Emagrecimento involuntário



Se você está perdendo peso intencionalmente porque está fazendo uma dieta, se dedicando a mais exercícios físicos ou até mesmo tomando remédios com esta finalidade, a resposta é óbvia.

Se, por outro lado, a perda de peso é involuntária e de causa desconhecida, ela merece ser investigada.

A princípio você pode nem notar que está perdendo peso e a observação inicial pode partir de outras pessoas.

Mas pode ser que você mesmo esteja percebendo o fato, seja porque suas roupas estejam ficando mais folgadas, seja porque o espelho ou a balança estejam lhe mostrando evidências desse emagrecimento.

A perda involuntária de peso pode ocorrer após uma perda de apetite devido a causas emocionais ou físicas ou mesmo se você está consumindo a mesma quantidade de calorias que de costume. Seja como for, ela deve ser motivo de preocupação e investigação.

Por que será?

A perda de peso involuntária pode ser extremamente perturbadora, especialmente quando você perde uma quantidade significativa de peso, sem saber o porquê.

No entanto, mesmo podendo ser um sinal de doença grave, ela também pode ser algo bem simples, como a diminuição do apetite em resposta a uma situação estressante.

A perda de peso não intencional é mais prevalente em pessoas com condições médicas pré-existentes. Frequentemente ela é o resultado de uma condição médica crônica subjacente.

Algumas pessoas que mostram este sintoma sofrem de doenças crônicas, chamadas às vezes de doenças consumptivas, incluindo, entre outras, o câncer, a AIDS e a depressão. No entanto, doenças de curto prazo, como a gripe ou o resfriado comum também podem levar à diminuição do peso.

As causas mais simples e mais comuns de perda de peso não intencional incluem depressão, diarreia, úlceras orais e infecções virais. Outras causas mais sérias e menos comuns incluem o câncer, o hipertireoidismo, infecções abdominais, gastroenterite, demência, doença celíaca e AIDS.

A perda de peso também pode ser o resultado de um transtorno alimentar, como a anorexia mental ou bulimia, por exemplo.

As consequências da perda de peso variam muito, dependendo do que a causou. Você pode notar que as roupas estão mais folgadas em seu corpo ou notar alguma mudança em sua aparência ou na forma de seu rosto. Algumas pessoas não se dão conta de estarem perdendo peso até que subam em uma balança.

As perdas de peso devidas a uma doença subjacente ocorrem juntamente com outros sinas e sintomas, como febre, perda de apetite, desconforto ou dor abdominal, diarreia ou constipação intestinal.

Certos medicamentos podem causar perda de peso, alguns tendo isso por objetivo, outros como efeito colateral indesejado. Quando a perda de peso se deve a um estresse emocional, a pessoa retorna ao peso normal quando o tenha ultrapassado. Aconselhamento e apoio psicológicos podem ser necessários para ajudar a chegar a esta fase de reequilíbrio.

Quando devida a uma doença, a recuperação ou não do peso depende da evolução da causa e das medidas adotadas no tratamento.

Algumas pessoas perdem peso com muita celeridade; outras, mais lentamente. Isso se deve, em parte, à natureza das condições subjacentes e ao metabolismo de cada indivíduo.

A perda de peso por períodos muito prolongados pode levar à desnutrição, quando não se está consumindo uma quantidade adequada de nutrientes. Geralmente ela se faz acompanhar de anemia, com deficiência de ferro e de vitamina B. Em casos graves, como na anorexia mental, a perda de peso pode ter repercussões fisiológicas intensas e mesmo letais.

Quando a perda de peso é conseguida voluntariamente, em esforços para emagrecer, ela é recebida com comemoração e euforia.




Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses