Fisioterapia pélvica em crianças ajuda a melhorar a constipação funcional


A constipação funcional (CF) é um problema comum na infância muitas vezes relacionada à disfunção muscular do assoalho pélvico. Pesquisadores holandeses compararam a eficácia da fisioterapia pélvica (FP) versus cuidados médicos padrão (CMP) em crianças com constipação funcional (CF).

Foi realizado um estudo multicêntrico, randomizado e controlado, com 53 crianças (5-16 anos de idade) com constipação intestinal definida pelos critérios de Roma III, em hospitais da Holanda, de dezembro de 2009 a maio de 2014. Cuidados médicos padrão (CMP) consistiam em educação, treinamento para usar o banheiro e uso de laxantes (n=26), enquanto a fisioterapia pélvica incluía os CMP além de intervenções fisioterapêuticas específicas (n=27).

Os resultados foram obtidos a partir de relatórios escritos por pediatras e pais dos pacientes. O desfecho primário foi a ausência de CF, de acordo com os critérios de Roma III, após um período de acompanhamento de seis meses. Os desfechos secundários foram os efeitos globais percebidos (variando de 1 a 9, com sucesso definido como pontuação ≥ 8), escalas de avaliações numéricas da qualidade de vida (pai e filho; escala 1-10) e pontos fortes e dificuldades no questionário.

O tratamento foi eficaz para 92,3% das crianças que receberam FP e 63% das crianças que receberam CMP.

Significativamente mais crianças submetidas à FP pararam de usar laxantes.

O sucesso do tratamento (com base no efeito percebido global) foi alcançado por 88,5% dos indivíduos que receberam FP versus 33,3% dos indivíduos que receberam CMP.

A FP também produziu maiores diferenças médias ajustadas, antes versus após o tratamento, nas escalas numéricas para avaliar a qualidade de vida: um aumento de 1,8 ponto para os pais e 2,0 pontos para as crianças.

Os resultados dos pontos fortes e dificuldades apresentadas no questionário não diferiram significativamente entre os grupos.

Concluiu-se que neste estudo controlado, randomizado, de crianças com CF, a fisioterapia pélvica foi mais eficaz do que os cuidados médicos padrão em todos os resultados medidos, com exceção dos resultados dos pontos fortes e dificuldades apresentadas no questionário.

A FP deve ser considerada como uma opção de tratamento para a CF em crianças de 5 a 16 anos de idade.



Fonte: Gastroenterology, publicação online, de 17 de setembro de 2016
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses