Translate

Total de visualizações de página

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Gripe Porcina

A Organização Mundial de Saúde anunciou nesta quarta-feira (29) que o nível de pandemia mundial para o surto de gripe suína atingiu nível 5, em uma escala de 1 a 6, indicando que existe ameaça iminente de pandemia global.

"Com base nas informações atuais e em análises de especialistas, eu decidi elevar o nível de alerta da pandemia de influenza da atual fase 4 para a fase 5", anunciou Margaret Chan, diretora-geral da OMS. "A pandemia está evoluindo rapidamente e a situação deve ser levada muito a sério."

Keiji Fukuda, diretor-assistente da OMS, acrescentou que os países devem avaliar a situação da infraestrutura necessária para lidar com a pandemia e aumentar o acompanhamento de casos suspeitos.

Ao mesmo tempo em que a diretora da OMS anunciava a decisão, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, concedia em Brasília uma coletiva de imprensa, na qual explicou que as medidas recomendadas pelo órgão internacionais "já estão sendo tomadas no Brasil desde sábado".

"Agora o que vamos fazer é aguardar que surjam recomendações adicionais da OMS em relação a essa situação", acrescentou o ministro.

Temporão também confirmou que o Brasil tem dois casos suspeitos e monitora o estado de saúde de outras 36 pessoas.

Nesta quarta-feira, Alemanha e Áustria confirmaram seus primeiros casos de gripe suína, aumentando para 11 o número de países com casos confirmados da doença, segundo os governos locais: México (49), Estados Unidos (91), Canadá (19), Espanha (10), Inglaterra (3), Alemanha (3), Nova Zelândia (3), Israel (2), Escócia (2), Costa Rica (1) e Áustria (1). Esses números incluem sete mortes no México e uma nos Estados Unidos, casos em que a ligação com a gripe suína foi confirmada; além dessas, o governo mexicano estima que as doença pode ter matado mais de 150 pessoas no país.

A contagem oficial da OMS relata 148 casos confirmados em todo o mundo - um número menor do que os 184 anunciado pelos órgãos de saúde nacionais. Segundo Rubén Figueiroa, gerente da unidade de doenças transmissíveis da Organização Pan-americana da Saúde, representante regional da OMS, explica que essa diferença se deve ao tempo que os casos levam para serem catalogados pelo organismo internacional. "Vocês da mídia provavelmente conseguem informações muito mais adiantadas do que a gente, mas nós da OMS temos que lidar de forma prudente e verificar seriamente todas as informações não-oficiais do país", afirmou em Brasília o representante.

O nível 4 de pandemia indica que a doença está se espalhando de ser humano para ser humano. Aumentar o índice para nível 5 significa que a doença tem dois focos, em ao menos dois países, indicando pandemia iminente.

Questionada sobre as precauções que o cidadão comum deve tomar diante da nova classificação, Margaret Chan declarou que as precauções tradicionais devem ser mantidas, evitando riscos desnecessários. "Eu diria que o costume de trocar beijos ou abraços ao cumprimentar conhecidos poderia ser evitado."

terça-feira, 28 de abril de 2009

Gripe Suína (Porcina)

Sem Pânico, por favor!

Com todas as notícias sensacionalistas sobre a chamada gripe suína por todo mundo, achei melhor citar algumas informações mais precisas sobre ela:

Apenas aproximadamente 150 casos foram definitivamente notificadas como sendo a Gripe Suína, a maioria no México, alguns casos nos Estados Unidos e Canadá. Aparentemente 160 mortes por conta dela. Pelo menos teoricamente, não constituem uma pandemia, como alardeiam...

Este vírus não ataca os suínos, então, pode-se comer carne suína sem problemas...

Não existem vacinas para preveni-la. As vacinas para gripe comum, não fazem qualquer efeito preventivo para ela...

Este vírus, assustador, é, na verdade, um "mix" de vírus que circulam por aves, suínos e humanos, de acordo com as informações da OMS e da Reuters, agência de notícias. Teria sido criado em laboratório? Ainda não se sabe... ai, ai, ai!

Alguns grandes laboratórios estão verdadeiramente excitados (já recebi carta da Roche, alardeando para com esta doença e para os benefícios do medicamento que eles produzem - um anti-viral caríssimo, chamado Tamiflu). Parece que sonham em vender algo como 400 milhões de embalagens do tal produto - aí as ações da Roche na bolsa de valores estarem a subir de valor.

A produção de vacinas para qualquer dessas gripes "novas" sempre demoram algo em torno de 6 meses a um ano para serem padronizadas e produzidas... vamos ter de aguardar pelo menos este período, sem absorver um comportamento demasiadamente apreensivo.

Sua melhor defesa será, sempre, um sistema imune trabalhando bem.

domingo, 26 de abril de 2009

Essa eu vou deixar 2 dias para vocês lerem!

Preparado para a Declaração de IR 2009!!!!!


Já atualizou sua lista de dependentes do IR? Não?

Então pode copiar da minha.
Tenho certeza de que me esqueci... De um monte...
Você pode lembrar e acrescentar para mim?

DECLARAÇÃO ANUAL DE RENDIMENTOS - PESSOA FÍSICA


RELAÇÃO OFICIAL DOS
DEPENDENTES:

01) Governo Federal - IR, CPMF etc.;

02) Governo Estadual - IPVA, ICMS etc.;

03) Governo Municipal - IPTU, TRSD, ISSQN etc.;

04) INSS - Contribuição previdenciária;

05) Conselho Regional Profissional - Contribuição anual ;

06) Sindicato da Categoria Profissional - Contribuição anual;

07) DMAE/COMLURB - Contas de água e esgoto (consumo mínimo mesmo que não tenha consumido) e taxa de coleta de lixo;

08) CEEE/CEG - Contas de luz e gás (consumo mínimo mesmo que não tenha consumido);

09) Telefonica/BrasilTelecom /TIM/ CLARO / VIVO celular - Assinatura mensal;

10) Plano de Saúde - Mensalidade;

11) Detran - Licenciamento anual de veículo, transferência e renovação de carteira de habilitação;

12) Contran - Taxa de inspeção veicular ;

13) IRB - Seguro automotor obrigatório ;

14) Concessionárias de estradas de rodagem - Pedágios ;

15) CET/DSV/ESTAR - Talões de estacionamento ;

16) Terminais aeroviários e rodoviários - Taxa de uso dos sanitários e estacionamento ;

17) Instituições financeiras - Taxas de administração e manutenção de contas correntes, renovação anual de cartões de crédito, requisição de talões de cheque etc.;

18) Tomadores de conta de veículos, guardadores de lugar em filas, cambistas diversos, flanelinhas e vendedores de semáforos - Caixinha, cafezinho etc.;

19) Carteiro, lixeiro, varredor de rua, porteiro do prédio, leitores de relógios e entregadores de contas, entregadores de gás, de água etc. - Páscoa, Natal, Ano Novo etc.
20)Corpo de Bombeiros _ TAXA DE INCENDIO, não mais um serviço público!!!

Mais 567 deputados federais

81 senadores, com as respectivas AMANTES e CORJAS.

E Dna. Marisa, "a inútil”, e os gastos livres e sem controle dos Palácios do Planalto e da Alvorada.

Fora o Cartão de Crédito do Presidente Lula que já ultrapassou os 2 milhões!!! Saiu no jornal O Globo do dia 16/03/09!


É mole?

Repasse!! É seu dever informar a todos para completarem devidamente o seu imposto de renda!

sábado, 25 de abril de 2009

Alimentos

É preciso examinar o rótulo dos alimentos que ingerimos.

Cinco ingredientes não podem estar entre os primeiros listados no rótulo:

gorduras saturadas,

gorduras trans,

açúcar simples,

açúcar invertido

e farinha de trigo enriquecida.

Dois desses nutrientes são gorduras, dois são açúcares.

Os dois tipos de gordura podem estimular processos inflamatórios no fígado que forçam a produção de substâncias deletérias, como o colesterol.

Também fazem com que o fígado fique menos sensível à insulina, aumentando o risco de diabetes.

Os açúcares listados fazem mal por estimular a produção de insulina, o que aumenta o depósito de gordura corporal.

O pior é que esses cinco itens são os mais comuns nas dietas atuais...

You need to take care!

Fazer várias pequenas refeições por dia...



Deve-se comer de três em três horas. Se o intervalo é maior, a taxa de hormônio grelina, que estimula a fome, começa a subir. O problema é que, após uma refeição, ainda demora trinta minutos para que a taxa desse hormônio volte a baixar. Em conseqüência disso, acaba-se comendo mais do que se deveria. O mais importante, além de comer alguma coisa a cada três horas, é trocar as refeições grandes por pequenas, intercaladas por lanchinhos. Esse conceito não foi criado por mim. É o que mostram as pesquisas científicas..

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Fonte da Juventude

Há catorze agentes principais envolvidos no envelhecimento. Sete retardam o processo, como os antioxidantes, e sete nos enfraquecem, como a atrofia muscular. É preciso manter esses agentes sob controle. O primeiro passo para alcançar esse objetivo é pensar não na possibilidade de ficar doente, mas na necessidade de manter o organismo saudável. Deve-se tirar o foco da prevenção dos males e direcioná-lo para a preservação da saúde. Se ninguém mais morresse de câncer e de doenças cardiovasculares, a expectativa de vida média do ser humano subiria apenas nove anos. Isso mostra que, para aumentar consideravelmente a expectativa de vida, não basta evitar doenças. É preciso cuidar do corpo para que ele não enfraqueça. Quando uma pessoa envelhece, doenças potencialmente fatais, como o câncer e o infarto, não aparecem de imediato. Antes que elas se instalem, o corpo torna-se mais frágil e vulnerável..

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Saúde Mental: Integração na Web

Calcula-se que até 79% dos usuários da Internet procuram por informações relativas à saúde, a maioria delas fazendo pesquisas com palavras-chave para doenças específicas. Isso, como quase tudo na vida, tem um lado positivo e um lado negativo, ou seja, a par dos benefícios devemos considerar os custos.

Sobre os benefícios da Internet para o profissional médico em geral e, em particular, para o psiquiatra, tem sido inegável a enorme facilidade ao acesso e aquisição do conhecimento, para a possibilidade de continuada atualização e a infinita ampliação da integração com outros profissionais do mundo todo e, se quiser, em tempo real (Geraldo José Ballone, Trabalho que deveria ser apresentado no XIX Congresso Brasileiro de Psiquiatria, 2001).

Para o público geral os benefícios podem ser praticamente os mesmos, acrescidos das facilidades em ampliar o conhecimento de problemáticas pessoais, esclarecimento de dúvidas e acesso à orientações mais especializadas.

Mas isso tudo não é isento de riscos e custos (nem sempre financeiros). E os mesmos argumentos listados para os benefícios da Internet para a medicina e para o público podem ser usados para alertar sobre os problemas dela decorrentes. Essa questão nos faz lembrar da frase, cômica, sobre o computador ter vindo resolver problemas que não tínhamos.

Boa parte dos problemas decorrentes da integração universal através da Internet diz respeito, exatamente, ao excesso da informação e de sua disponibilidade indiscriminada.

O gigantesco volume de informações não seria problema se não causasse ansiedade e angústia ao ser humano que se depara com possibilidades ilimitadas de “saber mais e indefinidamente”. Mas isso não se trata de um agravo da Internet em si. A impossibilidade e angústia do ser humano diante da Internet decorrem sim, da limitação natural à nossa biologia e da aspiração egoística em saber cada vez mais, próprio de nossa natureza.

Não seria problema também, o gigantesco volume de informações, não fosse sua origem e confiabilidade duvidosas, bem como o fato de haver, em média 19 reproduções de cada arquivo colocado na rede.

Para termos uma idéia do crescente geométrico desse volume de informações, lembramos que foi gerada maior quantidade de informação nos últimos 50 anos que nos 50 mil anos anteriores. E mais assustador ainda é saber que esse número duplicará nos próximos 26 meses (Cenadem®). Em 2010, a informação duplicará a cada 11 horas e a cada ano são produzidos 1,5 bilhão de gigabytes em informação. Atualmente existem mais de 2 bilhões de páginas disponíveis na Internet.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Gravdez Precoce




A gravidez precoce é uma das ocorrências mais preocupantes relacionadas à sexualidade da adolescência, com sérias conseqüências para a vida dos adolescentes envolvidos, de seus filhos que nascerão e de suas famílias.

A incidência de gravidez na adolescência está crescendo e, nos EUA, onde existem boas estatísticas, vê-se que de 1975 a 1989 a porcentagem dos nascimentos de adolescentes grávidas e solteiras aumentou 74,4%. Em 1990, os partos de mães adolescentes representaram 12,5% de todos os nascimentos no país. Lidando com esses números, estima-se que aos 20 anos, 40% das mulheres brancas e 64% de mulheres negras terão experimentado ao menos 1 gravidez nos EUA .

No Brasil a cada ano, cerca de 20% das crianças que nascem são filhas de adolescentes, número que representa três vezes mais garotas com menos de 15 anos grávidas que na década de 70, engravidam hoje em dia. A grande maioria dessas adolescentes não tem condições financeiras nem emocionais para assumir a maternidade e, por causa da repressão familiar, muitas delas fogem de casa e quase todas abandonam os estudos.

A Pesquisa Nacional em Demografia e Saúde, de 1996, mostrou um dado alarmante; 14% das adolescentes já tinha pelo menos um filho e as jovens mais pobres apresentavam fecundidade dez vezes maior.

Entre as garotas grávidas atendidas pelo SUS no período de 1993 a 1998, houve aumento de 31% dos casos de meninas grávidas entre 10 e 14 anos. Nesses cinco anos, 50 mil adolescentes foram parar nos hospitais públicos devido a complicações de abortos clandestinos. Quase três mil na faixa dos 10 a 14 anos.

Já imaginaram como está agora?!

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Stephen Hawking está internado e "muito doente", diz Universidade de Cambridge.

O cientista britânico Stephen Hawking, 67, autor de "Uma Breve História do Tempo" e "O Universo numa Casca de Noz", foi internado e está "muito doente", afirmou nesta segunda-feira a Universidade de Cambridge. As informações são da agência Associated Press.

Hawking vive há anos em uma cadeira de rodas, devido à esclerose lateral amiotrófica, uma doença degenerativa do neurônio motor. Ele fala com a ajuda de um sintetizador de voz.

No fim da tarde, a universidade informou que Hawking estava "confortável" e que iria passar a noite no hospital.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Exposição solar e envelhecimento da pele




Muita gente ainda não acredita que o sol possa ser o principal responsável pelo envelhecimento cutâneo. Ou acredita, mas acha que não vai acontecer com ela, pois não consegue se imaginar daqui a vários anos e pensa apenas no prazer imediato de se ver com a pele bem bronzeada.

Algumas vezes, ao examinar uma pessoa que se queixa da pele envelhecida e dizer que estas alterações são causadas pelo sol, ela rebate: mas eu não vou à praia há mais de 5 anos...

O que estas pessoas não entendem, é que não é apenas o sol do último verão e sim a exposição solar acumulada durante toda uma vida, desde a infância. Na juventude, a pele tem uma grande capacidade de regeneração e "conserta" os danos causados pelo sol na pele. Com o passar dos anos, a pele perde esta ação regeneradora e as alterações características do fotoenvelhecimento começam a aparecer, como manchas, ressecamento, asperezas e perda da elasticidade.

A comprovação

A foto que você vê acima, mostra uma pele bastante envelhecida no dorso da mão.

Trata-se de uma senhora cujos braços sofreram a ação do sol durante o seu dia a dia, pois sempre usou roupas de mangas curtas.

fonte: Dermatologia.net

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Síndrome de Prader Willi

Esta síndrome descrita em 1956 é de origem genética localizada no cromossomo 15 ocorrendo no momento da concepção. Afeta meninos e meninas em um complexo quadro de sintomas, durante todas suas vidas, estes variando em presença e intensidade de indivíduo para indivíduo. Um diagnóstico precoce, antes da manifestação dos sintomas, principalmente a obesidade, tem trazido uma melhora na qualidade de vida dos portadores nos últimos anos. Mas ainda em caso de diagnósticos tardio, uma série de cuidados pode ser iniciados, retornando na qualidade de vida dos portadores.
Bebês com Síndrome de Prader Willi (PWS) apresentam baixo Apgar ao nascer, dificuldade de sugar, choro fraco e são muito pouco ativos, dormindo a maior parte do tempo. Raramente conseguem ser amamentados. Seu desenvolvimento neuro-motor é lento, tardam a sentar, engatinhar e caminhar.
Os sintomas da síndrome variam de individuo para individuo e estão também associados ao ambiente em que este vive, aos estímulos e ao acompanhamento terapêutico e educacional que recebe, os principais sintomas são:

• Hiperfagia - constante sensação de fome e interesse com comida, que pode surgir entre os 2 e 5 anos de idade e levar a obesidade ainda na infância.
• Hipotonia - atraso nas fases típicas do desenvolvimento psicomotor quando bebês. Mais tarde fraco tônus muscular, dificuldades com alguns movimentos, equilíbrio, escrita, uso de instrumentos, lentidão.
Dificuldades de aprendizagem e fala.
• Instabilidade emocional e imaturidade nas trocas sóciais.
Alterações hormonais - atraso no desenvolvimento sexual.
• Baixa estatura.
• Diminuição da sensibilidade à dor.
Mãos e pés pequenos.
• Pele mais clara que os pais.
• Boca pequena com o lábio
superior fino e inclinado para baixo nos cantos da boca.
Fronte estreita.
• Olhos amendoados e estrabismo.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Psicocirurgia

No Congresso Internacional de Neurologia realizado em Londres em 1935 o neurologista português Egas Moniz destacou-se com trabalhos referentes à investigação e intervenção cirúrgica do cérebro enfermo. Estudou particularmente a fisiopatologia dos lobos frontais e suas relações com a afetividade e a conduta. Levantou como hipótese a possibilidade de algumas enfermidades psiquiátricas estarem relacionadas todo com estruturas cerebrais patologicamente estáveis, às quais denominou agrupamentos estabelecidos. Conexões essas que, uma vez interrompidas, possibilitariam a recuperação dos doentes ou a melhora de sua condição.

Egas Muniz realizou a primeira leucotomia pré-frontal em 1936 na Sociedade de Neurologia de Paris, tendo recebido geral e entusiasmada aprovação. Em pouco tempo o emprego da psicocirurgia se espalhou por mundo e foram operados numerosos doentes graves, sobretudo quando violentos. Em 1949, essa descoberta e a da angiografia cerebral fariam com que Egas Moniz recebesse o prêmio Nobel de Medicina.

Deve-se destacar que nessa época não havia qualquer terapêutica eficaz paraenfermidades psiquiátricas graves nas quais se aplicava esse procedimento. A revolução psicofarmacológica que sobreveio vinte anos depois despertou uma onda de otimismo que, associada a denúncias de abuso da psicocirurgia (como a que foi retratada no filme Um Estranho o Ninho) e seu uso no interrogatório policial de nacionalistas argelinos determinaram praticamente seu abandono como procedimento médico usual. A Resolução CFM nº 1.408 de 1994 reflete este momento do entendimento do tema.

De 1935 para cá, no entanto,técnicas cirúrgicas empregadas na cirurgia do comportamento foram muito aperfeiçoadas, assim como foram bastante refinados os procedimentos de indicação clínica, de fundamentação anátomo fisiológica e controle ético dessa matéria. Do ponto de vista da técnica, o aperfeiçoamento da estereotaxia fez desaparecer grande parteobjeções ao procedimento cirúrgico. Restaram, contudo,objeções éticas.

Até muito recentemente,antigas lobotomia pré-frontal e lobectomia frontal foram recolhidas aos museus da medicina. Atualmente, os procedimentos cirúrgicos mais empregados na psicocirurgia são a cingulotomia, la capsulotomia anterior, a tractotomia subcaudada, a leucotomia límbica, a hipotalamotomia posteromedial, com respostas favoráveis em cerca de dois terços dos casos.

As indicações também mudaram um pouco. Os estados de violência incontida por meios farmacológicos sem grave risco para paciente, acrescentaram-seformas mais graves de epilepsia, transtorno obsessivo-compulsivo doença depressiva biógena e estados ansiosos incontroláveis que prejudicam muito a existência dos pacientes.

O filtro ético do procedimento continua a preocupar quem se debruça sobre o estudo da psicocirurgia. É certo que o problema é importante e não pode ser negligenciado pelos conselhos que organizam a profissão médica. Essa matéria é tão importante que os conselhos regionais e o CFM devem promover um fórum de especialistas para definir o estado da arte da psicocirurgia e estabelecer limites e parâmetros mais atuais para suas indicações e suas técnicas.

Este autor propõe que se considere alguns critérios éticos que emprega para avaliar esses casos sob o ponto de vista do primo non nocere. Indica a cirurgia sem maior reparo sempre que o dano que o procedimento possa ocasionar não deixe o paciente pior do que está. Casos em que nada há a perder. Como nos estados deficitários graves ou deterioração mental avançada decorrente de psicoses crônicas. Nos outros casos, espera que a indicação seja feita em pelos menos dois exames com resultados idênticos realizados com, no mínimo, dois anos de intervalo.

terça-feira, 14 de abril de 2009

Dr. Morte (Dr. Death)




When someone with a terminal illness decides to end their life by overdosing on barbiturates, they hope the drugs will lull them into a peaceful and permanent sleep. But if the drugs have passed their expiration date or lack a sufficiently lethal concentration, the would-be suicide victim may actually survive -- risking an array of complications including coma, reduced physical functioning and the opprobrium of disapproving friends and family. Now, in an effort to provide certainty to those contemplating suicide, one of the world's leading euthanasia advocates plans to sell barbiturate testing kits to confirm that deadly drug cocktails are, in fact, deadly.

Quando alguém está com uma doença terminal e resolve acabar com a própria vida, com overdose de barbitúricos, este alguém espera que tudo acabará em uma morte pacífica e, evidentemente, definitiva. Mas se as drogas têm seu prazo de validade vencido ou não há suficiente concentração do medicamento para efetuar o processo, o pretenso suicida sobreviverá, ainda com riscos de ter de enfrentar complicações como o coma, eventuais incapacidades funcionais do organismo e a desaprovação do gesto por parte dos amigos e familiares. Agora, em uma tentativa de se providenciar a certeza do resultado para aqueles que desejam o suicídio, um dos mais famosos defensores mundiais da eutanasia, pretende vender kits de barbitúricos que garantam o resultado efetivamente.

"People who are seriously ill don't want to experiment," says Dr. Philip Nitschke, the physician known as 'Dr. Death' for his efforts to legalize euthanasia in his native Australia. "They want to know they have the right concentration of drugs so that if they take them in the suggested way it will provide them with a peaceful death."

"Pessoas que estejam seriamente doentes não querem testes", afirma o Dr. Philip Nitschke, o médico conhecido como 'Dr. Morte' pelos seus esforços para legalizar a eutanásia na Austrália, de onde é originário. "Eles querem ter a concentração certa de drogas para que possam providenciar uma morte pacífica."

The kits, which will debut in Britain in May and retail for $50, include a syringe that allows users to extract half a milliliter of barbiturate solution without breaking the sanitary seal. "Clearly sterility doesn't matter given that death is the desired outcome," Nitschke says. But the solution deteriorates slower in a sterile environment, allowing those with painful conditions to "lock it away in the back of the cupboard in case things gets too bad." The extracted sample is then mixed with chemicals from the kit; a color change indicates a lethal solution.

Os kits, que serão lançados na Grã-Bretanha em maio, pelo valor de 50 libras, inclui uma seringa que permite aos usuários extrair meio milímetro de uma solução de barbitúridos sem romper o selo de controle do medicamento. "Certamente a esterlização do medicamento não deve ser a maior preocupação para quem está preocupado com a própria morte", diz Nietschke. Mas a solução tem uma deterioração mais lenta em ambiente estéril, permitindo àqueles que tem uma condição dolorosa "voltar atrás em caso de algo não dar muito certo". Aquilo que é extraído do recipiente é, então, misturado com os produtos químicos do kit; a mudança de cor identifica uma solução letal para o paciente.


A minha tradução é "livre", mas a essência é esta mesma que você está lendo: haverá um kit para suicídio a venda na Grâ-Bretanha (Inglaterra, Escócia e Irlanda), idéia do fenomenal colaborador da Medicina que defende a eutanásia e agora o suicício. Sim, pois isto não é eutanásia. Basta ver definições sobre eutanásia, ortotanásia e distanásia, para entender melhor.

No próximo post, irei falar um pouco de cada uma para melhor entendimento "nosso" - inclusive o meu, sobre estas variedades de tipo de morte...

sábado, 11 de abril de 2009

Macartismo (em inglês McCarthyism)

É o termo que descreve um período de intensa patrulha anticomunista, perseguição política e desrespeito aos diretos civis nos Estados Unidos que durou do fim da década de 1940 até meados da década de 1950. Foi uma época em que o medo do Comunismo e da sua influência em instituições estadunidenses tornou-se exacerbado, juntamente ao medo de ações de espionagem promovidas pela União Soviética. Originalmente, o termo foi cunhado para criticar as ações do senador estadunidense Joseph McCarthy, tendo depois sido usado para fazer referências a vários tipos de condutas, não necessariamente ligadas às elaboradas por McCarthy.
Durante o Macartismo, muitos milhares de estadunidenses foram acusados de ser comunistas ou filocomunistas, tornando-se objeto de investigações agressivas. A maior parte dos investigados pertencia ao serviço público (como Alger Hiss), à indústria do espetáculo ( ex.Barbara Bel Geddes), cientistas (David Bohm), educadores e sindicalistas. As suspeitas eram freqüentemente dadas como certas mesmo com investigações baseadas em conclusões parciais e questionáveis, além da magnificação do nível de ameaça que representavam os investigados. Muitos perderam seus empregos, tiveram a carreira destruída e alguns foram até mesmo presos e levados ao suicídio.
A maioria das punições foi posteriormente ilegitimada por veredictos dos judiciais.
O Macartismo realizou o que alguns denominaram "caça às bruxas" na área cultural, atingindo atores, diretores e roteiristas que, durante a guerra, manifestam-se a favor da aliança com a União Soviética e, depois, a favor de medidas para garantir a paz e evitar nova guerra. O caso mais famoso nesta área foi Charlie Chaplin.
A "caça às bruxas" perdurou até que a própria opinião pública estadunidense ficasse indignada com as flagrantes violações dos direitos individuais, graças em grande parte à atuação corajosa do famoso e respeitadíssimo jornalista Edward R. Murrow na rede estadunidense de televisão CBS, o que levou McCarthy ao ostracismo e à precoce decadência. Ele morreu em 1957, já totalmente desacreditado e considerado uma figura infame e uma vergonha para os estadunidenses. Muitos filmes foram produzidos sobre este período, todos retratando McCarthy e seus seguidores como figuras desprezíveis e a histeria que criaram como uma crise que foi superada.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Cuidados com a pele ressecada e/ou descamativa:

Não tome banhos muito quentes, eles retiram a oleosidade natural da pele.

Evite se ensaboar demais e não use bucha, isso retira a hidratação natural da pele.

Prefira sabonetes suaves, "hidratantes".

Se tomar 2 banhos por dia, ensaboe o corpo todo em apenas 1 deles. No outro, só

Ensaboe as áreas de dobra de pele (axilas, regiões inguinais e nádegas).

Logo após o banho, com a pele ainda úmida, use um hidratante nas áreas ressecadas.

Procure um dermatologista para saber qual o hidratante mais indicado para sua pele.

Beba bastante água e coma frutas, legumes e verduras.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Projeto prevê distribuição gratuita de protetores solares para o combate ao câncer de pele.

Projeto em análise na Câmara dos Deputados pode fazer com que a rede pública de saúde, vinculada ao SUS (Sistema Único de Saúde), passe a distribuir protetores solares para o combate ao câncer de pele.

Conforme o projeto de lei do deputado Sandes Júnior (PP-GO), os protetores seriam distribuídos em todo o Brasil e com fator de proteção solar igual ou superior a 15. A produção ficaria a cargo de laboratórios públicos, mas em caso de falta do produto o SUS seria autorizado a fazer a compra de laboratórios privados.

A proposta será analisada de forma conclusiva pelas comissões de Educação e Cultura, de Seguridade Social e Família, de Finanças e Tributação e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Tipo de câncer mais frequente no Brasil é o de pele

De acordo com dados do Inca (Instituto Nacional de Câncer), o câncer de pele é o tipo de câncer mais frequente e corresponde a cerca de 25% de todos os tumores malignos registrados no Brasil. Quando detectado precocemente, este tipo de câncer apresenta altos percentuais de cura.

O Inca explica ainda que o câncer de pele é mais comum em indivíduos com mais de 40 anos, sendo relativamente raro em crianças e negros, com exceção daqueles que apresentam doenças cutâneas prévias. Indivíduos de pele clara, sensível à ação dos raios solares, ou doenças cutâneas prévias são as principais vítimas do câncer de pele. Os negros normalmente têm câncer de pele nas regiões palmares e plantares.

Como a pele apresenta diferentes tipos de células, esse tipo de câncer pode apresentar neoplasias de diferentes linhagens. Os mais frequentes são: carcinoma basocelular, responsável por 70% dos diagnósticos de câncer de pele, o carcinoma epidermóide com 25% dos casos e o melanoma, detectado em 4% dos pacientes.

terça-feira, 7 de abril de 2009

Cancer e Emoções.

É difícil alguém estar realmente preparado para o diagnóstico de câncer. Quando isso acontece a primeira atitude é de negação. Normalmente as pessoas custam muito a acreditar que aquele diagnóstico, culturalmente muito temido, esteja acontecendo exatamente com elas. Muito freqüentemente as pessoas duvidam que estejam lhes dizendo a verdade. É um momento de grande angústia, sensação de vazio e abandono, onde a introspecção proporciona uma revisão nos valores e na vida em geral, onde afloram lembranças de pessoas queridas ou conhecidas que, muito possivelmente serão deixadas para trás.

Posteriormente surge o medo, medo de morrer, de deixar pessoas queridas, de abandonar projetos futuros. Há uma forte angústia diante da possibilidade da dependência dos outros, do sofrimento futuro, quer pela doença, quer pelas conseqüências do tratamento. Mas todos esses sentimentos devem ser reavaliado ou orientado por profissionais para minimizar os efeitos do preconceitos sobre as emoções.

Em geral as pessoas acreditam que câncer é sinônimo de sofrimento e morte. É assim que o câncer e seus tratamentos constituem uma fonte de estresse, capaz de desencadear desordens de ajustamento nestes indivíduos problemas somáticos, psíquicos e sociais. Há trabalhos sobre o desenvolvimento de sintomas somáticos associados às preocupações emocionais e sociais relacionados à idéia do câncer, mais do que devidos ao câncer propriamente dito.

No entando, estudos sobre os aspectos clínicos e terapêuticas referentes a 895 casos de câncer de língua tratados no Hospital do Câncer A.C. Camargo, mostram que as chances de cura para os pacientes atendidos na década de 80 foram 40% maiores do que as dos pacientes tratados nas décadas de 50 e 60. Isto significa que atualmente os pacientes podem esperar possibilidades de cura muito maiores do que no passado, principalmente em função dos significativos progressos científicos e tecnológicos que ocorreram nas áreas de cirurgia, radioterapia e quimioterapia.

A clínica comprova freqüentemente que as manifestações iniciais do câncer permanecem latentes, estacionárias por longo tempo, antes de manifestar-se morbidamente, dando oportunidade à intervenção terapêutica. As atuais possibilidades da medicina permitem afirmar que o câncer é curável, quando tratado no início. Por conta desse prognóstico progressivamente mais otimista os médicos devem se preocupar sempre em identificar e estimular condições que facilitem a adaptação de seus pacientes. Assim sendo, o tratamento psicológico, em pelo menos alguma extensão, será sempre benéfico.
É muito importante deixar claro o significado dos seguintes termos: Pesar e Pena. Estes sentimentos estarão presentes, de forma variada, nos familiares de pacientes com câncer e são termos que se usam, freqüentemente, com diferentes intenções (Rando, 1984).

Pesar
Pesar é o sentimento que surge como reação ao fato de ter sofrido uma perda. O Pesar identifica a situação específica das pessoas que tenham experimentado uma determinada perda (Corr, 1997), portanto, o Pesar é uma reação emocional específica a este determinado "objeto".

Devido à perda, se desenvolve uma grande quantidade de emoções, experiências e mudanças na vida psíquica da pessoa. A duração desse estado depende da intensidade da relação com a pessoa que morreu ("objeto" perdido). É bom sublinhar que o Pesar tem também um aspecto antecipatório, ou seja, supõe o aparecimento de emoções e sentimentos antecipadamente à perda (vai morrer).

Pena
A Pena é o processo normal de reação emocional à percepção (forte indício) de uma perda. As reações de Pena podem ser vistas nas respostas à perdas básicas ou tangíveis, como por exemplo a morte, ou a perdas abstratas e psicossociais, como por exemplo o divórcio, o emprego, etc.

Cada tipo de perda implica experimentar algum tipo de falta ou privação. Durante o processo que atravessa uma família que vivencia o câncer, se experimentam várias perdas e cada uma gera sua própria reação. As reações de Pena podem ser psicológicas, físicas, sociais e conflitos emocionais.

As reações psicológicas podem incluir a raiva, mágoa, culpa, ansiedade e tristeza. As reações físicas incluem dificuldade para dormir, mudanças no apetite, queixas ou doenças somáticas, enfim, sinais e sintomas relacionados ao Transtorno de Adaptação e Ajustamento. As reações sociais incluem os sentimentos experimentados ao ter que cuidar de outros membros da família, o desejo de ver ou não a determinados amigos ou familiares (isolamento), ou o desejo de regressar rapidamente ao trabalho. Este processo depende do tipo de relação que se teve com a pessoa que morreu. Lindenmam (1994) faz notar cinco características para essas reações:

1. - aflição somática,
2. - preocupação com a imagem da pessoa morta,
3. - culpa,
4. - reações hostis, e
5. - perda da conduta normal.

O conflito emocional, seja ele consciente o inconsciente, pode ser relacionado também à resposta cultural à perda. O processo de incorporar a perda na vida afetiva contrapõe aquilo que queremos, com aquilo que devemos e aquilo que conseguimos. O conflito é, por exemplo, a contraposição entre o fato de sabermos que a morte deve ser inevitável, até como decorrência normal de quem vive, mas mesmo assim não queremos, e nem conseguimos aplicar à realidade essa conotação racional. Muitos outros conflitos, mais complexos que esse do exemplo, podem estar presentes diante da perda de um ente querido.

No chamado Processo da Pena se incluem três tarefas necessárias para que a pessoa volte a reintegrar-se à sua vida normal. Estas atividades incluem:

1. - liberar-se dos laços com a pessoa falecida,
2. - reajustar-se ao ambiente onde a pessoa falecida já não está e
3. - formar novas relações.

Liberar-se dos laços com a pessoa falecida, implica que se deve modificar a "energia emocional" (o tônus afetivo) invertida na pessoa perdida. Isto não quer dizer, de forma alguma, que tenhamos deixado de amar a pessoa desaparecida, mas sim, que é possível agora dirigir os sentimentos e afetos a outros, em busca de uma satisfação emocional.

A morte desperta com freqüência evocações de perdas ou separações do passado. Bowlby (1961) descrevia três fases do processo de luto:

1. - a urgência de recuperar à pessoa perdida,
2. - a desorganização e desespero e, finalmente,
3. - a reorganização da vida.

Durante o processo de reajuste ambiental (reorganização da vida) tem-se que modificar as regras, os valores, a própria identidade e as habilidades para ajustar-se a um mundo onde o falecido já não está. Ao modificar a energia emocional, a energia que uma vez se concentrava na pessoa falecida, agora se concentra em outras pessoas ou outras atividades. Esse esforço adaptativo costuma requerer muita energia física e emocional e, não é raro, vermos pessoas atravessando essa fase experimentando uma fadiga avassaladora. Nessa fase, em se tratando de um estado depressivo, ou mesmo um Transtorno de Ajustamento, pode estar indicado um tratamento psiquiátrico medicamentoso e/ou psicoterápico.

A experiência de Perda e Pesar não é somente pela pessoa que faleceu, mas também por todos os planos, idéias e fantasias que não se levaram a cabo com a pessoa desaparecida. De qualquer forma, os processos de Perda e Pesar fazem parte normal do universo existencial humano, são normais na medida em que sugerem que os seres humanos necessitam apegar-se a outros para melhorar sua sobrevivência e reduzir o risco de dano.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Infecção urinária: perguntas e respostas.

O que é infecção urinária?
Ela é caracterizada pela a presença de micro-organismos na urina. O líquido que enche a bexiga é estéril – ou seja, livre de bactérias. Mas, quando esses bichinhos se multiplicam ao redor da uretra e conseguem se infiltrar no canal da urina até chegar à bexiga, desencadeiam uma infecção. Em 85 % dos casos, o problema é provocado pela bactéria Escherichia coli, que integra a flora intestinal.

Existem tipos diferentes?
Sim. O mais comum é a infecção na bexiga, a famosa cistite. Mas os micro-organismos também podem atacar os rins, o que é chamado de pielonefrite.

Quais são os sintomas?
Os clássicos são dor e ardor na hora de urinar. Pode haver também um aumento da frequência de idas ao banheiro, sensação de bexiga cheia, sangramento ou um simples mal-estar acompanhado de febre.

A doença é transmissível?
Não, mas é mais comum que ela aconteça depois de relações sexuais, porque o pH da região fica alterado. Entre mulheres que variam muito de parceiro, a incidência é comprovadamente maior.

Por que esse tipo de infecção é mais frequente em mulheres?
Elas têm o canal da uretra mais curto e, por isso, é mais fácil as bactérias chegarem aonde não devem. Além disso, elas costumam ter o péssimo hábito de segurar a urina por mais tempo que os homens – um prato cheio para as bactérias se proliferarem.

Por que algumas pessoas têm o problema com mais frequência?
Isso envolve fatores hereditários e imunológicos. A atenção com a higiene é essencial, mas a infecção pode aparecer mesmo em quem toma todo o cuidado do mundo.

Por que as grávidas ficam mais sujeitas a esse tipo de infecção?
Estima-se que de 15% a 20% das gestantes terão ao menos uma vez esse tipo de infecção. Isso acontece porque, durante esse período, o aumento da circulação sanguínea na região pélvica faz a umidade vaginal aumentar, facilitando a passagem das bactérias do ânus para a uretra.

Os homens estão livres da doença?
Não é bem assim. É verdade que esse é um problema tipicamente feminino, mas a infecção também acomete a ala masculina.

Ela é mais frequente em pessoas idosas?
A resistência diminui com a idade e, no caso das mulheres, há uma queda de hormônios que deixam a região pélvica mais sensível.

Existe alguma forma de prevenir?
A recomendação é beber muita água para que as idas ao banheiro não fiquem muito espaçadas. Assim você vai limpando o trato urinário. Urinar depois das relações sexuais e evitar banhos de imersão também ajudam.

domingo, 5 de abril de 2009

Comer chocolate não causa espinhas.

A teoria de que comer chocolate causa acne na pele não passa de um mito. Apesar de ser rico em gordura, o alimento não interfere na oleosidade cutânea. Às vezes, por coincidência, as pessoas comem a guloseima e surgem espinhas e cravos, mas isto pode estar relacionado às alterações hormonais de cada indivíduo.

Comer uma barrinha de 30 gramas por dia de chocolate amargo não vai trazer espinhas pra ninguém, não pelo teor de gordura --que às vezes é maior do que o chocolate doce--, mas porque o chocolate amargo contém mais flavonóides, substâncias que fazem bem para o organismo em geral.

sábado, 4 de abril de 2009

Casos de dengue caem 28,6% no Brasil, diz ministério da Saúde!

O novo balanço parcial de casos de dengue, divulgado nesta sexta-feira pelo Ministério da Saúde, aponta que nas dez primeiras semanas deste ano foram notificados 114.355 casos da doença, representando uma queda de 28,6% em relação ao mesmo período de 2008, quando 160.137 pessoas foram vítimas do mosquito Aedes aegypti. Os dados, segundo o ministério, referem-se às notificações registradas até o dia 7 de março.

No período, houve queda nos casos de dengue em 19 Estados e no Distrito Federal. Ocorreu aumento de notificações em sete Estados: Bahia, Acre, Roraima, Amapá, Minas Gerais, Espírito Santo e Mato Grosso do Sul.

Nesses Estados, há alta transmissão da doença nos municípios de Jequié (BA); Vila Velha, Serra, Nova Venécia e Vitória (ES); Belo Horizonte e Coronel Fabriciano (MG); Rio Branco (AC); Boa Vista (RR); e Macapá (AP).

Embora os dados preliminares sejam positivos, o diretor do Departamento de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério, Eduardo Hage, alertou que as informações devem ser avaliadas com cautela e que a mobilização deve ser intensificada nos Estados e municípios com situação mais preocupante.

"Há seis Estados com aumento de casos, o que confirma a necessidade de intensificação das ações de controle. Mesmo nos Estados e municípios onde verificamos redução, a mobilização deve ser mantida e reforçada, quando necessário".

Ainda de acordo com o boletim preliminar do Ministério da Saúde, foram registrados 235 casos de Febre Hemorrágica de Dengue (FHD) até a 10ª semana de 2009, com 16 mortes. De acordo com o boletim parcial, cinco Estados concentram 72% dos casos de dengue hemorrágica: Bahia (30%), Espírito Santo (15,8%), Mato Grosso (11,5%), Roraima (9%) e Minas Gerais (6%).

Quanto aos casos de Dengue com Complicação (DCC), houve 368 notificações com sete mortes no período avaliado. Em 2008, no mesmo período, ocorreram 1.445 casos de dengue demorrágica e 5.258 de DCC.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Sintomas de ataques cardíacos podem ser diferentes em mulheres.

Sintomas de ataques cardíacos são diferentes de acordo com o sexo.

A maioria das pessoas consegue identificar os sintomas clássicos de um ataque cardíaco: dores no peito, falta de ar, e uma forte dor no pescoço, costas, mandíbula e braços.

Mas pode haver uma divisão por gênero. Enquanto os sintomas podem variar muito de pessoa para pessoa, estudos mostram que os homens têm maiores chances de demonstrar os sinais clássicos. As mulheres, muitas vezes, experimentam sintomas não tipicamente associados a ataques do coração, que podem aparecer semanas antes do evento verdadeiro - aquele conhecido pelos médicos como infarto agudo do miocárdio.

Alguns pesquisadores apontam que, até os anos 80, doenças do coração eram consideradas um problema masculino. Como resultado, muitos estudos focaram apenas em homens e desenharam uma imagem estreita dos sinais característicos.

Porém, num estudo financiado pelo Instituto Nacional de Saúde dos EUA, cientistas focaram em pacientes cardíacos femininos, num total de 515. Eles descobriram que, nas semanas anteriores aos ataques, 70% das pacientes relataram uma forte e inexplicável fadiga, 48% relataram distúrbios de sono, e pouco mais da metade teve falta de ar, indigestão e ansiedade. Durante o ataque, mais de 50% tiveram falta de ar e fraqueza, e um pouco mais da metade experimentou grande fadiga, suor frio abundante e vertigens. Outros estudos obtiveram resultados similares.

A Associação Americana do Coração diz que a dor no peito ainda é o aviso mais comum em ambos os sexos; e, embora os homens também possam apresentar sintomas "atípicos," as mulheres devem ficar especialmente atentas a eles.

Desta forma, as mulheres têm maiores chances de apresentar sintomas não clássicos de ataques cardíacos

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Traumas cerebrais leves podem causar sintomas transitórios ou persistentes após a lesão.

De acordo com os resultados de um estudo coorte prospectivo publicado na edição de março da Pediatrics, traumas cerebrais leves, particularmente aqueles mais graves, podem provocar sintomas temporários ou persistentes no primeiro ano após a lesão.

“Este estudo dá segurança aos pais de crianças que sofreram concussão pela primeira vez, pois nós podemos ver que, com mais freqüência, elas se recuperam completamente em um curto período de tempo” disse o autor principal Heith Owen Yeates, PhDm do Nationwide Children´s Hospital na Oho State Unversity College of Medicine, em Columbus, no comunicado à imprensa. “Entretanto, o estudo também mostra que crianças com mais risco devido à gravidade da sua concussão precisam ser monitoradas por períodos mais longos já que seus sintomas podem durar mais tempo”.

O objetivo deste estudo foi avaliar se o trauma cerebral leve em crianças e adolescentes, especialmente quando associado a características clínicas agudas que refletem dano mais grave, resulta em trajetórias pós-traumáticas diferentes de sintomas pós-concussivos versus danos ortopédicos leves.

Em 2 grandes hospitais pediátricos, 186 crianças com trauna cerebral leve e 99 com danos ortopédicos leves foram recrutadas de admissões seqüenciais aos departamentos de emergência. A faixa etária foi de 8 a 15 anos. Os sintomas pós-concussivos atuais foram classificados pelos pais após 3 semanas do trauma e nos meses 1, 3 e 12 após o acidente. Na primeira avaliação, os pais classificaram retrospectivamente os sintomas antes do dano e as crianças com trauma cerebral leve foram submetidas à ressonância magnética.

As características clínicas avaliadas pela sua capacidade de prever o sintomas pós-concussivos foram perda da consciência, pontuação na Escala de Coma de Glasgow menor do que 15, danos associados, sintomas agudos de concussão e presença de anormalidades intracranianas na ressonância magnética.

Quatro trajetórias longitudinais de sintomas pós-concussivos foram determinadas com base em modelos de mistura limitados que consistiram de: nenhum sintomas pós-concussivos, sintomas pós-concussivos persistentes moderados, sintomas pós-concussivos altamente agudos/solucionados e sintomas pós-concussivos altamente agudos / persistentes.

A distribuição das trajetórias diferiu entre trauma cerebral leve e dano ortopédico. Quando comparado ao grupo dano ortopédico o grupo com trauna cerebral leve foi mais propenso a ter trajetórias altamente agudas / solucionadas e altamente agudas / persistentes versus nenhuma sintomas pós-concussivos. Crianças com trauma cerebral leve nas quais a presentação clínica aguda refletiu dano mais grave foram especialmente propensas a ter trajetórias sintomáticas altamente agudas / solucionadas e altamente agudas / persistentes.

“Os pais deveriam prestar atenção particular a esses sintomas quando eles durarem mais de um ou dois meses e relatar ao médico da criança todos os sintomas em andamento para que ele possa intervir adequadamente”, disse Dr. Yeates.

As limitações do estudo incluíram taxas de recrutamento abaixo de 50% para grupos com trauma cerebral leve e DO, possível viés de recrutamento e o fato de todas as características clínicas terem sido classificadas igualmente no índice de gravidade cumulativa e vários sintomas somados na medida do sintomas pós-concussivos.

“Traumas cerebrais leves, particularmente aqueles mais graves, têm maior probabilidade de culminar no aumento transitório ou persistente dos sintomas pós-concussivos no primeiro ano após a lesão quando comparados aos traumas ortopédicos”, afirmam os autores do estudo. “São necessárias pesquisas adicionais para elucidar a variação de fatores, tanto os relacionados quanto os não relacionados às lesões, que colocam algumas crianças com traumas cerebrais leves em risco de sintomas pós-concussivos”.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Manga com leite faz mal????



Chupar manga e tomar leite em seguida só pode fazer mal se a manga estiver passada e o leite estiver azedo. Estudiosos afirmam que tabus alimentares têm raízes nas tradições religiosas que impunham obrigações ao corpo para salvar a alma. Excessos da gula só poderiam ser controlados pela difusão dessas crenças, mas hoje especialistas afirmam que, na grande maioria das vezes, renunciamos aos pequenos prazeres da mesa sem nenhum fundamento científico.

ANEMIA

ANEMIA DA CARÊNCIA DE VITAMINA B12
ANEMIA DA CARÊNCIA DE ÁCIDO FÓLICO
ANEMIA PERNICIOSA
A vitamina B12, cujo nome científico é cianocobalamina, foi isolada e identificada a partir de um extrato de fígado, em 1948. É indispensável, na espécie humana, para a proliferação dos glóbulos do sangue e para a manutenção da integridade das células nervosas. A vitamina B12 só existe no reino animal; os vegetarianos restritos (que não comem nenhum produto de origem animal), felizmente raríssimos no Brasil, desenvolvem a carência.
A deficiência comum é a que decorre da falta de absorção da vitamina, por uma doença auto-imune da mucosa do estômago - a gastrite atrófica - que, rara antes dos 40 anos, aumenta de freqüência com a idade, até tornar-se muito comum na velhice. A incidência é maior no sexo feminino, em pacientes com doenças da tireóide e com vitiligo. A falta de vitamina B12 causa anemia e alterações neurológicas, que são progressivas e mortais se não houver tratamento, donde o nome de anemia perniciosa dado à doença antes de sua notável e recente descoberta.
Anos de absorção inadequada são necessários para o esgotamento das reservas de B12 do organismo, mas a partir daí, a anemização é rápida:
• há glossite (língua vermelha e ardente),
• surgem dormências, depois falta de sensibilidade, nas extremidades,
• finalmente deterioração mental irreversível.
O hemograma mostra que a anemia é macrocítica, isto é, caracterizada pela presença de eritrócitos (glóbulos vermelhos) maiores que o usual. A dosagem de vitamina B12 no soro sangüíneo é útil para o diagnóstico, que se completa pela notável resposta ao tratamento de reposição: dois ou três dias após a primeira injeção intramuscular de vitamina B12, o paciente sente-se eufórico, bem disposto e com apetite. A anemia cura-se em poucas semanas; os sintomas neurológicos de modo mais lento. Como a gastrite atrófica é uma doença definitiva, o tratamento com uma injeção mensal de B12 deve ser mantido por toda a vida.
A inclusão da dosagem de vitamina B12 na avaliação laboratorial de pacientes idosos tem permitido o diagnóstico da deficiência antes da aparição da anemia e dos sintomas acima; a reposição parenteral da vitamina causa, em alguns desses pacientes, significativa melhora das condições mentais. A ação da vitamina no organismo é muito ampla; a dosagem deve tornar-se um exame rotineiro em geriatria.
Anemia da carência de ácido fólico
O ácido fólico (nome científico ácido pteroilglutâmico) é uma vitamina do complexo B, abundante nas folhas verdes (donde o nome fólico), presente em pequena quantidade em muitos outros alimentos vegetais, e na totalidade dos alimentos de origem animal. A fervura prolongada dos alimentos destroi a vitamina.
A deficiência de ácido fólico, no organismo, geralmente ocorre quando há uma dieta carente, por precariedade de condições sócioeconômicas, associada a excesso de demanda. No Brasil é comum, em:
• Crianças em idade de máximo crescimento (1 a 3 anos): o crescimento exige ácido fólico.
• Gestantes: o crescimento fetal consome ácido fólico materno.
• Alcoolistas: alimentam-se apenas das calorias vazias do álcool e desenvolvem múltiplas deficiências; a de ácido fólico é potencializada porque o álcool age como seu antagonista no metabolismo.
• Pacientes com doenças inflamatórias crônicas do trato digestivo que ocasionam má absorção de ácido fólico; são raras.
A interação do ácido fólico com a vitamina B12 é indispensável para a proliferação dos glóbulos do sangue. A falta de ácido fólico causa uma anemia macrocítica idêntica a da falta de B12, mas não causa doença neurológica. Os pacientes perdem o apetite, o que faz piorar a dieta, por hipótese, já carente; há rápido emagrecimento. O tratamento com ácido fólico por via oral causa imediata melhora clínica; o paciente desenvolve um apetite voraz que corrige espontaneamente a dieta. Só há recaída em casos de extrema pobreza ou de alcoolismo persistente.