Artrose de coluna vertebral


As articulações são encontros de ossos encerrados no interior de bolsas fibrosas (cápsulas articulares) e que têm as suas extremidades protegidas por cartilagens, as quais permitem movimentos suaves nas três dimensões, bem como movimentos rotativos. Quando essas cartilagens se degeneram, os ossos sofrem atritos parciais ou totais entre si e experimentam excrecências ósseas (osteófitos) e desgastes, que constituem a artrose (grego: arthros=junta, articulação + ose=doença).

A artrose da coluna vertebral, que pode afetar toda a coluna ou somente uma parte dela (cervical, dorsal ou lombar), é a degeneração da cartilagem das articulações entre as vértebras, reduzindo a espessura dos acolchoados fibrosos que existem entre elas, chamados de “discos intervertebrais”.

O alargamento da estrutura óssea normal indica degeneração da coluna vertebral. Os osteófitos na coluna vertebral são uma manifestação inevitável do envelhecimento. Outras causas de artrose na coluna vertebral são movimentos repetitivos, excesso de exercícios físicos, carregamento frequente de grandes pesos, traumatismos e predisposição genética.

O atrito promovido entre as facetas posteriores das vértebras leva à formação de osteófitos (pequenos crescimentos irregulares no osso) até mesmo ao redor da coluna vertebral e à dor mecanicamente induzida. O desgaste dos discos entre as vértebras pode gerar a instabilidade da coluna e os esporões nas vértebras (osteófitos) formam-se em resposta a essa instabilidade, sendo uma tentativa de ajudar a devolver estabilidade ao conjunto.

A artrose da coluna vertebral é dita primária quando a sua causa é desconhecida e secundária quando causada por outras doenças, deformidades, infecções ou uso excessivo das articulações. A artrose na coluna vertebral é mais frequente nos idosos, mas pode ocorrer em qualquer idade. A artrose na coluna de um jovem dificilmente apresenta sintomas e geralmente a doença só é detectada mais tarde.

O envelhecimento da coluna vertebral é um processo natural. A partir dos 40 anos de idade começam os desgastes orgânicos e a formação de osteófitos. Em si mesmos, os osteófitos não causam dor, mas podem causar irritação dos tecidos circunvizinhos ou compressão das raízes dos nervos que passam no aspaço entre as vértebras levando, dessa forma, a sintomas como dores, dormências e fraqueza muscular.

Na artrose, as articulações vertebrais tornam-se inflamadas e progressivamente doloridas, com diminuição dos movimentos e da flexibilidade. A artrose da coluna vertebral é uma das causas mais comuns de dores nas costas. Ela pode gerar também dores no pescoço ou no quadril. Outros sintomas da artrose da coluna vertebral são a sensação de formigamento ou dormência no pescoço, nos braços ou pernas, conforme a localização das lesões.

O diagnóstico de artrose na coluna vertebral deve partir dos sinais e sintomas e ser complementado por radiografia simples da coluna, ressonância magnética ou tomografia computadorizada.

Sendo uma doença degenerativa, a artrose da coluna não tem cura e geralmente piora com o envelhecimento. O tratamento da artrose pode ser feito com medicamentos, fisioterapia, exercícios e/ou cirurgia. As cirurgias têm como objetivo a descompressão das raízes dos nervos e a estabilização da coluna. Um tratamento caseiro paliativo que pode ser feito é colocar uma bolsa de água morna no local da dor durante vinte minutos, duas vezes ao dia. Alguns cuidados adicionais devem fazer parte essencial do tratamento, como deixar de fumar, evitar pegar pesos e adotar posturas corretas.

A artrose da coluna é uma condição mórbida progressiva que piora com o envelhecimento.

Como prevenir a artrose da coluna vertebral?

•Fazer exercícios de fortalecimento da musculatura e de postura ajuda a manter a cartilagem em bom funcionamento.
•Fazer exercícios físicos como natação também colabora na prevenção, causando baixo impacto.
•Fazer repouso depois de atividade que mobilize a articulação comprometida.
•Adotar uma postura adequada ao sentar, ao pegar objetos no chão e ao caminhar, evitando posições que sobrecarreguem a coluna.
•Evitar pegar pesos excessivos e atividades que causem impactos repetitivos.
•Não usar sapatos com os calcanhares desgastados.
•Evitar a obesidade.

A artrose na coluna vertebral pode levar a dores importantes e até mesmo incapacitantes, pode determinar incapacidades na realização das tarefas do dia-a-dia e dificuldades para caminhar, quando não tratada corretamente por um médico especialista em coluna. Alguns casos podem necessitar de cirurgia para correção.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses