Terapia Ocupacional: um pouco sobre ela.


A terapia ocupacional, ou praxiterapia, é uma das profissões mais recentes e, por isso, ainda pouco difundida, embora seja leiga e informalmente muito praticada.

Ela é uma ciência da saúde que emprega atividades de trabalho e lazer no tratamento de distúrbios físicos ou mentais e de desajustes emocionais e sociais, visando promover a autonomia de indivíduos com dificuldades físicas ou mentais de integrar-se à vida social.

Também faz a avaliação dessas atividades.

No Brasil, a profissão foi regulamentada em 1969.

O terapeuta ocupacional é um profissional da área da saúde, de nível superior. Ele pode atuar através da prevenção, habilitação ou reabilitação.

Os terapeutas ocupacionais utilizam a atividade não só no sentido "ocupar" e "fazer", mas como recurso terapêutico estruturado, o que depende de minuciosas e complexas técnicas.

Os principais campos de trabalho do terapeuta ocupacional incluem clínicas, casas de repouso, hospitais, instituições geriátricas, psiquiátricas e penais, centros de reabilitação, creches e empresas.

Além disso, o profissional está habilitado a prestar atendimento aos pacientes em domicílio, podendo atuar individualmente ou em grupos.

No campo da educação, o terapeuta ocupacional pode acompanhar o desenvolvimento de crianças com problemas psicomotores ou de aprendizagem e promover a inclusão de crianças com deficiência nas escolas de ensino regular.

Na gerontologia pode atuar na reabilitação e na reintegração social de idosos. Na psiquiatria e saúde mental ajuda a tratar de portadores de distúrbios psíquicos.

Na reabilitação funcional e profissional promove o restabelecimento de vítimas de acidentes ou de doenças do trabalho e presta assistência aos portadores de deficiência física. Ajuda na reintegração à sociedade de viciados em drogas, menores infratores ou carentes, etc.

Todas as pessoas que possuem uma disfunção ocupacional nas suas atividades de trabalho, lazer e auto-cuidado são passíveis de obter ganhos através da terapia ocupacional.

Também escolares com problemas psicomotores, idosos com problemas de incapacidade ou de integração social, portadores de distúrbios psíquicos, profissionais que demandam reabilitação funcional, vítimas de acidentes ou de doenças do trabalho, portadores de deficiência física, viciados em drogas, menores infratores ou carentes, etc. são todos possíveis alvos da terapia ocupacional.

Ela também pode beneficiar pessoas com disfunções devidas a doenças ou ao trabalho e condições pediátricas incapacitantes.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses