Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2013

Exame de fundo de olho

Imagem
O exame de fundo de olho (fundoscopia ou oftalmoscopia) consiste em examinar as artérias, veias e nervos da retina através dos meios transparentes do olho (salvo em caso de patologias) que se interpõem entre o médico e a retina.

A retina localiza-se na parte posterior do globo ocular e tem como função transformar o estímulo luminoso em estímulo nervoso que permite a visão.

Além de propiciar um diagnóstico local, o exame da retina permite avaliar alguns aspectos da saúde do indivíduo de uma maneira geral, concentrando-se especialmente no nervo óptico, nos vasos retinianos e na sua região central, denominada mácula.

O exame de fundo de olho é a melhor forma de analisar o estado de nossos vasos sanguíneos sem utilizar um método invasivo.

O aparelho que o médico usa nesse exame é chamado oftalmoscópio, o qual projeta um feixe de luz no interior do olho e, mediante a reflexão dessa luz na retina, permite observar suas estruturas.

Para facilitar e ampliar a visão da retina o médico ger…

Nistagmo: o que é isso?

Imagem
Nistagmo são oscilações rítmicas, repetidas e involuntárias de um ou ambos os olhos conjugadamente, nos sentidos horizontal (de um lado para o outro), vertical (de cima para baixo) ou rotatório (movimentos circulares) que podem dificultar muito a focalização das imagens.

Como acontecimento fisiológico, o nistagmo é um reflexo que ocorre durante a rotação da cabeça, para estabilizar a imagem. Ou seja, a cabeça gira, mas os olhos não. O reflexo é dividido em duas fases, uma lenta e outra rápida.

A fase lenta visa compensar a rotação da cabeça e a fase rápida tem a função de reposicionar o movimento, porque caso contrário o olho atingiria a borda da órbita e se manteria lá enquanto durasse o movimento rotacional da cabeça.

Esta fase é comandada pelo sistema vestibular (veja imagem abaixo) e a fase rápida pelo tronco cerebral (mais abaixo). O nistagmo patológico ocorre quando os movimentos ocorrem mesmo se a cabeça está parada.



Quanto à direção do movimento dos olhos no nistagmo pato…

Acromatopsia ou "cegueira de cores"

Imagem
Na retina humana existem células fotorreceptoras: os cones e os bastonetes.

As primeiras são responsáveis pelo reconhecimento das cores, enquanto que as outras pelo reconhecimento da luz.

Os portadores de acromatopsia possuem defeitos nos cones e, assim, não conseguem enxergar as cores ou as enxergam imperfeitamente.

Na acromatopsia, popularmente conhecida como “cegueira de cores”, além da incapacidade para perceber cores há também uma acuidade visual insatisfatória em níveis elevados de iluminação, como a luz do sol.

Em geral os pacientes percebem tudo em tons de cinza. Alguns pacientes de acromatopsia são capazes de enxergar precariamente certas cores e essa condição é então denominada discromatopsia.

Tipos de acromatopsia

•Acromatopsia completa: os indivíduos com acromatopsia completa (completa impossibilidade de discriminar as cores) normalmente têm uma série de outras alterações oftalmológicas, como diminuição da acuidade visual na luz do dia, hemeralopia (cegueira ante a lu…

Crise convulsiva febril

Imagem
Convulsões durante episódios febris na infância são relativamente comuns (2 a 5% das crianças até cinco anos de idade) e, embora assuste muito os adultos (o familiar em geral pensa que a criança está morrendo), na maior parte das vezes são acontecimentos benignos, sem repercussões clínicas significativas. Nem todas as crianças sofrem convulsões, mesmo com febre muito alta.

Em alguns casos, ao contrário, as convulsões ocorrem assim que a temperatura começa a subir, antes mesmo que os pais notem que a criança tem febre.

Fatores genéticos parecem atuar como predisponentes da convulsão febril infantil. Quando não há problemas neurológicos associados elas tendem a desaparecer com o crescimento da criança, após cinco ou seis anos de idade.

Em resumo, ela é uma crise epilética desencadeada por febre, mas em sua forma simples não deve ser classificada como epilepsia.

Desse conceito simples, contudo, devem ser excluídas as crianças que já apresentavam convulsões previamente, na ausência d…

Laringites

Imagem
Laringite é um processo inflamatório da laringe, onde estão as cordas vocais.

Ela pode também ser um mero acompanhante de um resfriado comum, de uma bronquite ou mesmo de uma pneumonia e cede espontaneamente ou com tratamento, mas se não cuidada adequadamente pode ocasionar problemas sérios como um tumor maligno que atinja as cordas vocais.

Mais comumente as laringites são causadas por vírus. Entretanto, elas podem ser também causadas por:

•Infecção bacteriana aguda ou crônica;

•Infecção por fungos;

•Reações alérgicas;

•Uso intenso das cordas vocais;

•Tosse excessiva;

•Fumo;

•Consumo de álcool.

A laringite aguda, de surgimento rápido, pode não durar muito tempo; na laringite crônica ocorrem longos períodos de rouquidão, que pode afetar permanentemente as cordas vocais ou os pulmões. Os principais sinais e sintomas da laringite variam de acordo com a sua gravidade, mas em geral são:

•Dor;

•Rouquidão ou perda total da voz;

•Dificuldade de deglutir;

•Falta de ar;

•Mal-estar;

•Dores e c…

Uso de antipsicóticos por crianças pode aumentar risco de desenvolver diabetes tipo 2 em até três vezes

Imagem
O aumento do número de prescrições de antipsicóticos para crianças e jovens tem levado à preocupação de que essa prática possa elevar o risco de desenvolvimento de diabetes mellitus tipo 2.

A pesquisa do Vanderbilt University Medical Center, publicada pelo The Journal of the American Medical Association in Psychiatry (JAMA Psychiatry), teve o objetivo de comparar o risco de diabetes tipo 2 em crianças e jovens de 6 a 24 anos de idade que estavam iniciando o uso de medicamentos antipsicóticos versus a propensão de seus controles pareados que recentemente tinham iniciado o uso de outra medicação psicotrópica.

Os participantes do estudo de coorte, retrospectivo, do programa Tennessee Medicaid Program, incluíam 28.858 iniciantes recentes de drogas antipsicóticas e 14.429 controles pareados. Pacientes que receberam previamente um diagnóstico de diabetes, de esquizofrenia ou de outras condições para as quais os antipsicóticos são a única terapia geralmente reconhecida foram excluídos da co…

Dores no joelho? Tendinite ou rotura do tendão patelar?

Imagem
O joelho é composto por três ossos: o fêmur, a tíbia e a patela, os quais recebem a inserção de vários tendões e ligamentos que conferem estabilidade e mobilidade a esta estrutura.

O ligamento patelar, ou tendão patelar, é a parte central do tendão do músculo quadríceps femoral, que continua até a tíbia, fazendo parte do chamado mecanismo extensor do joelho, já que a contração desse músculo, estando íntegras todas as estruturas auxiliares, faz a extensão da perna.

O ligamento patelar é sobrecarregado na prática de vários esportes, principalmente os de salto, como vôlei, basquete e certas modalidades de atletismo, mas também em outros, como futebol, corrida e tênis.

As lesões desse ligamento também são frequentes nos “atletas de final de semana”, devido à falta de condicionamento físico adequado.

A face posterior do ligamento patelar está separada da membrana sinovial por um coxim gorduroso e da tíbia por uma bolsa sinovial.

Esse coxim muitas vezes inflama-se e gera sintomas que f…

Pé torto congênito

Imagem
O pé torto congênito é uma deformidade congênita que envolve ossos, músculos, tendões e vasos sanguíneos.

Existem vários tipos de pés tortos congênitos, com diferentes graus de deformidade e diferentes mecanismos de correção e cura.

É uma condição de baixa incidência (um para cada cerca de mil bebês nascidos vivos), duas vezes maior em meninos que em meninas e que pode afetar um ou ambos os pés.

Não se conhece exatamente as causas do pé torto congênito, mas como ele é mais comum em determinadas famílias, talvez sofra a influência de um fator hereditário, embora fatores ambientais também possam estar implicados.

A importância de um fator hereditário é ainda acentuada pelo fato de que se uma criança nasce com a deformidade, a probabilidade de um irmão posterior nascer com a mesma condição é muito alta (1 a cada 35 nascimentos).

A frequência com que essa condição ocorre em diferentes raças e culturas também é muito variável, indo de um caso para cada 1.000 crianças caucasianas; meta…

Bronquiolite em lactentes

Imagem
A bronquiolite em lactentes (zero a um ano) e crianças pequenas é a inflamação dos bronquíolos desses infantes. Ela é mais frequente durante o inverno e princípio da primavera.

Os bronquíolos são pequeninas ramificações dos brônquios, através das quais o ar chega aos alvéolos pulmonares, local onde se dão as trocas gasosas da respiração.

A bronquiolite é uma das infecções respiratórias mais frequentes nos primeiros dois anos de vida, sendo que 80% dois casos ocorrem no primeiro ano de vida, tendo um pico entre os dois e seis meses de idade.

A bronquiolite é causada pela infecção por várias classes de vírus e é agravada pelo inchaço das vias respiratórias e pelo acúmulo de muco que dificulta a passagem do ar, causando sintomas respiratórios.

Nos bebês e crianças pequenas, ainda imaturas, os bronquíolos são mais vulneráveis porque eles são ainda muito pequenos e isso facilita a obstrução e impede a passagem do ar.

O vírus sincicial respiratório é o agente causador mais comum, mas ela…

Entrando na Linha

Imagem
A medida da sua cintura é muitas vezes vista como a melhor forma de verificar o risco de desenvolver uma doença crônica.

Medindo a circunferência da sua cintura você pode verificar de maneira simples a quantidade de gordura corporal que você tem e onde ela está localizada no seu corpo.

O local em que a gordura está localizada pode ser um sinal importante do seu risco de desenvolver um problema de saúde.

Independentemente da sua altura ou constituição, para a maioria dos adultos uma medição da cintura superior a 94 centímetros para os homens e superior a 80 centímetros para as mulheres indica o nível de depósito de gordura que reveste o coração, os rins, o fígado e o pâncreas e aumenta o risco de doença crônica

Como medir sua cintura:


1.Localize o ponto mais alto do osso do seu quadril e a parte inferior das suas costelas;

2.Expire normalmente;

3.Coloque uma fita métrica em torno de sua cintura, ou seja, no local que fica no meio do caminho entre esses dois pontos citados acima;

4.V…

Índice de Massa Corpórea

Imagem
IMC significa Índice de Massa Corporal.

Ele é usado para indicar se você está abaixo do peso, com excesso de peso ou no peso ideal para a sua altura.

É uma medida importante de se conhecer, pois se o seu peso varia acima ou abaixo da faixa ideal, seus riscos para algumas doenças podem aumentar.

Não é uma informação ou um dado único com relação à possível obesidade, mas é importante para definir parâmetros relativos ao seu tratamento.

O IMC é calculado dividindo o peso corporal (em quilogramas) pelo quadrado da altura (em metros). A partir do resultado, basta olhar a tabela de referência e saber a zona de risco em que você se encontra.

Use a calculadora abaixo para calcular o seu IMC e verificar como está o seu peso. Coloque o seu peso corporal em quilogramas e a sua altura em metros. Ou seja, se você pesa 58.400 gramas e mede 1 metro e 75 centímetros, coloque na calculadora 58.4 para o peso e 1.75 para a altura. Clique em calcular e veja o resultado.




Tabela de Referência:

IMC < …

Psoríase: novo tratamento

Imagem
O Food and Drug Administration (FDA) aprovou um novo medicamento para o tratamento da psoríase em placas, o Stelara (ustekinumab). A nova medicação é um produto biológico para uso em adultos com psoríase moderada ou severa.

A psoríase em placas é uma doença do sistema imunológico que resulta em produção rápida de células da pele. Ela é caracterizada pelo surgimento de lesões avermelhadas e descamativas, bem limitadas e de evolução crônica.

Stelara é um anticorpo monoclonal produzido em laboratório que mimetiza o trabalho dos anticorpos produzidos naturalmente pelo sistema imunológico. O medicamento trata a psoríase bloqueando a ação de duas proteínas que contribuem para o aumento na produção de células da pele e para a inflamação.

Três estudos com 2.266 pacientes avaliaram a segurança e a efetividade do medicamento.

Uma vez que o Stelara reduz a habilidade do sistema imune lutar contra infecções, há um risco maior de desenvolver infecções. Algumas infecções sérias foram relatadas em …

Asma

Imagem
A asma brônquica é uma doença inflamatória crônica das vias respiratórias, que se expressa pela redução ou obstrução no fluxo do ar respirado, devido ao edema da mucosa dos brônquios, à hiperprodução de muco nas vias aéreas e à contração da musculatura lisa dessa região.

Além disso, pode ocorrer a presença de células inflamatórias nas vias aéreas, exsudação de plasma, hipertrofia muscular, rolhas de muco e descamação do epitélio.

O estreitamento das vias aéreas geralmente é reversível, de forma espontânea ou através de medicações, mas pode também tornar-se irreversível, em pacientes com asma crônica. A asma brônquica pode se iniciar em qualquer momento da vida, mas na maioria das vezes começa na infância.

A asma é causada por uma hipersensibilidade dos brônquios, na maioria das vezes de causa hereditária. Sua fisiopatologia está relacionada à interação entre fatores genéticos e ambientais.

Por um lado, cerca de um terço dos asmáticos possui um familiar (pais, avós, irmãos ou filho…

Entorse de tornozelo

Imagem
A torção (ou entorse) do tornozelo pode provocar uma situação em que os ligamentos do tornozelo são alongados, as articulações são forçadas e as estruturas que envolvem toda a região, como as fácias, são submetidas a tensões extraordinãrias e quando o pé gira para dentro, podendo até se romper parcial ou totalmente.

Mas, o mecanismo pode ser inverso, com a torsão da região para fora, também, embora naturalmente mais raro...

De qualquer modo, as estruturas "moles" que envolvem os ossos do tornozêlo podem ser afetadas em variados graus, na dependência da extensão do entorse.

A torção no tornozelo pode ocorrer quando se “pisa em falso” num buraco ou degrau, ou então durante a prática de um esporte, quando, por um desequilíbrio, o pé pisa mal no chão.

Outra causa comum da torção do tornozelo são os saltos muito altos, quando se quebram ou quando se “cai” deles.

Esse efeito fica potencializado quando a pessoa tem uma causa qualquer de enfraquecimento dessa articulação.

Também…

Fraqueza muscular

Imagem
A fraqueza muscular é uma das razões mais comuns que levam pacientes a procurarem o consultório médico e é considerada a perda de força muscular, apesar de que muitas pessoas também usam esta expressão quando se sentem fatigados de uma maneira geral ou quando apresentam alguma limitação em função de dor muscular ou articular.

Ela pode afetar poucos ou vários músculos e pode acontecer de maneira súbita ou progressiva.

Pode atingir grupos musculares específicos, como, por exemplo aqueles envolvidos com os movimentos dos olhos, da deglutição e da respiração.

As causas da frqqueza muscular são classificadas de acordo com a localização da lesão que origina o problema e, geralmente, lesões em determinadas localizações manifestam achados clínicos que condizem com a sua origem provável.

Algumas csusas mais comuns de fraqueza muscular:

Tumores cerebrais;

Esclerose múltipla;

Acidente vascular cerebral;

Compressão da medula espinal, por trauma, tumor ou espondilose ("bico de papagaio"…

Porfíria

Imagem
Porfiria é um grupo de distúrbios raros, hereditários ou adquiridos, que se manifestam como problemas na pele e/ou no sistema nervoso central e que se devem a alterações enzimáticas no processo de formação do heme (grupamento químico contendo um átomo de ferro que se junta às porfirinas para formar a hemoglobina e a mioglobina).

Existem diferentes tipos de porfirias, classificadas de acordo com as deficiências enzimáticas do processo de síntese do heme. Porfiria (do grego porphýra = pigmento roxo) faz referência à coloração arroxeada dos fluidos corporais dos pacientes durante um ataque da doença. As porfirias hereditárias são transmitidas de geração a geração.

A porfiria se transmite de uma geração à geração seguinte, num mecanismo herdado que envolve certas enzimas participantes do processo de síntese do heme.

Normalmente, o corpo produz o heme num processo dividido em diversas etapas, que produz a porfirina.

A fisiopatogenia (como ela funciona) da doença provavelmente está liga…

Esôfago de Barrett: o que é?

Imagem
O esôfago de Barrett é uma condição em que há uma metaplasia (mudança anormal) de células da porção inferior do esôfago, causada pela exposição prolongada ao conteúdo ácido proveniente do estômago.

A condição recebeu esse nome em homenagem ao cirurgião australiano Norman Barrett, que a descreveu pela primeira vez em 1957.

Ele é duas vezes mais frequente em homens brancos que em mulheres e tem uma incidência aumentada em alcoólatras e tabagistas.

É raro entre descendentes de africanos e asiáticos.

O esôfago de Barrett é considerado uma lesão pré-maligna porque pode evoluir para um adenocarcinoma.

O conteúdo do estômago é muito ácido.

Por causa disso, o estômago possui um revestimento especial para resistir a esta acidez alta. No entanto, o esôfago não possui esse revestimento e sofre as consequências da acidez quando o conteúdo do estômago reflui para o esôfago, na doença do refluxo gastroesofágico.

O esôfago de Barrett ocorre, então, em pacientes com refluxo gastroesofágico de d…

Glicemia elevada X Demência

Imagem
É sabido que o diabetes mellitus é um fator de risco para o desenvolvimento de demência. Desconhece-se se os níveis de glicose mais elevados aumentam o risco de demência em pessoas sem diabetes.

O estudo, publicado pelo The New England Journal of Medicine (NEJM), usou 35.264 medições clínicas de níveis de glicose e 10.208 medições dos níveis de hemoglobina glicosilada, de 2.067 participantes sem demência, para examinar a relação entre os níveis de glicose e o risco de demência. Os participantes faziam parte do estudo Adult Changes in Thought e incluíam 839 homens e 1.228 mulheres, com idade média de 76 anos no início do estudo.

Eram portadores de diabetes 232 participantes e 1.835 não tinham a doença. Após análises estatísticas e ajustes para idade, sexo, nível educacional, nível de atividade física, pressão arterial e o estado em relação às doenças coronarianas e cerebrovasculares, fibrilação atrial, tabagismo e tratamento para a hipertensão arterial, foram analisados os resultados…

Autismo: novidades!

Imagem
Um grupo de cientistas decifraram uma série de padrões biológicos que possibilitam o diagnostico do autismo em crianças menores de um ano, segundo uma pesquisa apresentada nesta quinta-feira na cidade australiana de Adelaide.

A pesquisa, divulgada durante a Conferência para o Autismo na Ásia-Pacífico, mostra como a rede genética interrompe a produção de células cerebrais que acarretam nesta doença, que afeta um em cada 100 crianças em maior ou menor medida.

O autismo é uma síndrome comportamental que causa comprometimentos no relacionamento e interação com outras pessoas, na linguagem e apresenta comportamentos restritos e repetitivos.

Atualmente há a tendência de denominar o autismo dentro de um "espectro autista" tamanha a diversidade de manifestações que integram este quadro!

Abaixo estão exemplos do que pode acontecer ou não com um bebê ou uma criança autista. O diagnóstico só poderá ser determinado por um especialista.

A criança não se reconhece pelo nome. Os pais a ch…

Fratura óssea

Imagem
Uma fratura óssea é a perda da continuidade de um osso, que o divide em dois ou mais fragmentos. As fraturas ósseas são acontecimentos muito frequentes.

Embora haja várias causas acidentais de fraturas, cerca de 40% das fraturas acontecem no ambiente doméstico.

Algumas fraturas são tão simples que nem chegam a ser percebidas ou resolvem-se espontaneamente, mas outras podem ser tão graves que acarretam risco de morte.

Elas podem ocorrer aleatoriamente a todas as pessoas, mas há uma maior incidência em certos grupos específicos, tal como em mulheres após a menopausa, devido à osteoporose (diminuição da densidade do osso pela menor produção de hormônios estrogênicos) e em idosos, devido ao maior número de quedas e à fragilidade óssea e muscular.

Os traumatismos que incidem sobre os ossos com forças superiores a sua capacidade de deformação são as causas mais frequentes de fraturas.

Isso acontece, sobretudo, em quedas, pancadas e acidentes, mas há também fraturas que ocorrem devido a…

Tumores ósseos

Imagem
O tumor ósseo é um nódulo ou uma massa que se forma num osso quando células se dividem de forma incontrolável.

Alguns tumores ósseos nascem no osso e são ditos primários; outros se originam em outras partes do organismo e se espalham para o osso, o que se denomina de metástases ósseas.

Progressivamente, os tumores substituem o tecido ósseo normal pelas células malignas, enfraquecendo os ossos e levando a fraturas patológicas. A maioria dos tumores ósseos é benigna e localizada.

Os tumores ósseos primários malignos podem levar a metástases à distância, em outros ossos ou em outros órgãos, através do sangue ou do sistema linfático.

Os tumores ósseos podem ser benignos (osteocondromas, encondromas, fibromas condromixoides, osteomas osteoides, tumor de células gigantes, condroblastomas) ou malignos (osteossarcomas, tumores de Ewing, condrossarcomas, mielomas múltiplos, plasmocitomas, metástases ósseas), originários do próprio osso ou de órgãos à distância e estabelecidos neles como me…

Hematúria

Imagem
Hematúria é a perda de sangue pela urina.

Normalmente há a presença de algum sangue na urina, mas em muito pequena quantidade.

Diz-se que há hematúria quando se constata a presença de cinco ou mais hemácias por campo da análise microscópica do sedimento urinário, confirmada em pelo menos duas amostras de urina.

Diz-se, também, que a hematúria é macroscópica quando há perda visível de grande quantidade de sangue pela urina, o que confere a ela uma coloração avermelhada clara (cor de caldo de carne) ou marrom (cor de coca-cola), quando o sangramento for intenso.

Alguns alimentos, como beterraba, páprica e ruibarbo e algumas medicações podem alterar a cor da urina e dar uma falsa impressão de hematúria.

Ela é microscópica quando apenas há perda de pequena quantidade de sangue, não havendo alteração da cor da urina. A hematúria microscópica só pode ser diagnosticada por uma análise feita ao microscópio.

A hematúria é um sinal que não pode ser ignorado, porque tanto pode dever-se a …

Caspa (dermatite seborreica)

Imagem
A caspa é uma descamação excessiva do couro cabeludo, na qual surgem entre os fios de cabelo pequenas escamas brancas, sem a presença de inflamação do couro cabeludo. É considerada a variedade mais comum e mais branda de dermatite seborreica.

A caspa pode ser assintomática ou acompanhada de prurido leve. Sua intensidade costuma piorar nos meses do inverno, principalmente devido aos banhos quentes, que interferem de modo mais acentuado na oleosidade da pele.

Existem diversos tratamentos para a caspa. A via de administração mais utilizada é a tópica, com a utilização de xampus contendo piritionato de zinco ou cetoconazol, por exemplo.

O piritionato de zinco cura o couro cabeludo ao normalizar a queritinização epitelial e a produção sebácea.

Também pode ser utilizado o sulfato de selênio. Há ainda a utilização de xampus com coaltar, mas após a divulgação de pesquisas indicando que sua utilização em longo prazo pode ser carcinógena, o produto em questão tem sido preterido.

Autismo

Imagem
O autismo é uma síndrome comportamental que causa comprometimentos no relacionamento e interação com outras pessoas, na linguagem e apresenta comportamentos restritos e repetitivos.

Abaixo estão exemplos do que pode acontecer ou não com um bebê ou uma criança autista. O diagnóstico só poderá ser determinado por um especialista.

A criança não se reconhece pelo nome. Os pais a chamam e ela não responde. Como ela é capaz de identificar outros sons, não se trata de um problema de surdez.

A criança prefere ficar sozinha. Quando deixada deitada no berço ela não reclama, parece preferir o berço ao colo dos pais.

A criança não fala, não olha e mostra certa apatia. Têm uma fisionomia pouco expressiva e não interage com outras crianças.

Crianças sem autismo geralmente imitam os adultos e querem todas as atenções voltadas para ela, já as crianças com sinais de autismo não acompanham os acontecimentos a sua volta.

Quando a mãe sai para trabalhar ou volta do trabalho, a criança não mostra interes…

Alergia e Rinite

Imagem
Resposta alterada do sistema imunológico diante de substâncias que normalmente são inofensivas à maioria dos seres humanos.

A função deste sistema é distinguir o que faz parte do nosso corpo daquilo que nos é estranho; quando detecta um intruso, o organismo age por meio de uma resposta.

Devido à condição genética do indivíduo alérgico, a reação imunológica é exagerada quando a exposição à substância estranha – chamada de alérgenos – se repete.

Isso provoca manifestações clínicas que dependerão da região do organismo em que estas respostas ocorrerem.

Quando esta alergia se manifesta nas narinas, é chamada de rinite alérgica.

Obstrução nasal, espirros freqüentes, prurido nasal e coriza (secreção) clara abundante.

Coceira na garganta e nas orelhas podem estar presentes, assim como alguns sintomas oculares associados: lacrimejamento, prurido, inchaço e vermelhidão nas pálpebras.

Voz desnasalizada, diminuição do olfato, respiração oral, ronco noturno e mau rendimento físico e mental …

Medicina Ortomolecular

Imagem
A Medicina ortomolecular (pronuncia-se ôrto ou órto) é um princípio das atividades da chamada Medicina Alternativa no qual se evidência que as doenças são resultado de desequilíbrios químicos.

Assim, os tratamentos ortomoleculares buscam a restauração dos níveis de vitaminas e minerais considerados ideais no organismo.

Medicina Ortomolecular é o ramo da ciência cujo objetivo primordial é restabelecer o equilíbrio químico do organismo. Este acerto (orto=certo) das moléculas se dá através do uso de substâncias e elementos naturais, sejam vitaminas, minerais, e/ou aminoácidos.

Estes elementos,além de proporcionarem um reequilíbrio bioquímico, combatem os radicais livres.

Mas por que o organismo se desequilibra?

Para entendermos como isto se dá, podemos partir de uma analogia.

O organismo é uma máquina que está permanentemente se produzindo. Durante este processo de produção podem surgir falhas, seja na chegada de matéria-prima (vitaminas, minerais, etc.), seja na própria integração d…

Para que servem?

Imagem
Por que os homens têm mamilos?

Os mamilos têm uma função óbvia no corpo feminino. Mas para os homens eles parecem não ter importância. Assim, cabe a pergunta: por que os homens têm mamilos?

A resposta é bastante simples. Durante as primeiras semanas da gestação todos os fetos se desenvolvem como um corpo feminino, formando tecido mamário e também os tecidos que formam os mamilos. Após cerca de quatro semanas é iniciado o processo de diferenciação sexual, e o desenvolvimento das mamas nos fetos masculinos pára.

Pesquisadores acreditam que devido a importância que o bom funcionamento dos seios em mulheres tem para a reprodução, a pressão adaptativa não foi suficiente para que a evolução excluísse essas estruturas durante seu processo de modificações.

fonte: Blog Boa Saúde

A medicina ainda não conseguiu explicar a fixação que homens sentem por seios, mas um novo estudo aponta um motivo que pode fazer muito sentido.

O pesquisador Larry Young, da Universidade Emory (EUA), afirma que a evo…

Artrite e Artrose

Imagem
Artrite e artrose são doenças com causas e tratamento diferentes, porém com sintomas que podem ser muito semelhantes, o que costuma causar alguma confusão, fazendo com que as duas condições, que realmente são parecidas, sejam erradamente tratadas como uma patologia única.

A articulação é a região onde há conexão de dois ou mais ossos distintos. Exemplos: joelhos, cotovelo, punhos, tornozelo, ombros, etc. A ilustração à esquerda mostra a articulação do ombro.

As articulações ao longo do corpo não são todas iguais.

Algumas articulações são conectadas por um tecido fibroso, que cola um osso ao outro, tornando-os imóveis, como no caso dos ossos do crânio; outras são ligadas por cartilagens e permitem uma pequena mobilidade como os discos vertebrais que unem as vértebras da coluna; há ainda as articulações móveis, que normalmente são ligadas por uma cartilagem e uma bolsa cheia de líquido (líquido sinovial) permitindo amplo movimento dos ossos com mínimo atrito entre eles, como é o caso …