Tratamento cirúrgico do refluxo gastro-esofágico




A cirurgia anti-refluxo pode ser convencional ou laparoscópica, ambas operações de fundoplicatura, que é uma técnica que modifica a região do estômago chamada de fundo gástrico.

Ambas as técnicas são equivalentes no que diz respeito ao desaparecimento dos sintomas, com base em observações por períodos de até três anos.

Convém mencionar que os resultados das fundoplicaturas dependem da experiência do cirurgião em operações.

Indicações para tratamento cirúrgico de refluxo gastro-esofágico:

Pacientes que não respondem satisfatoriamente ao tratamento clínico, inclusive aqueles com manifestações atípicas cujo refluxo foi devidamente comprovado;

Pacientes dos quais é exigido tratamento de manutenção com IBP (medicamentos para o tratamento do estômago), especialmente aqueles com menos de 40 anos de idade;

Casos em que não é possível a continuidade do tratamento de manutenção, por exemplo, a impossibilidade de arcar financeiramente com os custos do tratamento clínico a longo prazo.

Mais informações:

A conduta cirúrgica apropriada depende da extensão e da localização da estenose, bem como da avaliação prévia da função motora do corpo do órgão, realizada por meio da manometria (aferição do nível pressórico na região de transição entre esôfago e estômago).

Nas estenoses baixas (retrações de tecido esofagiano, com redução do espaço para os alimentos passarem), com função motora normal, está indicada a fundoplicatura total. Quando existir disfunção motora significativa, a fundoplicatura parcial mostra-se adequada.

Nos casos em que se observa estenose longa e filiforme, o tratamento cirúrgico mais apropriado é a ressecção com abordagem torácica.

Há muito mais o que dizer e estas são apenas algumas informações sem intenção mínima de esgotar o assunto.
580 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses