Enxaquecas e perfumes...




A enxaqueca em homens tem ligação com o olfato. Quase metade (48%) dos homens analisados em uma pesquisa divulgada pela publicação científica nacional Arquivos de Neuropsiquiatria apontou os cheiros fortes como fator que desencadeia as crises, sendo o perfume o campeão de reclamações. Além disso, 73% dos entrevistados afirmaram que os odores pioram um quadro de enxaqueca já instalado.

A luminosidade também aparece como fator importante para os pacientes de enxaqueca. em uma determinada pesquisa, esse fator foi apontado por 74% dos homens como fator de piora das crises.

No caso dos elementos que desencadeiam o problema, também chamados de ‘gatilhos’, o cheiros só ficam atrás das situações de estresse, citadas por 59% dos homens analisados. Comidas, bebidas alcoólicas, som alto e atividades físicas completam a lista dos vilões da enxaqueca masculina, segundo o estudo.

A verdade é que existe uma série de odores capazes de provocar dor de cabeça em certas pessoas; entre os mais comuns, temos:

Perfume
Alimentos
Gasolina
Álcool
Querosene
Amoníaco
Água sanitária
Cigarro
Produtos de limpeza
Ceras
Poluição

Observe, então, que não se trata de "manha" de algumas pessoas quando elas dizem não suportar cigarro (por exemplo), que lhes da dor de cabeça. Trata-se da mais pura verdade, devendo-se, nesses casos, respeitar o problema dessas pessoas, evitando-se fumar perto delas.

Ao que parece, o responsável por esse tipo de evento, na maioria dos casos, é a composição química do odor da substância inalada, e sua (má) interpretação por um "circuito" localizado no cérebro, provavelmente um circuito denominado "Sistema Límbico".

Alguns odores estimulam este sistema, de modo a "ligar" todo o mecanismo que leva à dor de cabeça.

Prova disso são estudos feitos em pessoas que tinham esse tipo de sensibilidade até sofrerem um acidente que deixou como consequência a perda do sentido do olfato (problema este conhecido como "anosmia"). Tais pessoas deixam de ter suas dores de cabeça na aspiração de substâncias cujo cheiro, antes, as provocava!

Note que neste caso, o produto químico, mesmo aspirado para os pulmões, não provoca dor de cabeça naquelas pessoas incapazes de sentir seu cheiro!

E importante observar, contudo, que isso não vale para todas as substâncias. Há aquelas que são muito tóxicas e, ao serem inaladas em excesso, produzem sintomas de intoxicação, entre os quais, a dor de cabeça, que nada tem a ver com a enxaqueca.

E isso, quer as substâncias em questão tenham cheiro, quer não.

Felizmente, na maioria dos casos, esse tipo de sensibilidade tende a ir desaparecendo, conforme o tratamento vai progredindo.

Perceba você, mediante o que foi exposto, que não se trata, absolutamente, de mera "implicância" das pessoas que reclamam de dor de cabeça devido a certos cheiros; mas sim, de algo que está por trás de uma relação cientificamente estabelecida.

Já cheguei a pedir para algumas pacientes que viessem para a consulta sem o perfume que habitualmente usavam, pois, de longe, do andar de baixo da casa, me causavam fortes enxaquecas.
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses