Calázio


O calázio é um cisto formado por glândulas da pálpebra inferior ou superior, localizadas logo atrás dos cílios.

Muitas vezes, o calázio pode ser confundido com o hordéolo (terçol).

Ele é causado pela obstrução e posterior inflamação de uma das glândulas localizadas nas pálpebras, que produzem material sebáceo.

No calázio, a pálpebra geralmente fica avermelhada, sensível, inchada e quente (sinais de inflamação).

Esses sintomas podem regredir espontaneamente em dois ou três dias, como ocorre com o terçol comum, ou esta área pode vir a ser infectada por bactérias.

Há casos em que aparece um granuloma, visível ou não, no local onde ele se formou.

Muitas vezes o calázio é confundido com o hordéolo (terçol), que também se manifesta como uma tumefação na pálpebra ou se desenvolve após um calázio.

Ele, na maioria das vezes, se apresenta como um nódulo arredondado, duro, liso e indolor, sem que a pálpebra apresente-se tumefacta.

Pode ocasionar compressão do globo ocular, causando diversos problemas visuais.

É uma enfermidade diagnosticada clinicamente.

Uma inspeção direta da pálpebra pode ser suficiente para confirmar o diagnóstico. Trata-se de uma lesão na borda da pálpebra, que “aponta” para dentro.

Em alguns casos, toda a pálpebra se encontra inflamada.

Muitas vezes o calázio desaparece sem tratamento, mas a solução pode ser apressada pela aplicação de compressas quentes por dez a quinze minutos, quatro vezes ao dia, o que pode desbloquear o canal obstruído.

Massagens, anti-inflamatórios tópicos e injeção de esteroide também podem ser usados, mas se apesar de tudo o calázio continuar aumentando, precisará ser removido com cirurgia.

Nos casos de infecção por bactérias, poderá ser necessária a aplicação de colírios ou pomadas contendo antibióticos.

Em idosos debilitados pode ser necessário antibiótico injetável.

Nunca pressione ou esprema o calázio.

É comum que haja cura espontânea do calázio.

Contudo, depois de gerado o nódulo, este persiste por tempo indeterminado.

Algumas vezes a evolução do calázio pode ser marcada por avanços e retrocessos: quando parece estar curado, volta a inflamar.

O calázio pode alterar de tamanho ao longo do tempo, todavia, o mais comum é que ele cresça durante um período, estabilizando em seguida.

Às vezes, a glândula bloqueada não drena e pode crescer, mesmo que a vermelhidão e o inchaço tenham desaparecido.

Mesmo tratado, o calázio deixa na pálpebra um granuloma que altera seu tamanho quando não há a expulsão da secreção sintetizada pela glândula.

Um calázio grande pode causar um astigmatismo reversível com a cura do calázio, devido à pressão que faz sobre a córnea.

O calázio pode deixar uma cicatriz na pálpebra. O paciente pode perder alguns cílios ou ter um entalhe na borda da pálpebra.

A complicação mais comum é a sua recorrência.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses