Entenda um pouco sobre a "artrose"


Artrose é uma doença degenerativa das articulações nas quais as cartilagens que revestem os ossos em suas junções são corroídas, parcial ou totalmente, ao longo do tempo. Essa corrosão, se muito extensa ou total, permite um contato direto entre os ossos, gerando os sintomas próprios da enfermidade.

A artrose é causada por desgaste progressivo das cartilagens que recobrem as extremidades ósseas, motivado pelo uso frequente das articulações. Esse desgaste aumenta com a idade e é maior se a articulação é constantemente submetida a esforços excessivos. Outros fatores facilitam a eclosão do problema: idade avançada, obesidade, fatores genéticos, desequilíbrios hormonais e uso repetitivo da articulação.

Nem sempre a superfície articular da cartilagem consegue suportar indenemente e por longo tempo a tensão mecânica a que é submetida, sofrendo assim um desgaste progressivo. Se a cartilagem articular se desgasta num ritmo que excede o de reposição ou se há alguma doença que afeta o tecido cartilaginoso, a cartilagem será corroída.

Enfraquecida, a cartilagem pode se romper em pedaços e fragmentos dela podem flutuar no espaço intra-articular. Com o desgaste da cartilagem, o tecido ósseo fica sujeito ao mesmo desgaste, mas não tem a mesma capacidade regenerativa do tecido cartilaginoso, sendo destruído com o tempo. Desde que a cartilagem seja bem lubrificada com líquido sinovial, normalmente não há ruído na articulação. No entanto, com a ocorrência da artrose, a suavidade dos movimentos deixa de existir e o movimento é dificultado, dando origem a um som áspero.

A artrose desenvolve-se com maior frequência em pessoas que executam trabalho físico pesado ou naquelas que exigem muito de suas articulações, como os atletas, por exemplo. A artrose também pode acontecer com mais probabilidade em pessoas que trabalham agachadas ou ajoelhadas.

O desgaste das cartilagens diminui o espaço entre os ossos que se articulam e quando é completo pode mesmo permitir um contado direto entre eles. Quando ocorre na coluna, verifica-se uma diminuição dos espaços entre as vértebras, com uma possível compressão das raízes nervosas que emergem dos ossos.

Os sintomas da artrose desenvolvem-se muito lentamente e as fases iniciais podem mesmo ser sem sintomas e passarem despercebidas por um longo período de tempo. Porém, quando os sintomas começam, eles tendem a piorar gradualmente.

A artrose pode afetar qualquer articulação, mas é mais comum nos joelhos, quadris, mãos e coluna vertebral. A artrose pode causar dor, tipicamente limitada à articulação afetada. Pode ser pior durante e depois de uma sobrecarga da articulação e geralmente não é acompanhada por inchaço, como ocorre, por exemplo, na artrite. O repouso muitas vezes alivia a dor.

Outro sintoma da artrose é a rigidez da articulação. Ela é mais proeminente pela manhã, ao acordar e após longos períodos de inatividade. Movimentar-se pode aliviar a rigidez, mas o excesso de movimento acaba por causar dor. Mesmo quando a rigidez permite alguma flexibilização, a gama normal de movimentos não é a mesma da articulação normal e tende a piorar com o tempo, à medida que a doença progride.

Um som de “estalo”, como um encaixe, pode ser ouvido à medida que a doença progride. Os osteófitos podem ser sentidos através da pele como nódulos duros.

O tratamento da artrose visa, sobretudo, o alívio da dor e a redução da pressão sobre as articulações.

Algumas formas de terapias com calor e banhos medicinais podem aliviar a dor.

Outras terapias, como injeções de cortisona ou de óleos lubrificantes nas articulações, e até mesmo a substituição das articulações por próteses são reservados para casos graves.

A fisioterapia pode melhorar a mobilidade, mesmo que transitoriamente.

A acupuntura é muito útil para o alívio dos sintomas e redução do ritmo de evolução.

A prescrição de condroitina e glucosamina, assim como de colágenos, tem sido muito comum e há quem diga que auxilia a "lubrificar" as articulações, reduzindo, também o ritmo de deterioração articular.

Se a artrose foi causada pelo trabalho, esporte ou lazer, um terapeuta ocupacional pode ajudar a evitar danos adicionais. Aparelhos, talas ou palmilhas podem ajudar a aliviar a pressão sobre as articulações danificadas.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses