Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2014

Anedonia

Imagem
Anedonia é a perda da capacidade de sentir qualquer tipo de prazer por todo o tempo.

A anedonia é apanágio maior das grandes depressões, mas pode acontecer também nos esquizofrênicos, neurastênicos, nos usuários crônicos de drogas (sobretudo durante as crises de abstinência), em pessoas muito ansiosas e naquelas com transtornos esquizoides de personalidade.

Parece haver tipos constitucionais com certos graus de anedonia. No sentido bioquímico, a anedonia está associada a baixos níveis de monoaminas (serotonina, dopamina, adrenalina e noradrenalina) no sistema nervoso.

Os pacientes com anedonia ficam normalmente numa situação de total indiferença consigo mesmos, não têm apego por nada, nem mesmo pela própria vida e costumam ser resistentes a mudar a sua situação, nada fazendo para isso, mesmo diante da insistência de pessoas próximas.

Correlativamente, há uma dificuldade ou incapacidade de experimentar sentimentos negativos. Essas pessoas parecem não responsivas emocionais.

Em caso…

Cetose: do que se trata?

Imagem
A fonte principal de energia do organismo é a glicose, mas quando a glicose falta, o corpo lança mão das gorduras gerando a cetose, que é um estágio do catabolismo que ocorre quando o fígado usa os depósitos de gordura como fonte de energia, se não há mais glicogênios.

A cetose acontece quando há a presença de corpos cetônicos no sangue. O processo de cetose está na base das dietas que restringem a ingestão de carboidratos e priorizam a ingestão de lipídios e proteínas.

Ela não deve ser confundida com a cetoacidose diabética, uma das complicações do diabetes, em que o pH do sangue fica mais ácido, causando vários problemas e afetando os rins, em primeiro lugar. Devido à grande diminuição de insulina, há uma produção excessiva de corpos cetônicos.

Os carboidratos, que geram a glicose, são a primeira fonte de energia de uma pessoa.

Quando a alimentação não supre o organismo com a quantidade necessária de carboidratos (pão, massas, cereais, açúcares, etc.) ele se vê obrigado a utiliz…

Café e Diabetes tipo 2

Imagem
Já é conhecida a hipótese de que o consumo de café e chá tem sido associado a um menor risco de diabetes tipo 2, mas pouco se sabe sobre como as mudanças no consumo de café e chá influenciam no risco subsequente para o diabetes tipo 2. Pesquisadores americanos examinaram as associações entre as mudanças no consumo de café e chá durante quatro anos e o risco de diabetes tipo 2 nos quatro anos subsequentes.

Foram acompanhados prospectivamente 48.464 mulheres do Nurses’ Health Study (NHS; 1986–2006), 47.510 mulheres do NHS II (1991-2007) e 27.759 homens do Health Professionals Follow-up Study (HPFS; 1986–2006). A dieta foi avaliada a cada quatro anos através de um questionário validado de frequência alimentar. Casos incidentes auto-relatados de diabetes tipo 2 foram validados por meio de questionários complementares.

Durante o acompanhamento de 1.663.319 pessoas/anos, foram documentados 7.269 casos novos de diabetes tipo 2. Os participantes que aumentaram seu consumo de café por mais de…

O que é maconha?

Imagem
A maconha (Cannabis sativa) é uma planta própria de climas quentes e úmidos, originária da África, embora exista registro dela na índia, 7.000 AC.

Um pé de maconha possui folhas verdes serrilhadas e pequenas flores amarelas sem perfume e pode atingir até cinco metros de altura.

As primeiras notícias dessa erva no Brasil datam do século XVIII.

A planta contém mais de 400 substâncias químicas, das quais 60 se classificam como canabinoides.

A principal delas é o tetrahidrocanabinol (THC) e está associado aos efeitos que a maconha produz no cérebro.

Não existe consenso se a maconha causa ou não vício, embora a maioria dos estudiosos opine que sim.

Há alguns usuários que apesar de consumirem a droga diariamente não desenvolvem o vício, enquanto outros, usando menos, desenvolvem uma síndrome semelhante à dependência de outras drogas.

Ela em geral é aspirada sob a forma de fumaça, a partir de cigarros enrolados em papel ou cachimbos preparados pelos usuários.

Ao inalar a fumaça da ma…

Fobia Social

Imagem
A fobia social é a intensa ansiedade gerada quando o paciente é submetido à avaliação de outras pessoas.

Essa ansiedade ainda que generalizada não se estende a todas as funções que uma pessoa possa desempenhar.

Na maioria das vezes concentra-se sob tarefas ou circunstâncias bem definidas.

É natural sentir-se acanhado quando se é observado: esse desconforto até certo ponto é normal e aceitável, muitas vezes vantajoso.

Passamos a considerar esta vergonha ou timidez como patológicas a partir do momento em que a pessoa sofre algum prejuízo pessoal por causa dela, como deixar de concluir um curso ou uma faculdade por causa de um exame final que exige uma apresentação pública ou diante de um avaliador(es).

Para fazer o diagnóstico é necessário que a pessoa com fobia social apresente uma forte sensação de ansiedade ou desconforto sempre que exposta a determinadas circunstâncias.

A ocorrência eventual para as mesmas situações como, por exemplo, escrever sendo observado exclui o diagnóst…

Extrato de chá verde é bom para a memória?

Imagem
Eu disse extrato de chá verde e não chá verde!

Já foi proposto que o extrato de chá verde pode ter um impacto benéfico sobre a função cognitiva, sugerindo implicações clínicas promissoras. No entanto, os mecanismos neurais subjacentes a este efeito ainda permanecem desconhecidos.

Um estudo conduzido por Stefan Borgwardt, do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Basel, na Suíça, investigou se a ingestão de extrato de chá verde modula a conectividade cerebral durante o processamento da memória e se os parâmetros de conectividade estão relacionados ao desempenho de uma tarefa.

Um estudo duplo-cego, com voluntários do sexo masculino, saudáveis, que receberam um refrigerante à base de soro de leite, contendo 27,5 g de extrato de chá verde, ou uma bebida semelhante sem o chá verde (controle), analisou o efeito de memória na conectividade efetiva entre as regiões frontal e parietal do cérebro. Os participantes receberam tarefas de memória ao se submeterem à ressonância magnética fun…

Dependência do crack

Imagem
O crack é uma mistura da pasta-base de cocaína refinada com bicarbonato de sódio e água.

Muitas vezes a mistura é falsificada com o acréscimo de cimento, cal, querosene e acetona, para aumentar o seu volume.

Quando aquecida, a mistura separa as substâncias líquidas das sólidas.

As substâncias líquidas são então descartadas e as sólidas são convertidas na “pedra de crack” que, com a utilização de um cachimbo, é então fumada e absorvida pelo corpo em quase 100% do total ingerido.

A via inalatória confere à droga um tempo de ação e um poder viciante extremamente rápidos, o que tem tornado o crack um verdadeiro flagelo.

Vários fatores psicológicos e sociais podem levar a pessoa a experimentar a droga pela primeira vez.

Entre eles: depressão, ansiedade, baixo nível intelectual, fenômeno social das gangues, desagregação familiar, forte atuação dos traficantes, etc.

A dependência ao crack é a compulsão invencível de fumar a droga, que se estabelece já a partir da primeira experiência.

Suplementos de ferro impulsionam o desempenho físico em mulheres

Imagem
A suplementação diária de ferro pode aumentar o desempenho físico em mulheres em idade reprodutiva (MIR), de acordo com os resultados de uma nova revisão da literatura, os quais fornecem uma forte razão para a prevenção e tratamento da deficiência de ferro em mulheres.

O estudo, realizado por Sant-Rayn Pasricha, PhD do Departamento de Medicina da Universidade de Melbourne, na Austrália, e colaboradores, foi publicado online no The Journal of Nutrition.

Dr. Pasricha e sua equipe notaram que as MIR estão em risco elevado de deficiência de ferro por causa da perda de sangue menstrual. Atletas do sexo feminino podem ser particularmente vulneráveis a dietas deficientes em ferro, perda de sangue causada por hemorragia gastrointestinal e má absorção de ferro devido à inflamação subclínica.

O problema também é comum entre as mulheres de rendas baixa e média e mulheres em países em desenvolvimento, que muitas vezes têm acesso apenas a alimentos com baixo valor nutricional. Infecções parasitár…

Sertralina

Imagem
A sertralina é um antidepressivo inibidor da recaptação da serotonina.

Suas principais indicações são para o tratamento da depressão e do transtorno obsessivo-compulsivo.

Geralmente da dose de 50mg por dia costuma ser suficiente, menos do que isso não costuma ser usado.

Quando necessário a dose diária pode se elevar até 200mg por dia.

Como os comprimidos têm 50mg fica fácil fracionar a dose ao longo do dia.

Deve-se tomar preferencialmente pela manhã, mas há pessoas que se sentem melhor tomando à noite...

Tonteiras e enjôo são os principais efeitos colaterais, além desses os outros que mais perturbam são: palpitações (batimentos do coração desconfortáveis), insônia, inquietação, dores de cabeça, cansaço, retardo da ejaculação, tremores, aumento da quantidade de suor.

Escitalopram

Imagem
O escitalopram é uma antidepressivo inibidor da recaptação da serotonina.

Sua principal finalidade é tratar todas as formas de depressão e transtorno do pânico.

A dose média recomendada é de 10 a 20mg por dia, não há estudos feitos com menores de 18 anos, na gestação e amamentação também não, o que não proíbe seu uso que quando feito deverá antes ter sido avaliada a relação do custo x o benefício proporcionado.

Não há problemas no uso em pessoas com insuficiência renal leve ou moderada, mas pessoas com insuficiência grave devem ser monitoradas com cautela.

Pessoas com insuficiência hepática devem tomar 5mg por 2 a 4 semanas antes de se elevar para a dose terapêutica de 10 ou 20mg.

Há medicações que bloqueiam as enzimas que metabolizam o escitalopram como o omeprazol.

Como os trombócitos (espécie de "saquinhos" que circulam pelo sangue e contribuem com o estancamento hemorrágico) também utilizam recaptadores da serotonina, esses antidepressivos podem afetar a colagulação…

Síndrome de abstnência da cocaína

Imagem
Chama-se síndrome de abstinência da cocaína ao conjunto de reações físicas e psíquicas que acometem o indivíduo em razão da suspensão brusca do consumo dessa droga. Essas reações também acontecem se o indivíduo de repente diminuir significativamente o seu consumo.

A cocaína bloqueia o efeito de recaptação dos neurotransmissores nas sinapses e, desta maneira, cria um excesso de neurotransmissores à disposição dos receptores pós-sinápticos.

A consequência disso é uma sensação de magnificência, euforia, prazer e excitação sexual.

Uma vez realizado esse bloqueio os neurotransmissores não são recaptados e ficam, portanto, livres no cérebro até que a cocaína deixe de estar circulante.

A presença mais prolongada da dopamina no cérebro parece ser a causa dos sentimentos de prazer associados com o uso da cocaína.

O uso prolongado da cocaína faz com que o cérebro se adapte a ela.

Se o indivíduo interromper o uso da cocaína, a dopamina existente não será suficiente para manter esses efeito…

Dependência de cocaína

Imagem
O uso da cocaína causa intensa e rápida euforia, seguida por uma igualmente intensa depressão e um estado de grande tensão e avidez por mais cocaína.

Ela produz um efeito estimulante e de prazer muito mais potente que o das anfetaminas. Quando a droga acaba no organismo, o que acontece rapidamente, o prazer cessa e o indivíduo é tentado a repetir a experiência.

Daí a forte tendência a consumi-la reiteradamente. Nisso consiste a dependência à cocaína, que pode ser tomada por via oral, inalada sob forma de pó ou injetada diretamente na veia. Sob a forma de crack também pode ser fumada.

O prazer é a maior força motriz de muitos de nossos comportamentos e consumir cocaína é uma das formas fáceis de obtê-lo.

Daí a tendência a consumi-la.

Conforme a tolerância à droga vai aumentando, torna-se necessário usar cada vez quantidades maiores dela para conseguir a mesma resposta eufórica.

Suprimir ou reduzir a droga causa uma depressão tão severa que a pessoa é capaz de quase tudo (inclusiv…

Baixa de plaquetas no sangue

Imagem
Trombocitopenia [É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias], ou plaquetopenia, é uma baixa na contagem das plaquetas sanguíneas, que descem a números inferiores a 150.000/mm³.

Esse rebaixamento é provocado por distúrbios na produção, distribuição ou destruição de plaquetas.

As plaquetas são células produzidas na medula óssea, que atuam na coagulação do sangue e ajudam, por exemplo, uma ferida a parar de sangrar.

Normalmente o sangue contém de 150.000 a 350.000 plaquetas por mm³.

Muitas doenças e condições mórbidas podem reduzir o número de plaquetas, mas muitas vezes não se detecta uma causa específica.

As causa mais comuns de trombocitopenia são: diminuição da produção medular devido a enfermidades medulares, infiltração por células maligna…

Uso de medicamentos ansiolíticos e hipnóticos

Imagem
Para testar a hipótese de que as pessoas que tomam ansiolíticos e hipnóticos estão em maior risco de mortalidade prematura, usando registros de prescrições de cuidados médicos primários e após ajuste para uma ampla gama de potenciais fatores de confusão, foi realizado um estudo de coorte retrospectivo.

Cerca de 270 unidades de cuidados primários do Reino Unido contribuíram com dados para o General Practice Research Database.

Participaram do estudo 34.727 pacientes, com 16 anos ou mais, que receberam a primeira prescrição de ansiolítico ou hipnótico, ou de ambos, entre 1998 e 2001, e 69.418 pacientes com nenhuma prescrição para tais medicações (controles) pareados por idade, sexo e cuidados médicos.

Os pacientes foram acompanhados por uma média de 7,6 anos.

O resultado principal foi uma avaliação sobre todas as causas de mortalidade verificadas a partir de registros de prática médica.

Comorbidades físicas e psiquiátricas e prescrição de medicamentos (além dos estudados) foram signif…

Doença do Soro

Imagem
O soro é a parte líquida do sangue, que contém os anticorpos que protegem as pessoas contra infecções. O anti-soro é uma preparação do soro de uma pessoa ou animal que já tenha sofrido uma determinada doença e que por isso já contenha anticorpos contra ela. Ele pode ser aplicado a outra pessoa que seja exposta a um micro-organismo perigoso, contra o qual ainda não se encontre imunizada, e assim confere uma espécie de imunização passiva imediata, mas temporária, válida enquanto a pessoa adquire sua própria imunidade. Entre as doenças que podem ser protegidas assim estão o tétano e a raiva, por exemplo, duas modalidades infecciosas graves.

A doença do soro é uma reação imunológica tardia de hipersensibilidade, devido à união de um anticorpo com um antígeno, que difere da reação anafilática porque enquanto esta ocorre imediatamente após a aplicação do alergeno, a doença do soro só se manifesta entre 7 a 14 dias após. No caso da doença do soro, o antígeno pode ser uma droga, um medicamen…

Citalopram

Imagem
Sua principal finalidade é tratar todas as formas de depressão, exceto as presentes nos ciclos rápidos do transtorno afetivo bipolar (antiga PMD).

Vem sendo recomendado também para tratar problemas de conduta em pacientes demenciados.

A dose recomendada é 20 ou 40mg por dia; acima de 60mg só com indicação médica precisa e acompanhamento constante.

Como é uma medicação que pode causar problemas no sono é recomendável que seja administrada pela manhã.

Para os pacientes que sentem sono recomenda-se a tomada pela noite (como sempre, em todos os medicamentos deste tipo).

Não pode ser usado concomitantemente a um IMAO irreversível (pergunte a seu médico o que isso quer dizer, por favor).

A aproximadamente cada 36 horas o organismo elimina a metade da medicação, por isso os comprimidos podem ser tomados uma vez ao dia, pois mesmo assim os sintomas da depressão estarão sendo controlados.

Depois de uma a duas semanas o organismo elimina a medicação com a mesma velocidade com que ele é r…

Tuberculose

Imagem
Afeta a população do mundo inteiro e ainda é a maior causa de morte em alguns lugares.

Sempre foi mais presente nas áreas urbanas, em detrimento das áreas rurais, por conta das aglomerações, que facilitam o contágio e a transmissão, graças às más condições de higiene, habitação e saúde.

Havia tuberculose (TB) no antigo Egito, e na antiga Grécia, cerca de três mil anos atrás, mas foi nos séculos 18 e 19, na Europa e na América do Norte, que a doença alcançou proporções praticamente epidêmicas.

Continuou sendo a maior causa de mortalidade até o início do século 20, tendo declinado em índices por causa das melhorias de condições sanitárias e graças, também ao avanço da ciência médica e farmacêutica.

Na década de 80 do século passado o número de mortes voltou a crescer em Países em desenvolvimento (como o nosso!) e uma das razões mais evidentes foi o uso indiscriminado de antibióticos em laticínios e produtos avícolas, o que gera resitência bacteriana ao uso terapêutico dessas drogas.

As…

Osteoporose

Imagem
Osteoporose significa osso poroso, ou cheio de espaços entre as trabéculas ósseas, que vão ficando cada vez mais finas e delicadas por falta de massa óssea propriamente dita.

Os ossos ficam frágeis e uma pequena queda pode ocasionar até mesmo fraturas.

A portadora da osteoporose (é mais comum em mulheres) pode, também, sentir dores esparsas pelo corpo, am função da falta de cálcio e este mineral é muito importante em vários processos metabólicos do organismo, compromentendo músculos, articulações, coração e até mesmo o funcionamento cerebral.

A Osteopenia é apenas uma das manifestações da baixa de cálcio nos tecidos, mas é das mais importantes!

A idade média de ocorrência é quando a mulher se encontra na fase do climatério - não confunda com menopausa, que nada mais é do que a data da última menstruação na vida de uma mulher.

O climatério é uma fase de período variável na qual várias alterações hormonais podem causar uma série de problemas para a saúde da mulher.

A parada do ciclo re…

Anafilaxia 2a edição

Imagem
A anafilaxia é uma reação alérgica generalizada, abrupta e severa a uma determinada substância, nesse caso chamada de “alergeno”, para a qual o organismo esteja previamente sensibilizado.

O tipo mais grave de anafilaxia, o choque anafiláctico, termina geralmente em morte, caso não seja imediatamente tratado.

Nesses casos, diferentes tecidos do corpo liberam histamina e outras substâncias que causam uma verdadeira “tempestade” fisiológica que desorganiza todo o funcionamento orgânico, gerando vários sintomas.

Certas substâncias, quando introduzidas no organismo, podem provocar uma reação semelhante que, quando a sua base imunológica não pode ser comprovada, é dita anafilactoide. Nesses casos não se comprova a participação de anticorpos e, sendo assim, não se trata de uma reação alérgica.

A reação anafilática pode ser provocada por quantidades minúsculas de substâncias alergênicas.

As mais comuns são certos alimentos, alguns medicamentos, picadas de insetos, exercícios físicos, tran…

Anemias

Imagem
Anemia Ferropriva

A anemia é definida pela baixa em quantidade ou em tamanho dos glóbulos vermelhos saudáveis.

A produção de glóbulos vermelhos depende em parte do ferro sanguíneo, responsável também pela produção da hemoglobina e pelo transporte de oxigênio para os tecidos.

Em certas condições, o organismo não dispõe de ferro em quantidade suficiente e isso produz uma anemia por deficiência de ferro, por isso dita ferropriva, ferropênica ou sideropênica.

Os glóbulos vermelhos, também conhecidos como hemácias ou eritrócitos, são produzidos pela medula óssea e duram na circulação por três a quatro meses e então são eliminados e substituídos por novos.

Como o ferro é um componente importante na formação das hemácias, ele tem que ser permanentemente suprido pela dieta, embora a maior parte das necessidades de ferro seja suprida pela reutilização do ferro dos antigos glóbulos vermelhos.

A anemia ferropriva é o tipo mais comum entre as anemias, sendo responsável por 90% delas.

Quando …

Frutas e vegetais na dieta fazem bem para a saúde!

Imagem
Pesquisadores da University College London usaram um levantamento de dados de saúde realizado entre 2001 e 2008, na Inglaterra, sobre os hábitos alimentares de uma amostra aleatória de 65.226 participantes, com idade de 35 anos ou mais.

Estes dados foram relacionados às informações sobre mortalidade do Reino Unido até o primeiro trimestre de 2013.

O objetivo foi avaliar se o consumo diário de frutas e legumes beneficia a saúde da população geral da Inglaterra.

Métodos de regressão de Cox foram utilizados em tal análise.

Foi realizada uma associação entre o consumo de frutas e vegetais e todas as causas de mortalidade cardiovascular e câncer, com ajustes para idade, sexo, classe social, educação, índice de massa corporal (IMC), consumo de álcool e atividade física.

O consumo de frutas e vegetais foi associado à diminuição da mortalidade por todas as causas.

Esta associação foi mais pronunciada quando se excluíram as mortes dentro de um ano do início do estudo.

A ingestão de fruta…

Duloxetina: um pouco de farmáco para você!

Imagem
Ação do medicamento: Duloxetina é um medicamento antidepressivo que age no sistema nervoso central (SNC), proporcionando melhora dos sintomas depressivos em pacientes com depressão e dos sintomas dolorosos em pacientes com dor neuropática associada à neuropatia diabética periférica.

Indicações do medicamento: Duloxetina é indicado para o tratamento do transtorno depressivo maior e da dor neuropática associada à neuropatia diabética periférica.

Riscos do medicamento: Duloxetina não deve ser tomado por pacientes que sejam alérgicos ao cloridrato de duloxetina ou a qualquer ingrediente do medicamento.

Duloxetina não deve ser administrado a pacientes com insuficiência renal ou hepática graves.

Duloxetina não deve ser tomado por pacientes que estão utilizando uma droga inibidora da monoamino oxidase (IMAO) como Parnate® (sulfato de tranilcipromina) e Aurorix® (moclobemida) ou tiverem parado de tomar um IMAO nos últimos 14 dias.

O uso de Duloxetina com um IMAO pode causar efeitos colat…

Transtorno Dismórfico Corporal (2a edição)

Imagem
O transtorno dismórfico corporal (TDC), síndrome da distorção da imagem ou simplesmente dismorfofobia é uma preocupação obsessiva com algum defeito corporal suposto ou de mínima realidade, que afeta a aparência física.

O termo dismorfia é uma palavra grega que significa “feiúra”, especialmente na face.

Com maior frequência esta condição mórbida ocorre nos adolescentes de ambos os sexos, mas pode ocorrer também em adultos, principalmente nas mulheres.

O transtorno dismórfico corporal é constituído por pensamentos praticamente delirantes, com características obsessivas, resistentes a todas as demonstrações objetivas em contrário (opinião das demais pessoas, espelhos, balanças, fotos etc.), além de serem intrusivos à consciência e em geral acompanhados por rituais, características que são, também, muito semelhantes a pensamentos obsessivos.

As causas do transtorno dismórfico corporal são bastante discutíveis. Há duas teorias diferentes: uma biológica e outra psicológica.

A teoria bi…

Síndrome de Tourette

A síndrome de Tourette ou síndrome de la Tourette, também referida como SGT ou ST, é uma desordem neurológica ou neuroquímica, caracterizada por tiques, reações rápidas, movimentos repentinos (espasmos) ou vocalizações que ocorrem repetidamente, da mesma maneira, com considerável frequência.

Esses tiques motores e vocais mudam constantemente de intensidade e não existem duas pessoas no mundo que apresentem os mesmos sintomas.

A maioria das pessoas afectadas é do sexo masculino.

A doença foi descrita pela primeira vez em 1825, pelo médico francês, Jean Itard. Mais tarde, em 1885, Gilles de la Tourette publicou um relato de nove casos da doença, que denominou maladie des tics convulsifs avec coprolalie ("doença dos tiques convulsivos com coprolalia").

Posteriormente, a doença foi renomeada "doença de Gilles de la Tourette", por Charcot, o influente diretor da Salpêtrière.

Assista ao vídeo no Tou Tube:

Mais um medicamento: Doxazosina.

Imagem
Bloqueia os receptores alfa 1-adrenérgicos causando vasodilatação, que reduz a resistência vascular periférica e diminui a pressão arterial. O bloqueio alfa 1-adrenérgico também relaxa músculos da bexiga e próstata, diminuindo a resistência e a pressão uretral, a resistência na saída da bexiga e os sintomas urinários.

A DOXAZOSINA tem ainda o poder de baixar um pouco os níveis de colesterol e triglicérides.

Absorção: gastrintestinal (boa). Biotransformação: no fígado; metabólitos ativos pouco significativos.

Ação - início: 1 a 2 horas na hipertensão e 1 a 2 semanas na hiperplasia prostática benigna; duração: 24 horas na hipertensão (após dose única).

Eliminação: fezes (5%, como DOXAZOSINA; 65%, como metabólitos); urina (9%).

Risperidon

Imagem
O risperidon é a risperidona um neuroléptico do grupo benzisoxazol.

Sua principal indicação é para o tratamento de sintomas psicóticos, especialmente os pacientes esquizofrênicos que não melhoraram com outras medicações antipsicóticas.

Pode ser aplicado, também, e com segurança, em crianças com dificuldades de aprendizado e de concentração, além de distúrbio de comportamento, na prática clínica.

As apresentações orais de 1, 2 e 3mg facilitam o uso, na maioria dos casos um a dois comprimido por dia são suficientes (2 a 6mg/dia). A dose será definida pelos benefícios alcançados pelo paciente.

Insônia ou sedação menos frequentemente que insônia, dores de cabeça, inquietação e ansiedade.

Muitas vezes é difícil saber se isto é devido a doença em tratamento ou se é um efeito colateral da medicação.

Alterações do batimento cardíaco e queda da pressão arterial pode acontecer.

Apesar de pouco frequente e fracos algums efeitos motores podem se manifestar como tremores, e contrações involu…

Teleangectasias

Imagem
Que nome, einh?!

Vamos ver o que é?

Chama-se telangiectasias à presença de pequenos vasos sanguíneos dilatados na pele.

Elas podem se desenvolver em qualquer parte do corpo, mais frequentemente são vistas na face ao redor do nariz, nas bochechas, queixo e no branco dos olhos.

Elas podem estar associadas a várias doenças, nem sempre reconhecidas.

Também podem ocorrer no cérebro (!) e causar problemas sérios de sangramentos, motivando um acidente vascular cerebral.

As principais causas das teleangiectasias são de natureza genética, mas podem incluir o uso de álcool, o envelhecimento, a gravidez e a excessiva exposição ao sol.

No envelhecimento elas ocorrem porque há uma diminuição da quantidade de fibras elásticas e do colágeno, responsáveis pelo vigor da pele.

Várias doenças podem estar associadas às telangiectasias e os eventuais sintomas decorrem mais dessas enfermidades que das telangiectasias em si.

Entre essas doenças estão a ataxia telangiectasia, telangiectasia congênita,…