial, o paciente deve continuar tomando antibióticos orais em casa por vários dias.

Se a infecção não ceder com antibióticos, uma cirurgia pode ser necessária. A cirurgia pode envolver a remoção de parte do osso mastoide para drenar a infecção. Os médicos também podem precisar drenar o ouvido médio.

A mastoidite é uma condição potencialmente fatal, pela possibilidade de disseminação da infecção, mas é incomum que isso ocorra.

A mastoidite pode ser prevenida por meio do pronto e correto tratamento da otite.

Se o tratamento não for eficaz ou se a infecção não for debelada antes de danificar o osso mastoide, podem ocorrer graves problemas de saúde: vertigens, paralisia facial, perda de audição, meningite, abscesso peridural e disseminação da infecção.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses