Tratamento das metástases ósseas


Metástases ósseas são implantes de células malignas em um ou mais ossos a partir de um tumor cancerígeno original, situado em outro órgão. Das metástases ósseas deve-se distinguir o câncer ósseo, que é um tumor primitivamente do osso. Enquanto nesse as células malignas são células ósseas, nas metástases elas conservam as características das células do tumor original.

As metástases ósseas ocorrem quando as células de um tumor maligno se implantam num ou em vários ossos, a partir de seu local original.

Não se sabe bem porque alguns tipos de cânceres têm preferência por darem metástases nos ossos e não em outros órgãos. Quase todos os tipos de cânceres podem espalhar-se para os ossos, mas alguns tipos são mais propensos a tanto, como o câncer de mama, próstata, rim, pulmão, linfoma, mieloma e tireoide. As metástases ósseas podem ocorrer em qualquer osso, acometendo um ou mais ossos. Geralmente ocorrem, em primeiro lugar, na coluna vertebral, pelve e fêmur. Com raras exceções, o câncer que se espalhou para os ossos não pode ser curado, mas os tratamentos podem ajudar a reduzir a dor e outros sintomas de metástases ósseas.

Muitas metástases ósseas de um câncer diagnosticado permanecem assintomáticas durante longo tempo e só são detectadas num exame de controle ou feito em função de outro motivo. Outras vezes, a metástase óssea pode ser o primeiro sinal de um câncer que evolui silenciosamente ou pode ocorrer anos após o tratamento de um câncer conhecido. Quando dão sintomas, os mais comuns são dor, fratura, incontinência urinária e intestinal, fraqueza nas pernas ou braços e níveis altos de cálcio no sangue, o que pode causar náuseas, vômitos, constipação e confusão.

Além da história de um câncer prévio e dos sintomas, os exames de imagens podem ser usados, tais como radiografias, cintilografia óssea, tomografia computadorizada, ressonância magnética e tomografia por emissão de pósitrons (PET). Esses exames mostram a localização e o tamanho das metástases, além das alterações que elas causam nos ossos.

Os tratamentos para metástases ósseas incluem medicamentos, quimioterapia, radioterapia e cirurgia. Os medicamentos devem ser usados, entre outros motivos, para reforço e reconstrução óssea. Estes medicamentos podem também reduzir o risco de desenvolver novas metástases ósseas.

A quimioterapia oral deve ser empregada se o câncer já se espalhou para vários ossos. A terapia de supressão hormonal pode ser usada para os cânceres que são sensíveis a hormônios e pode envolver medicamentos para baixar os níveis hormonais ou para bloquear a interação entre hormônios e células cancerosas. Outra opção é a cirurgia para remover órgãos produtores de hormônios. Em mulheres, os ovários e, em homens, os testículos.

Os medicamentos para a dor vão desde analgésicos simples até a morfina, na dependência da intensidade da dor. A radioterapia utiliza raios de energia de alta potência para matar as células cancerosas. Ela pode ser administrada em uma única grande dose ou em várias doses menores, ao longo de muitos dias.

Procedimentos cirúrgicos e colocação de placas ou parafusos podem ser necessários para estabilizar um osso que esteja em risco de fratura ou para reparar um osso já quebrado. Existem também procedimentos para matar células cancerosas com calor ou frio, se as dores não puderem ser aliviadas por medicações. Durante um procedimento chamado ablação por radiofrequência, uma agulha é inserida dentro do tumor ósseo e a eletricidade é passada através dela, para aquecer o tecido circundante. Um procedimento equivalente chamado crioablação congela o tumor. Esses processos, se necessários, podem ser repetidos várias vezes.

Para as pessoas com múltiplas metástases, certos radiofármacos (fármacos radioativos) que têm uma atração especial pelos ossos podem ser injetados por via intravenosa. Esses radiofármacos fazem uma espécie de radioterapia local. A fisioterapia pode ajudar a aumentar a força, melhorar a mobilidade do paciente e ajudá-lo a adotar alguns dispositivos auxiliares para lidar com o dia-a-dia, como uma muleta, andador ou bengala para melhorar o equilíbrio e uma cinta para estabilizar a coluna. Além disso, um fisioterapeuta também pode sugerir exercícios específicos para ajudar a pessoa a manter sua força e reduzir a dor. Existem também cirurgias preventivas para estabilização óssea que podem ser avaliadas individualmente.

A complicação mais temida das metástases ósseas é a fratura óssea, com as implicações decorrentes do osso afetado.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses