Vitamina D no tratamento da neuropatia diabética dolorosa


Rayaz Malik, graduado pela University of Aberdeen e PhD pela University of Manchester, é um dos autores do estudo publicado pelo BMJ Open Diabetes Research & Care, que avaliou o papel da vitamina D no tratamento da neuropatia diabética.

O Dr. Rayaz Malik é professor e especialista em neuropatia diabética e cardiomiopatia. Juntamente com os demais colaboradores, ele conduziu o presente estudo com o objetivo de avaliar o efeito de doses elevadas de vitamina D em pacientes com neuropatia diabética dolorosa. Para isto, foi administrada uma dose intramuscular única de 600.000 UI de vitamina D e avaliou-se os efeitos sobre parâmetros metabólicos e na dor neuropática ao longo de 20 semanas.

Cerca de 140 participantes, predominantemente com diabetes do tipo 2, idades entre 48 e 52 anos, pontuação no escore Douleur Neuropathique 4 (DN4), escore de dor McGill total e escore Short Form McGill Pain Questionnaire (SFMPQ) foram inscritos.

O nível de base de 25-hidroxivitamina D (25(OH)D) foi de 31,7±23,3 ng/ml e 58 (40,5%) pacientes mostraram evidência de deficiência de vitamina D [(25(OH)D) <20 ng/ml]. A administração intramuscular de vitamina D resultou num aumento significativo na 25(OH)D (46,2±10,2 ng/ml) e uma redução nos sintomas positivos no DN4, pontuação total da dor e SFMPQ. As conclusões dessa pesquisa mostram que o tratamento com uma dose única, por via intramuscular, de 600.000 UI de vitamina D em pacientes com neuropatia diabética dolorosa é associada a uma diminuição significativa nos sintomas desta condição.



Fonte: BMJ Open Diabetes Research & Care, volume 4, número 1, de 10 de fevereiro de 2016
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses