Azias


Azia (ou pirose) é uma sensação de queimação sentida abaixo ou atrás do esterno (osso do peito), na região epigástrica (onde fica o estômago) ou acima dela, acompanhada ou não de outros sintomas.

Pode-se dizer, então, que ela vai da “boca do estômago” até a garganta.

Normalmente, a azia é mais frequente em homens que em mulheres.

As causas da azia são tantas e tão variadas que praticamente todas as pessoas têm azia de vez em quando.

Embora nem sempre as causas da azia sejam esclarecidas, o comer rapidamente, usar roupas apertadas e comer alimentos muito temperados, ácidos ou gordurosos contribuem para o seu aparecimento. Mas a causa mais frequente de uma azia repetitiva é a doença do refluxo gástrico.

Em condições normais, quando o alimento ou a bebida entram no estômago, o esfíncter que separa o estômago do esôfago se fecha.

Se, no entanto, ele não fizer isso eficientemente, o conteúdo do estômago pode refluir para o esôfago e irritar este órgão, provocando azia.

A azia é, pois, entre outras coisas, sinal de mau funcionamento do esfíncter localizado entre o esôfago e o estômago.

Outra causa comum de azia é a hérnia de hiato, que acontece quando parte do estômago se projeta para dentro da cavidade torácica.

Também a gravidez e o uso de certos medicamentos podem provocar ou intensificar a azia.

Os principais sintomas da azia são uma sensação de “queimação” retroesternal (atrás do esterno), má digestão, gosto amargo ou ácido na boca, regurgitação (subida do conteúdo do estômago até a garganta), arrotos, tosse e dor no peito.

A dor da azia às vezes sobe pelo peito e se irradia para a garganta.

Algumas dores de ataques cardíacos podem ser confundidas com a da azia.

Nem todas as pessoas apresentam todos estes sintomas ao mesmo tempo. Na gravidez, a ocorrência de azia é comum porque o crescimento do bebê empurra o estômago para cima, facilitando o refluxo do conteúdo gástrico para o esôfago.

A azia simples pode ser diagnosticada apenas pela descrição dos sintomas, mas pode ser confundida com a dispepsia ou demandar um maior esclarecimento das suas causas.

Se o diagnóstico não for claro, alguns exames podem ser solicitados.

Quase sempre o primeiro deles é uma endoscopia digestiva alta, à qual se seguirão outros exames que o quadro clínico sugira.

A azia persistente requer uma investigação rigorosa, principalmente se:

•Associada a vômitos com sangue ou a fezes com aspecto de borra de café.
•A pessoa sente forte dor no peito.
•Houver dificuldade de engolir e/ou perda de peso.
•Piora com o uso de antiácidos.

A maioria das azias esporádicas pode ser tratada com recursos simples como beber chá de hortelã ou tomar bicarbonato de cálcio dissolvido em água ou, ainda, um antiácido.

As pessoas com tendência à azia só devem beber água no intervalo entre as refeições, evitando tomá-la DURANTE as refeições.

Aquelas azias consequentes a enfermidades têm o seu tratamento dependente da evolução das mesmas.

Se a azia dever-se ao refluxo gástrico ela poderá, com o passar do tempo, danificar o revestimento do esôfago e causar problemas graves, inclusive malignos.

Como prevenir a azia?

Mudar hábitos alimentares pode ajudar a prevenir a azia e outros sintomas relacionados ao sistema digestivo.

•Evitar álcool, cafeína, bebidas com gases, chocolate, frutas cítricas, menta e hortelã, alimentos picantes ou gordurosos, tomate e molho de tomate.
•Não fazer exercícios ou deitar logo depois de comer.
•Fazer refeições menores e mais frequentes.
•Evitar usar cintos ou roupas muito ajustadas na cintura.
•Procurar emagrecer quando necessário ou manter o peso corporal sob controle.
•Levantar a cabeceira da cama cerca de quinze centímetros.
•Deitar sobre o lado esquerdo do corpo ao dormir.
•Não fumar.
•Procurar reduzir o estresse.
•Uma bolacha de água e sal ou pedacinhos de miolo de pão podem absorver o ácido gástrico e ajudar a evitar a azia.

Se tudo isso não for suficiente, recorrer aos medicamentos, sob supervisão médica.

Na maioria das vezes a azia é um sintoma simples, mas pode ser uma das complicações de algumas enfermidades graves.

O refluxo gástrico, uma das principais causas de azia, pode se complicar com o desenvolvimento de uma neoplasia do esôfago se não for tratado adequadamente.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses