Ingestão de frutas e aterosclerose coronariana


A relação entre a ingestão de frutas e produtos hortícolas na idade adulta jovem e a aterosclerose coronariana posteriormente na vida ainda não está bem estabelecida.

Para entender melhor esta relação foi realizado um estudo conhecido como Coronary Artery Risk Development in Young Adults (CARDIA), com uma coorte de jovens, indivíduos pretos e brancos saudáveis no início do estudo (1985-1986). A ingestão de frutas e produtos hortícolas no início do estudo foi avaliada por meio de uma entrevista semi-quantitativa com histórico de dieta e foi medido o cálcio na artéria coronária (CAC) no vigésimo ano de acompanhamento (2005-2006) por tomografia computadorizada. A média (DP) de idade no início do estudo foi de 25,3 anos e 62,7% dos participantes eram do sexo feminino na amostra estudada. Após ajustes para variáveis demográficas e de estilo de vida, a maior ingestão de frutas e produtos hortícolas foi associada a uma menor prevalência de CAC.

As conclusões deste estudo de coorte longitudinal mostram que a maior ingestão de frutas e produtos hortícolas foi associada a uma menor prevalência de CAC após 20 anos de acompanhamento, reforçando a importância de se estabelecer uma elevada ingestão desses alimentos como parte de um padrão alimentar saudável precocemente na vida.

Fonte: Circulation, publicação online, de 26 de outubro de 2015
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses