Total de visualizações de página

sábado, 27 de outubro de 2012

Giardíase: uma parasitose desagradável.




A giardíase, também conhecida por lambliose, é uma infecção intestinal causada pelo protozoário flagelado Giardia lamblia.

Ele pode se apresentar em forma de cisto ou trofozoíto, sendo que a primeira é a responsável por causar diarreia crônica com cheiro forte, fraqueza e cólicas abdominais no hospedeiro (cão, gato, gado, roedores, ser humano, dentre outros), graças às toxinas que libera.




Essas manifestações podem gerar um quadro de deficiência vitamínica e mineral e, em crianças, pode causar a morte, caso não sejam tratadas.
Ocorre em todo o mundo, mas é mais frequente em regiões onde as condições sanitárias e de higiene são precárias.

Os protozoários são transmitidos pela ingestão dos cistos oriundos das fezes de indivíduo contaminado, podendo estar presentes na água, alimento, nas mãos, e até mesmo durante sexo oral-anal. Moscas e baratas também podem transportá-los.

No estômago, dão origem aos trofozoítos. Esses colonizam o intestino delgado, se reproduzem e seus descendentes, após sofrerem processo de encistamento, são liberados para o exterior do hospedeiro, quando este defecar.

O período de incubação é entre uma e quatro semanas e a infecção pode ser assintomática.

O diagnóstico é feito via exame de fezes ou, em casos raros, biópsia de material duodenal.

A prevenção é feita adotando-se hábitos de higiene, como lavar as mãos após ir ao banheiro, trocar fraldas, brincar com animais e antes de comer ou preparar alimentos; ingerir unicamente água tratada; higienizar os alimentos antes do consumo e cura dos doentes.

Vale lembrar que o cloro não mata os cistos e que, portanto, alimentos ou água tratados unicamente com cloro não impedem a infecção por este protozoário.

Descrição da doença:

Nas infecções sintomáticas apresenta um quadro de diarréia crônica, esteatorréia (gordura nas fezes), cólicas abdominais, sensação de distensão, podendo levar a perda de peso e desidratação.

Febre é um sintoma menos comum e ocorre em menos de 15% dos casos.

Agente etiológico - Giardia intestinalis, protozoário flagelado, foi inicialmente chamado de Cercomonas intestinalis por Lambl em 1859 e renomeado Giardia lamblia por Stiles, em 1915, em memória do Professor A. Giard, de Paris e Dr. F. Lambl, de Praga. Muitos consideram Giardia intestinalis, o nome correto para esse protozoário.
Ciclo de vida:

A infecção ocorre pela ingestão de cistos em água ou alimentos contaminados. No intestino delgado, os trofozoítos sofrem divisão binária e chegam à luz do intestino, onde ficam livres ou aderidos à mucosa intestinal, por mecanismo de sucção. A formação do cisto ocorre quando o parasita transita o cólon, e neste estágio os cistos são encontrados nas fezes (forma infectante). No ambiente podem sobreviver meses na água fria, através de sua espessa camada.

Tratamento:

A giardíase deve sempre ser tratada, apresentando sintoma ou não. O tratamento preferencial é feito com Tinidazol 2g, dose única. Podendo também ser usado Metronidazol, Secnidazol ou Albendazol.

Prevenção:

A prevenção da giardíase é feita através de medidas de higiene pessoal, educação sanitária, incluindo lavar as mãos após uso do banheiro, filtrar a água potável e saneamento básico.

Nenhum comentário: