Clareamento dos dentes


O clareamento dental é constituído por técnicas adotadas pelos dentistas para clarear (tornar mais brancos) os dentes anteriormente manchados ou escurecidos.

Os dentes não são, por natureza, perfeitamente brancos, mas a maioria das pessoas acredita que podem torná-los mais brancos que naturalmente. Eles escurecem ou mancham em virtude de certas comidas, bebidas e alimentos como café, chá, vinho, isotônicos, remédios e cigarros. Com o passar do tempo, os dentes vão incorporando pigmentos e vão amarelando com a idade.

Há diferentes maneiras de remover manchas ou clarear os dentes, deixando-os mais brancos. O clareamento caseiro pode ser feito com kits contendo tubetes de substâncias clareadoras que devem ser usados conforme recomendações do dentista. O clareamento caseiro consiste no uso de uma moldeira de silicone que deverá ser preenchida com um gel que contém a substância clareadora, usada todos os dias, durante três a quatro semanas. Embora este seja o método de preferência de muitos dentistas, ele exige do paciente disciplina para o uso diário e por um período longo.

Fumar e consumir excessivamente bebidas e alimentos com muitos pigmentos pode diminuir a eficácia do tratamento. Há também os clareamentos profissionais que utilizam agentes clareadores em concentrações mais elevadas e que produzem resultados mais rápidos. É possível associar o clareamento profissional ao clareamento caseiro, para um maior sucesso do tratamento.

O procedimento conduzido por um profissional pode ser realizado no consultório. São necessárias duas ou três sessões, uma por semana, mas já dá para sentir os resultados na primeira aplicação. O laser também pode ser associado a esses recursos. Embora o tratamento tenha ficado conhecido como “clareamento a laser”, o procedimento também pode ser realizado com luzes de LED.

Alguns alimentos são proibidos durante o tratamento porque os dentes ficam mais permeáveis e, dessa forma, a chance de absorver os pigmentos é maior. Não se deve ingerir suco de uva, vinho tinto, refrigerantes à base de cola, café, chás, beterraba dentre outros. Também não se deve usar nicotina, pois ela amarela os dentes. Nem sempre os dentes ficam inteiramente brancos após o tratamento, sobretudo se a matriz do dente, que não pode ser mudada, não for exatamente branca.

O tratamento é contraindicado em alguns casos: se a pessoa já tem muita sensibilidade na gengiva, se a pessoa tem muitas restaurações ou manchas causadas pelo uso do antibiótico, gestantes e menores de 16 anos.

Os resultados do clareamento duram, em média, de um a dois anos, independentemente do método utilizado. Para fazê-los durar o maior tempo possível, é preciso manter uma boa higiene bucal além de evitar cigarro e alimentos que escureçam os dentes, como açaí, chocolate, ketchup, molho de soja e outros.

Escovar regularmente os dentes, passar fio dental e utilizar um enxaguatório bucal adequado são ótimas formas de prevenir que os dentes se tornem amarelados e manchados. Certos alimentos (maçãs, peras, aipo, cenouras, couve-flor e pepino, por exemplo) ajudam a manter os dentes limpos e a eliminar bactérias, contribuindo para manter os dentes brancos. Utilizar um canudo ao tomar certas bebidas mantém os pigmentos longe dos dentes, evitando manchá-los.

O branqueamento a laser pode, eventualmente, ocasionar um aumento de sensibilidade durante o tratamento. Algumas pessoas sentem incômodo ou dor durante o uso de substâncias clareadoras.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses