Transtorno de déficit de atenção/hiperatividade


Uma pesquisa com crianças australianas com transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH) observou que 73% apresentam distúrbios de sono moderados a graves, que afetam tanto as crianças quanto a seus pais. Freqüentemente, as crianças apresentam dificuldade para dormir, resistência em ir para cama e cansaço quando acordam. O estudo foi publicado no volume de abril do Archives of Pediatrics & Adolescent Medicine.

Esse foi o primeiro estudo a demonstrar que, entre as crianças com TDAH, aquelas com problemas de sono apresentam uma pior qualidade de vida e freqüência escolar, e seus cuidadores apresentam pior saúde mental e freqüência ao trabalho. Por isso, os pediatras devem sempre questionar sobre os padrões de sono de toda criança com TDAH durante a avaliação e o tratamento.

O transtorno de déficit de atenção/hiperatividade é o distúrbio mental mais comum em crianças, atingindo 11% das crianças australianas entre 6 e 17 anos. Cinqüenta por cento dos pais de crianças com TDAH relatam que seus filhos têm dificuldades em iniciar e manter o sono.

Os pesquisadores analisaram dados de uma pesquisa com cuidadores responsáveis por 239 crianças com TDAH, matriculadas em escolas. A idade média dos estudantes era de 11,7 anos (de 5 a 18 anos) e 90% eram meninos. O desfecho primário foi o relato dos responsáveis sobre qualquer dificuldade de sono que tivesse ocorrido com as crianças nas quatro semanas prévias.

Os cuidadores relataram que 28,5% das crianças apresentaram problemas de sono moderados e 44,8% apresentaram problemas graves. Comparados com crianças sem problemas de sono, esses apresentaram uma pior qualidade de vida e pior desempenho escolar.

Somente 45% dos cuidadores relataram que seus pediatras perguntaram sobre os distúrbios de sono da criança e, desse total, só 60% receberam alguma orientação. Comparados com os responsáveis de crianças sem problemas, os cuidadores daquelas crianças que possuem dificuldades de sono se mostraram mais propensos a ser clinicamente deprimidos, estressados e ansiosos.

Dificuldades para manter o sono devem ser conciliadas com estratégias comportamentais, limitações sobre a hora de dormir, desenvolvimento de uma rotina para dormir e o uso de recompensas. Se a causa da dificuldade for ansiedade, técnicas de relaxamento devem ser usadas da mesma maneira que são tratadas as crianças sem TDAH. O tratamento dos problemas de sono, comórbidos (doenças ou problemas que co-existem entre si) ao TDAH, podem diminuir a necessidade de medicamentos nesses pacientes.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Duloxetina: para tratamento de dores neurogênicas e enxaquecas.

Exame de urina

Equimoses