A importância de ingestão de proteína oriunda do peixe!


Uma análise de estudos prospectivos para avaliar a relação entre a ingestão de proteína na dieta e o risco de acidente vascular cerebral foi publicada no periódico Neurology e mostrou que a ingestão moderada de proteína pode reduzir o risco desta patologia.

Estudos relevantes foram identificados através de pesquisa no PubMed e Embase até novembro de 2013 e pela revisão das listas de referências dos artigos recuperados. Foram incluídos estudos prospectivos que relataram riscos relativos (RR), com intervalo de confiança de 95% (IC 95%), para a associação entre a ingestão de proteína na dieta e o risco de acidente vascular cerebral.

O principal autor do estudo é o Dr. Xinfeng Liu, professor e presidente do Departamento de Neurologia do Jinling Hospital, da Nanjing University School of Medicine.

A meta-análise incluiu sete estudos prospectivos envolvendo 254.489 participantes.

Os RR combinados de AVC para a maior ingestão em comparação a menor ingestão de proteína na dieta foi de 0,80 (IC 95%).

A análise dose-resposta indicou que 20 gramas/dia de incremento na ingestão de proteína foi associada a uma redução de 26% no risco de acidente vascular cerebral.

Na análise por tipo de proteína, o RR de AVC para a proteína animal foi de 0,71 (IC 95%).

A interpretação de sensibilidade restrita a estudos com o controle de fatores de risco comuns produziu resultados semelhantes e a omissão de qualquer estudo único não alterou o resultado global.

Estes resultados sugerem que a ingestão moderada de proteína na dieta, principalmente a proteína animal vinda da ingestão de peixes, pode reduzir o risco de acidente vascular cerebral.

Fonte: Neurology, publicação online de 11 de junho de 2014
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses