Roupas tecnológicas




A ciência é realmente algo impressionante para todos nós e vem trazendo muitas novidades em vários setores para nos dar conforto, alívio e melhorar a performance em determinadas circunstâncias, como as práticas esportivas, sejam as radicais, profissionais ou, simplesmente, para prevenir e relaxar, afinal, esporte, adequadamente praticado, pode nos ajudar até mesmo a prevenir doenças.

A tecnologia dos tecidos esportivos é um dos setores que mais tem evoluído recentemente e podemos ver na tv, com frequência, alguns tecidos que nos chamam atenção.

Há poucos dias assisti um trecho de um jogo de futebol no qual um dos jogadores, após ser contundido (machucado) na região cefálica (cabeça), para continuar jogando, usou uma toca compressiva, de tecido especial, para conter sangramentos e para reduzir edema (inchaço), diferente do que se faria até pouco tempo atrás, quando se colocava bandagens que eram presas por esparadrapos e que se soltavam com alguma facilidade ou comprimiam demais a cabeça, gerando desconforto.

Pareceu-me que o jogador em questão estava bem adaptado com a toca e jogou todo o resto da partida com ela.

Vemos, também, que os jogadores dos mais variados esportes usam roupas bem mais específicas para sua prática esportiva específica - perdão pela redundância - e acaba melhorando até mesmo seu desempenho na atividade.

Nas últimas olimpíadas vimos que os competidores em natação usavam uma roupa que melhorava a performance a ponto de gerar discussões no comitê olímpico sobre a manutenção ou não desta roupa que parece reduzir o atrito do corpo na água, melhorando rendimento e reduzindo o tempo de conclusão das competições em frações de segundos decisivos para vencer ou não uma prova de alto nível.

Roupas com nanotecologia, com sais de prata, fibras dispostas de tal modo que auxiliam os músculos, que melhoram a microcirculação periférica, enfim, que têm funções muito importantes para melhorar a condição e a prática de atividades físicas são uma realidade.

Até mesmo para o dia-a-dia, temos estas roupas à venda, com os tecidos ditos "inteligentes", que não se impregnam de sujeira com tanta facilidade, que repelem a água e outras características já se tornaram relativamente comuns.

O preço ainda não é muito convidativo, mas as roupas realmente valem a pena de serem adquiridas e usadas.

Os calçados também têm uma "tecnologia embarcada" bem interessante, que ajudam, por exemplo, a poupar o pé do diabético, a melhorar a corrida, a curar um esporão de calcâneo, a reduzir tendinites...

Alguns produtores primam por roupas focadas em esportes, dando prioridade para a performance e afirmam que elas devem se adequar aos movimentos, reduzir atritos e gerar conforto. Outros se aprimoram em cuidar de pessoas com limitações específicas, tentando gerar alívio para os problemas que elas têm.

De qualquer modo, é bom saber que estamos vivendo uma época na qual até mesmo as roupas vão se adequando às nossas necessidades, sem deixar de lado a questão da moda, mas priorizando nossa saúde.
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses